Concurso de redação premia amapaense

Concurso de redação premia amapaense

Jovem Werlysson Mathias, de 14 anos, venceu o concurso de redação com o texto "Água para todo mundo", e foi premiado no intervalo da final da Copa Verde

Final da Copa Verde Paysandu x Atlético - ES - Concurso de redação

Final da Copa Verde Paysandu x Atlético - ES - Concurso de redação

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Final da Copa Verde Paysandu x Atlético - ES - Concurso de redação

Final da Copa Verde Paysandu x Atlético - ES - Concurso de redação

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Final da Copa Verde Paysandu x Atlético - ES - Concurso de redação

Final da Copa Verde Paysandu x Atlético - ES - Concurso de redação

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Final da Copa Verde Paysandu x Atlético - ES - Concurso de redação

Final da Copa Verde Paysandu x Atlético - ES - Concurso de redação

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Final da Copa Verde Paysandu x Atlético - ES - Concurso de redação

Final da Copa Verde Paysandu x Atlético - ES - Concurso de redação

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

A decisão da Copa Verde 2018 teve uma emoção diferente durante o intervalo da partida entre Paysandu-PA e Atlético Itapemirim-ES. Diante das 35 mil pessoas que lotaram o Estádio Olímpico do Mangueirão, em Belém (PA), para assistir a finalíssima, foram anunciados os vencedores do concurso de redação da Copa Verde 2018, uma parceria do Ministério do Meio Ambiente, do Ministério da Educação e da CBF. 

Em um palco especialmente montado para a premiação, o jovem Werlysson Mathias, de 14 anos, teve seu nome chamado como ganhador da melhor redação do concurso, superando os demais finalistas. Morador da periferia de Macapá (AP), Werlysson recebeu das mãos do ministro substituto do Meio Ambiente, Edson Duarte, e do presidente da CBF, Antônio Carlos Nunes. Além disso, ganhou uma camisa da Seleção Brasileira, autografada pelos jogadores, das mãos do Secretário Geral da CBF, Walter Feldman. Para fechar com chave de ouro, Werlysson vai à Foz do Iguaçu (PR), com direito a acompanhante, para conhecer a Usina Hidrelétrica de Itaipu e os projetos sócios ambientais que são desenvolvidos no local. .

Presente ao Mangueirão para acompanhar a decisão e participar da entrega das premiações do concurso de redação, o ministro substituto do Ministério do Meio Ambiente, Edson Duarte, comentou o impacto do futebol como canal de conscientização ambiental. O ministro destacou a mobilização através do esporte e definiu as atividades ligadas à Copa Verde, como o concurso de redação, um modelo para outras competições.

– É emocionante ver esta paixão, esta festa da torcida aqui em Belém (PA). É uma maneira de associar o futebol à uma causa tão nobre como a questão ambiental. Estamos vendo o grande e positivo resultado da Copa Verde como instrumento de mobilização nacional e da juventude, através do concurso de redação, que é mais uma conquista da competição. É um exemplo a ser seguido. Que este sucesso possa ser estendido a outras competições, trazendo a combinação do futebol, educação e meio ambiente – ressaltou o ministro.

A organização, a coordenação e a divulgação do concurso de redação ficaram a cargo do Ministério do Meio Ambiente e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em parceria com o Ministério da Educação e as Comissões Organizadoras Estaduais da V Conferência Nacional Infanto-juvenil pelo Meio Ambiente (CNIJMA). A redação teve como tema “Vamos cuidar do Brasil, cuidando das águas”, o mesmo da Conferência Nacional Infanto-juvenil pelo Meio Ambiente. A intenção foi estimular os alunos a aprofundarem o tema e adquirirem mais conhecimentos e valores sociais relacionados às questões socioambientais.

O concurso foi realizado nos estados onde acontecem os jogos da Copa Verde – Tocantins, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Rondônia, Espírito Santo, Pará, Roraima, Mato Grosso, Acre, Amapá e Amazonas – por adesão voluntária. As premiações vão para os alunos e para as escolas, todas do Ensino Fundamental.

PRÊMIOS

Os finalistas viajaram para a final da Copa Verde, com acompanhante, além de receberem um kit personalizado com mochila, boné, garrafa plástica e camiseta, a trilogia literária “Guerreiros da Amazônia”, uma camisa da Seleção Brasileira e certificado de participação assinado pelo ministro substituto do Meio Ambiente, Edson Duarte, e pelo presidente da CBF, Antônio Carlos Nunes. Já as escolas receberam um computador, entregue pelos jogadores do time e pela federação de futebol local, e a trilogia literária “Guerreiros da Amazônia”.

O vencedor nacional ganhou camisa da Seleção Brasileira de futebol, autografada pelos jogadores, além de uma viagem para Foz do Iguaçu (PR) com acompanhante e certificado de melhor redação do concurso, entregue pelos representantes do Ministério do Meio Ambiente e pelo representante da CBF.

Às escolas participantes, a CBF, organizadora da Copa Verde, e o Instituto de Pesquisas da Amazônia (Ipam), apoiadores do Projeto Guerreiros da Amazônia, disponibilizaram a trilogia “Guerreiros da Amazônia”. Os três livros digitais poderão ser baixados em PDF gratuitamente. Os colégio podem estender esse benefício a todos os professores e alunos que se interessarem. Para os alunos que completarem a leitura dos três livros, serão emitidos certificados digitais.

A Copa Verde é um campeonato de futebol disputado por 18 equipes das regiões Norte e Centro-Oeste e do estado do Espírito Santo. A competição é acompanhada por ações que estimulam a consciência ecológica, como a reciclagem de materiais, aulas de futebol para crianças em situação de vulnerabilidade e compensação das emissões de carbono, além dos concursos de redação sobre temas ambientais.

 

PATROCINADORES

Futebol Brasileiro