Iarley relembra momentos por Internacional e Paysandu: "coração divido"

Iarley relembra momentos por Internacional e Paysandu: "coração divido"

Vencer o Boca em La Bombonera e conquistar o Mundial de Clubes em cima do Barcelona parecem tarefas quase impossíveis, contudo, Iarley sabe bem o que é isso

Yago Pikachu, Iarley. Palmeiras x Paysandu pelo Brasileiro B 2013 no Pacaembu. 17 de Agosto 2013, Sao Paulo, Sao Paulo, Brasil. Foto: Mauro Horita/AGIF

Créditos: Mauro Horita/AGIF

Feitos dentro das quatro linhas nunca se extinguem da história. Derrotar o Boca Juniors dentro de La Bombonera ou ser campeão do Mundial de Clubes em cima do Barcelona, de Ronaldinho Gaúcho, são momentos que nunca sairão da memória de Pedro Iarley Lima Dantas, ou apenas Iarley, que tem uma tarefa difícil como torcedor, nesta quinta-feira (23). Por conta das oitavas de final da Copa do Brasil, o ex-atacante terá que dividir sua gratidão pelo Paysandu e suas principais lembranças com o Internacional, já que os dois se enfrentam no Beira-Rio.

– O coração fica dividido. De um lado o clube que me colocou na vitrine do futebol nacional, no qual joguei a primeira divisão, Libertadores, o jogo contra o Boca Juniors que eu tive a felicidade de fazer o gol. Tenho uma gratidão muito grande com o Paysandu. Do outro lado está o Internacional, time que fui campeão mundial e pude participar das conquistas dos principais títulos. Então, que seja um grande jogo e que vença o melhor – comentou o ex-jogador. 

O Papão em pessoa na Argentina

Enfrentar o Boca na La Bombonera é uma missão quase impossível. Sair vitorioso, ou pelo menos com um empate, é como conquistar um título. Até o ano de 2003, apenas dois clubes brasileiros haviam conseguido derrotar a equipe argentina fora de casa na Libertadores: o Santos de Pelé, em 1963, e o Cruzeiro de Ronaldo, em 1994. Só que feitos dentro das quatro linhas nunca se extinguem, e o feito de Iarley, no dia 24 de abril de 2003, entrou para a história. 

– Esse jogo foi um divisor de águas. Após ganhar muita bagagem na Espanha, no Real Madrid, e conseguir colocar em prática no Ceará, uma partida daquela grandeza, contra o todo poderoso Boca Juniors, na Bombonera, era um duelo que eu estava esperando para demonstrar meu futebol e mostrar para todos o meu potencial – relembrou o "pequeno grande homem", como era conhecido por sua estatura e seu tamanho no futebol. 

Curiosamente não somente o gol contra o clube argentino, mas a campanha mostrou-se especialmente boa para Iarley, que foi contratado pelo próprio Boca em julho. Pelo clube atuaria na conquista do Clausura e do Mundial de 2003. Impressionou na primeira temporada, ganhando a torcida especialmente por ter feito o gol da vitória em um clássico contra o River Plate. 

Iarley entrou para a história do Paysandu, mesmo que só tenha conquistado um título em 2013: o Campeonato Paraense Iarley entrou para a história do Paysandu, mesmo que só tenha conquistado um título em 2013: o Campeonato Paraense
Créditos: Daniel Garcia/AFP

O pequeno grande campeão mundial

O espírito vencedor foi chamado para Porto Alegre. O clamor por uma Libertadores levou  Iarley a viver seu apogeu. A América em agosto e o Mundo em Dezembro. Com um passe perfeito, ajudou o contestado Gabiru a conhecer a glória. Recopa de 2007, Gaúcho de 2008. Momentos inesquecíveis para o cearense de Quixeramobim, cidade a 200km de Fortaleza, que saiu de casa com o intuito de abraçar o mundo. E conseguiu. Duas vezes.

– Eu tive sempre bons momentos por todo time que passei. Eu era um jogador muito regular, normalmente eu jogava bem, dificilmente eu tinha uma atuação abaixo. Mas claro, por se tratar de uma Libertadores, de uma Recopa, de Mundial, é quando o jogador se destaca. Então, sem dúvidas, as atuações para a conquistas desses títulos tenham uma expressão maior – relembrou o ex-jogador, em entrevista exclusiva para o site da CBF

Iarley ficou marcado não somente pelo passe, mas por ter segurado a bola para o fim do jogo e a conquista do Mundial Iarley ficou marcado não somente pelo passe, mas por ter segurado a bola para o fim do jogo e a conquista do Mundial
Créditos: Shizuo Kambayashi

Nesta quinta-feira o Internacional recebe, no Beira-Rio, em Porto Alegre, o Paysandu, às 20h. Iarley está marcado na história dos dois clubes e sabe disso. Para o jogador foram momentos diferentes vividos, contudo, com emoções que se equiparam. Vê-los em campo não será tarefa fácil para Iarley. Mas para um jogador que venceu o Boca em La Bombonera e foi campeão Mundial em cima do Barcelona, o coração, que está dividido, aguentará essa emoção.

– Foram momentos diferentes. Mas com uma grandeza de proporções inimagináveis. Ganhar do Boca Juniors na Bombonera é como se fosse um título Mundial. No Inter, a Libertadores era um título que não tinham ainda. Graças a Deus tive a felicidade de não somente ganhar a competição continental como ser conquistar o mundo também. Então com certeza a minha história esta marcada nos dois clubes – relembrou o jogador. 

PATROCINADORES

Futebol Brasileiro NikeItaúVIVOGuaraná AntárticaMastercardGOLGrupo CIMEDSEMP TCLFIATUltrafarmaEnglish LiveTechnogymStatsports3 Corações