Atlético-PR recebe o Jr. Barranquilla por título da Sul-Americana

Atlético-PR recebe o Jr. Barranquilla por título da Sul-Americana

Times vêm de empate por 1 a 1 na Colômbia. Por taça inédita, capitão Lucho González lembra: "Em casa somos fortes". A bola rola às 21h45 na Arena da Baixada

Lucho González pode conquistar seu 25º título em 20 anos de carreira

Créditos: Divulgação/Atlético-PR

Chegou o dia mais esperado pelos atleticanos no ano! Na noite desta quarta-feira (12), Atlético-PR e Jr. Barraquilla-COL decidem a Sul-Americana, às 21h45 (de Brasília), na Arena da Baixada, em Curitiba. As duas equipes buscam o título inédito da competição. No duelo de ida, empate por 1 a 1 na Colômbia.

O Furacão chega como time de melhor aproveitamento da Sul-Americana. Foram oito vitórias, um empate e duas derrotas. Um dos pilares dessa boa campanha é o experiente Lucho González. Aos 37 anos de idade, o argentino carrega na bagagem 24 títulos conquistados em 20 anos de carreira.

Exclusivo ao site da CBF, Lucho disse que para levantar a taça, o Rubro-Negro precisa ser paciente, entrar em campo focado e ter atenção redobrada aos mínimos detalhes.

— O principal é a concentração. Sabemos que jogando em casa somos fortes, mas é uma final e se define em detalhes. Nosso maior erro é se não entrarmos concentrados, principalmente no momento em que atacarmos. Eles vão esperar, para tentar o contra-ataque rápido — disse, antes de destacar que, apesar da baixa média de idade, o Furacão tem um grupo maduro:

— Estamos tranquilos. Em todos os momentos temos que continuar fazendo o que nos trouxe até aqui. Nosso grupo é muito maduro nesse sentido. Estamos tranquilos, esperando a hora do jogo, mas também desfrutando desse momento que vivemos.

Acostumada com triunfos em casa, a torcida esgotou os ingressos para a grande final. Na opinião de Lucho, os rubro-negros podem até não entrar em campo, mas vêm jogando junto com o time desde a primeira fase da disputa. Na Arena da Baixada, a equipe do técnico Tiago Nunes venceu quatro e perdeu apenas uma. Foram oito gols a favor e dois contra.

— O torcedor faz muita diferença. O fator casa é sempre decisivo nesses jogos e jogará a nosso favor. O torcedor tem um papel fundamental para nós, sabendo que o estádio estará lotado. Temos que tentar jogar com isso também — exaltou Lucho González.

Para chegar até a final da Sul-Americana, o Atlético-PR passou por cima de Newell's Old Boys-ARG, Peñarol-URU, Caracas-VEN, Bahia e Fluminense. Quem vencer fatura a Sul-Americana 2018. Em caso de um novo empate, a decisão vai para a prorrogação. Persistindo a igualdade, o campeão será conhecido nas cobranças de pênaltis.

Confira a tabela completa da Sul-Americana!