Anderson Oliveira fala de começo surpreendente no Campeonato Português

Anderson Oliveira fala de começo surpreendente no Campeonato Português

Brigando pela artilharia, atacante brasileiro do modesto Famalicão pensa jogo a jogo, mas afirma: “Não podemos deixar de sonhar”

Atacante já marcou quatro gols em seis partidas disputadas na atual temporada e briga pela artilharia do Campeonato Português

Créditos: Divulgação/Assessoria

Os caminhos de Brasil e Portugal se cruzam e até se confundem ao longo da história. Mais do que um idioma, os países têm outros vários aspectos em que se assemelham. Certamente, a paixão pelo futebol é um dos que podem ser citados facilmente. Em 2019, dois nomes estão sendo responsáveis por aproximar ainda mais tupiniquins e lusitanos. Pelas bandas de cá, o português Jorge Jesus comanda o Flamengo, que lidera com folga o Campeonato Brasileiro. Já na ‘Terrinha’, o brasileiro Anderson Oliveira é o artilheiro da grande surpresa da liga nacional: o modesto time do Famalicão, promovido à divisão principal nesta temporada e que aparece na primeira colocação, desbancando os gigantes Benfica, Porto e Sporting.

+ Veja a tabela completa do Campeonato Português

Da pequena Vila Nova de Famalicão, na região norte de Portugal, o time que carrega o nome da cidade de aproximadamente apenas 140 mil habitantes não disputava a primeira divisão desde a temporada 1993/1994. Com isso, só o fato de voltar à elite já poderia ser considerado um grande feito para clube e atletas.

– Já estamos na história e eu sou parte dela, assim como outros jogadores, quando conseguimos o acesso. Isso é muito gratificante – disse Anderson, em entrevista exclusiva ao site da CBF, antes de completar afirmando que ainda não se considera um ídolo:

– Não sou, tenho essa consciência, mas as pessoas me tratam muito bem e eu quero retribuir com o meu trabalho e com gols – afirmou o atacante, que já tem quatro gols em seis partidas no Campeonato Português.

Artilheiro da equipe, Anderson falou sobre o convívio e o carinho da torcida do Famalicão Artilheiro da equipe, Anderson falou sobre o convívio e o carinho da torcida do Famalicão
Créditos: Divulgação/Famalicão-POR

Apesar do acesso já ter sido algo para se comemorar, mantendo os pés no chão, o brasileiro acredita que passo a passo a equipe deve sempre mirar o topo.

–  O nosso primeiro objetivo é a permanência e por isso pensamos jogo a jogo. Agora vem a Taça de Portugal e só pensamos nesse jogo. Apenas depois de garantirmos a permanência, aí podemos pensar em algo mais. Temos que ir aos poucos, mas não podemos deixar de sonhar – comentou o atacante, que ainda conta com a companhia de mais oito brasileiros no elenco. 

Quanto à artilharia, Anderson garante ter uma meta de gols. No entanto, revela que apenas uma pessoa além dele sabe o número pretendido para a atual temporada.

– Apenas minha mãe e eu sabemos a minha meta de gols. Quero fazer mais e, se possível, já no próximo jogo da taça. Porém, o mais importante é que os gols ajudem a equipe. Não adianta balançar as redes se o time perder. Aliás, troco qualquer gol pelos três pontos – enfatizou o jogador, que aparece em terceiro lugar no ranking de melhores marcadores da liga. Apenas Zé Luís, do Porto, e Pizzi, do Benfica, ambos com seis tentos, estão a frente do brasileiro.

Com o fim da data FIFA e o retorno das competições nacionais no Velho Continente, o próximo compromisso de Anderson e do Famalicão acontecerá no domingo (20), contra o Lusitânia, pela Taça de Portugal. No Campeonato Português, no dia 27 de outubro, o principal desafio até aqui: enfrentar o Porto fora de casa, no Estádio do Dragão. Mas nada que coloque medo no camisa 33.

– O Porto é um dos melhores mandantes do mundo todo ano. Na temporada passada, por exemplo, perdeu apenas três jogos de 27, sendo uma para Liverpool e outra para Benfica, jogos bastante complicados. Então sabemos da força do adversário, respeitamos, mas temos que continuar jogando da mesma forma, acho que é a única forma de sair do Estádio do Dragão com um resultado positivo – afirmou o jogador de apenas 21 anos, que, no Brasil, vestiu as camisas de Guaratinguetá-SP e Guarani-SP.

+ Saiba tudo sobre os brasileiros pelo mundo

Famalicão tem seis vitórias e um empate nas sete partidas da atual temporada, liderando de forma invicta a liga nacional Famalicão tem seis vitórias e um empate nas sete partidas da atual temporada, liderando de forma invicta a liga nacional
Créditos: Divulgação/Assessoria

Confira abaixo outros tópicos da entrevista de Anderson ao site da CBF:

Sucesso e surpresa no Campeonato Português

Sabemos da qualidade dos jogadores, equipe técnica e da estrutura que temos, mas também temos consciência o quanto é difícil o Campeonato Português. Começamos bem, mas queremos continuar a somar mais pontos. Não chegamos a traçar metas de pontos no início, apenas em ir jogo por jogo e acho que esse é um dos fatores importantes para esse início.

Dá para sonhar com torneios europeus na próxima temporada?

É muito cedo. Depois de garantirmos a permanência que pensaremos em outros objetivos, como fazer a melhor classificação do clube na Primeira Liga.

Convivência e carinho da torcida

Cada vez mais as pessoas me conhecem. Temos uma torcida muito forte e muito apaixonada. As pessoas pedem autógrafos e fotografias e é muito bom esse carinho que recebo todos os dias.

Futuro no Famalicão ou desejo de atuar em um grande europeu?

Eu quero continuar a evoluir e deixo nas mãos de Deus. Não o sei o que pode vir, mas certamente que com trabalho poderei chegar ainda mais longe. Por agora me sinto bem em Famalicão e é aqui que gosto de estar, mas no futuro nunca se sabe.

Inspiração brasileira para a posição

Meu ídolo mesmo é o Adriano Imperador. Me inspiro muito na forma que ele jogava, a força física, o chute forte, cabeceio, enfim. Para mim era um camisa 9 completo.