Gustavo Almeida prevê confronto estudado na final do Brasileiro Sub-17

Gustavo Almeida prevê confronto estudado na final do Brasileiro Sub-17

Treinador do Corinthians valoriza oportunidade de estar numa final com o Timão, elogia o Flamengo e destaca equilíbrio do confronto

Gustavo Almeida, técnico do Corinthians Sub-17

Créditos: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians

Da beira do campo, Gustavo Almeida tem uma missão neste sábado: comandar o Corinthians na final do Brasileiro Sub-17, contra o Flamengo. Na primeira edição do torneio, o Timão já chegou à decisão e começa a disputa pelo título no Pacaembu, às 10h (horário de Brasília).

Técnico do Corinthians desde o começo do ano, Gustavo se prepara para o seu maior desafio desde que assumiu o trabalho no Parque São Jorge. Contra uma das melhores bases do país, o comandante alvinegro sabe que o jogo não será fácil. 

- Vai ser um confronto muito estudado, tanto da parte do Flamengo como da nossa. A gente conhece os profissionais que lá estão e sabemos da competência que eles tem para fazer análise do adversário. E do nosso lado a mesma forma. Vai ser um jogo de detalhe, de estudo, mas acima de tudo um jogo de quem souber controlar melhor o emocional e lidar com essa situação de final - destacou.

Neste Brasileiro Sub-17, Flamengo e Corinthians já se enfrentaram. Na primeira fase, em jogo único, o Rubro-negro levou a melhor na Gávea e venceu por 2 a 0, com dois gols de Lázaro. Para o confronto deste sábado, Gustavo prevê alguns ajustes para sair com a vitória.

Em relação às últimas atuações do Corinthians no Brasileiro, o técnico identificou alguns erros nos momentos finais de ataque.

- Temos pontos a melhorar e ajustar em relação ao confronto. Acho que a gente é um time com potencial pra fazer muitos gols e isso nem sempre tem acontecido. Às vezes o último passe, um desajuste de coordenação de movimento na última linha, mas é um fator para a gente crescer nesse processo final. Essa parte final do jogo também é o mais difícil de ajustar, então é isso que a gente vem procurando melhorar - frisou o técnico.

Nas divisões de base, há sempre um dilema sobre a importância dos títulos. É claro que conquistar taças dificilmente será um sinal ruim, mas não é o principal objetivo do trabalho de formação dos clubes. Com currículo extenso de trabalho nas categorias de base, Gustavo sabe disso. Mas, independente do resultado, vê a final como um sinal de que as coisas estão sendo bem feitas no Corinthians. 

- Significa que a gente está dando passos na direção certa. A gente entende que isso não é o fim, mas sim uma parte do caminho. É um indicador de que o trabalho está sendo bem feito. Estar numa final com o Corinthians é uma grandeza enorme, uma responsabilidade, mas acima de tudo uma oportunidade gigante - concluiu.

PATROCINADORES

Futebol Brasileiro