Coringa do Fluminense, Caio Henrique analisa Cruzeiro: 'Duelo de camisas pesadas'

Coringa do Fluminense, Caio Henrique analisa Cruzeiro: 'Duelo de camisas pesadas'

Jogador de multifunções ressurge no Fluminense e é um dos queridos da torcida

Caio Henrique - Fluminense

Créditos: Lucas Merçon/Fluminense

Vindo do Atlético de Madrid, Caio Henrique chegou cercado por dúvidas. O jogador coringa, que viria a atuar em diversas posições, esteve no elenco rebaixado do Paraná, em 2018. Em 2019, o polivalente atleta - volante, meio campista, camisa 10, falso 9 e lateral esquerdo - ressurge no futebol como uma das armas de Fernando Diniz para a primeira batalha na Copa do Brasil, diante do Cruzeiro, no Maracanã, nesta quarta-feira às 21h30.

Todo garoto sonha com alguma coisa, e não é diferente com Caio. Aos 21 anos, o paulista oriundo de Santos é um dos destaques do Tricolor carioca e busca algo a mais na carreira. Mudar de posição não é um obstáculo, e as lições do treinador valem muito para que continue evoluindo. 

– Eu estou sempre buscando ajudar a equipe do Fluminense onde for necessário. O professor Diniz me conhece muito bem, sabe onde posso render, então eu estou sempre à disposição – comentou o jogador.

Em 2018, o Coringa, sem oportunidade na Espanha, voltou para o Brasil em busca da competição que sempre desejou atuar, já que havia saído ainda na base. A ideia inicial era jogar pelo Fluminense, mas veio a encontrar um velho conhecido no Paraná. Rogério Micale, técnico em que jogou como primeiro volante no Sul-Americano Sub-20, pôs Caio como camisa 10 no Paraná. 

- Como eu já falei algumas vezes, eu saí muito cedo do Brasil. Tive uma experiência muito positiva na Europa, no Atlético de Madrid, mas jogar uma Série A é algo que eu queria muito na minha carreira. Voltei pra cá em um projeto do Paraná, mas as coisas não saíram coletivamente como esperávamos. Estou feliz que estou em uma grande equipe e vivendo um grande momento – analisou Caio, em entrevista exclusiva para o site da CBF. 

Mesmo que Micale já o conhecia como volante, pela atuação no Sul Americano Sub-20, Caio Henrique atuou como camisa 10 no Paraná Mesmo que Micale já o conhecia como volante, pela atuação no Sul Americano Sub-20, Caio Henrique atuou como camisa 10 no Paraná
Créditos: Jason Silva/AGIF

Nesta quarta-feira (15), o Fluminense recebe o Cruzeiro no Maracanã. Se levar pelo retrospecto, o torcedor carioca pode se animar. O Tricolor possui 34 vitórias, contra 26 da Raposa. Além disso, no único confronto entre as equipes pela competição, o Cruzeiro foi eliminado. Para Caio, isso não entra em campo. 

– São realidades diferentes, equipes diferentes. Cada jogo, cada decisão desse tamanho, tem a sua história. Respeitamos tudo que essas duas equipes já construíram, toda a história desse confronto, mas não trazemos isso como incentivo em um jogo desses. A própria importância da Copa do Brasil já é incentivo o suficiente – comentou o lateral. 

Dentro de casa o Fluminense tem a chance de abrir uma vantagem diante de seu torcedor. Na Copa do Brasil deste ano, o Tricolor ainda não foi derrotado em seus domínios. Caio crê que um jogo como esse é para dar o melhor de si e mostrar a força do Fluminense dentro de casa. 

– É um duelo de duas camisas pesadas, então vamos ter chance de, ao lado de nossa torcida, fazer valer isso e executar um grande jogo. Sabemos da força do Cruzeiro, mas vamos em busca de fazer um grande jogo – concluiu. 

PATROCINADORES

Futebol Brasileiro Mastercard GOL CIMED SEM TCL FIAT English Live Ultrafarma Technogym Statsports