Corinthians é superado nos pênaltis e encerra sua participação na Libertadores Feminina

Corinthians é superado nos pênaltis e encerra sua participação na Libertadores Feminina

Após empate em 1 a 1 no tempo regulamentar, as comandadas do técnico Arhur Elias foram derrotadas nas penalidades máximas e viram o sonho do bicampeonato consecutivo se encerrar.

Corinthians e América de Cali mediram forças pela semifinal da Libertadores Feminina 2020 Corinthians e América de Cali mediram forças pela semifinal da Libertadores Feminina 2020
Créditos: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians

Durante a Fase de Grupos da Conmebol Libertadores Feminina 2020, o América de Cali foi a equipe que mais ofereceu resistência ao Corinthians. Na fase semifinal, as equipes se reencontraram e o cenário equiparado se repetiu – para azar do Timão, desta vez, com um resultado diferente. Diretamente do Estádio Nuevo Francisco Urbano, em Buenos Aires, o Alvinegro empatou em 1 a 1 no tempo regulamentar e viu as colombianas levarem a melhor nas penalidades máximas.

“O Corinthians foi superior em toda a partida, mas o futebol é decidido nos detalhes. Foi um jogo que vai trazer muito aprendizado e sabedoria para nós. Agora vamos manter a cabeça erguida e continuar fazendo nosso trabalho”, declarou Tamires, autora do gol do Timão, após a partida.

O jogo

Como era de se esperar de uma semifinal, o início do jogo foi de bastante equilíbrio. A equipe do Corinthians começou controlando a posse de bola e povoando o campo de ataque, mas sem transformar o domínio em chances claras de gol. Com a defesa bem postada, o América de Cali apostava nos contra-ataques para surpreender o Timão. Em um confronto truncado, a primeira chance veio de um chute de longa distância. Aos 22 minutos, Tamires arriscou de fora da área e a bola passou rente à meta colombiana.

Dois minutos depois, o Alvinegro quase abriu o marcador. Em cobrança de falta de Andressinha, Pardal subiu no terceiro andar e testou firme, obrigando a goleira colombiana a trabalhar pela primeira vez no duelo. No rebote, com a bola viva na pequena área, a arbitragem marcou falta de ataque de Gabi Zanotti na arqueira do América de Cali.

Apostando no jogo de contato, as colombianas aproveitaram o campo pesado do Estádio Nuevo Francisco Urbano para se impor fisicamente e cometer faltas táticas, a fim de minar o avanço do Timão. A solução para o clube paulista era arriscar de fora. E foi exatamente isso que Victoria Albuquerque fez. Na marca dos 43 minutos, a atacante experimentou de longe e, em dois tempos, a goleira Ramirez efetuou a defesa.

Esta foi a última chance criada na partida antes do intervalo. Assim como o confronto entre as duas equipes na Fase de Grupos, o primeiro tempo entre Corinthians e América de Cali terminou sem gols anotados.

Disposto a inaugurar o marcador o quanto antes, o Alvinegro voltou para a segunda etapa ainda mais dominante. Aos 8 minutos, Adriana fez boa jogada individual e cruzou para Gabi Zanotti, que finalizou para fora. Dois minutos depois, o Timão criou sua melhor oportunidade até então. Após chute prensado de Gabi Nunes, a bola se ofereceu para a Adriana na área, mas a atacante chutou sobre o gol.

Tamires marcou o gol do Timão no tempo regulamentar Tamires marcou o gol do Timão no tempo regulamentar
Créditos: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians

Com um ímpeto incessante, o Corinthians, enfim, tirou o grito de gol da garganta aos 11 minutos. De novo em arremate de fora da área, Tamires finalizou firme de média distância e a goleira Ramirez aceitou. Timão 1 a 0. Na ânsia de ampliar o marcador para assegurar a vaga na final, as comandadas do técnico Arthur Elias ofereceram perigo novamente – dessa vez nos pés de Gabi Nunes. Após receber passe na meia lua, a meia fez ótima finta e finalizou forte no meio do gol, para bela defesa da arqueira do América de Cali.

Após conquistar a vantagem no marcador, o Corinthians passou a dosar a intensidade e controlar completamente qualquer trama ofensiva do América de Cali. E assim foi até o final da partida. Ou melhor, até quase o fim do confronto. Porque já nos acréscimos, aos 47, as colombianas conseguiram o gol de empate salvador, na única chance do América no jogo. Com um ‘chutaço’ de fora da área, a atacante Guarecuco encobriu a goleira Tainá e levou a semifinal para os pênaltis.

Penalidades Máximas

A zagueira Pardal foi a responsável por inaugurar as cobranças. Em batida firme, a defensora botou no fundo da rede. Camisa 10 do América, Catarina também confirmou sua cobrança e empatou a disputa em 1 a 1. A lateral Juliete foi a segunda a cobrar pelo Timão. Com finalização perfeita na ‘bochecha’ da rede, a jogadora não deu chances para a goleira colombiana. A batida de Juliete foi praticamente copiada pela segunda atleta colombiana, que também confirmou o gol e deixou tudo igual novamente: 2 a 2.

Gabi Nunes, um dos destaques do Alvinegro, foi a terceira cobradora. No entanto, a meia do Timão viu seu arremate ser defendido pela goleira Ramirez. A terceira cobradora do América de Cali fez o gol e deixou seu time em vantagem. Adriana manteve o Timão vivo na quarta cobrança e deixou tudo igual: 3 a 3. Mas a quarta jogadora colombiana não falhou e colocou o América novamente em vantagem.

Na quinta e decisiva cobrança, o Corinthians também desperdiçou e sacramentou sua eliminação da Libertadores Feminina 2020. 4 a 3 nos pênaltis. Agora, o Timão retorna a campo no próximo domingo, para a disputa do terceiro lugar.

Corinthians e América de Cali mediram forças pela semifinal da Libertadores Feminina 2020 Corinthians e América de Cali mediram forças pela semifinal da Libertadores Feminina 2020
Créditos: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians