Brasileiro Feminino A-1: conheça os 16 clubes na disputa

Brasileiro Feminino A-1: conheça os 16 clubes na disputa

Elite do futebol nacional terá 16 times na briga pela taça do A-1. Veja estatísticas e curiosidades sobre todos os clubes participantes

Times que disputarão o Campeonato Brasileiro Feminino A-1 em 2019 Times que disputarão o Campeonato Brasileiro Feminino A-1 em 2019
Créditos: CBF

Neste sábado (16), a bola rolará pela primeira vez no Campeonato Brasileiro Feminino A-1 de 2019. Na fase inicial, 16 clubes estarão na briga pelo título nacional em um único grupo - o torneio sofreu algumas modificações para esta temporada. Mas você conhece tudo sobre as equipes na disputa? Confira as principais curiosidades dos times da elite feminina do Brasil, incluindo artilheiras, melhores campanhas no Brasileiro... Veja abaixo!

- Audax-SP

O clube paulista estreou na Série A-1 em 2017 e permanece na elite do Brasileiro Feminino desde então. Em sua primeira campanha, o Audax avançou até as quartas de final, mas acabou sendo eliminado pelo Santos - que posteriormente se tornaria o campeão daquele ano. Essa foi a melhor participação da equipe de Osasco no torneio, tendo em vista que as alvirrubras não chegaram às quartas em 2018. Paola Villamizar foi a artilheira do Audax na última temporada, mas a jogadora deixou o clube. 

- Corinthians-SP

BRASILEIRAO FEMININO 2018 - CORINTHIANS X RIO PRETO Corinthians é o atual campeão do Brasileirão Feminino A-1
Créditos: Mauro Horita

O atual campeão do Brasileirão Feminino A-1 coleciona momentos vitoriosos no campeonato nacional. Ano passado, as meninas do Timão chegaram invictas ao título inédito. Adriana Leal, atacante do clube paulista, ficou em segundo lugar da artilharia da competição, com 14 gols nos 19 jogos disputados. Além de Adriana, Millene e Gabi Zanotti foram se destacam entre as atletas corinthianas, com passagens pela Seleção Brasileira. Em 2011, Millene foi convocada para o Sul-Americano Sub-15 e no ano passado vestiu a camisa da seleção na Copa América, a atacante marcou um gol. A meia, Gabi Zanotti, participou do Mundial Feminino e dos Jogos Pan-Americanos em 2015.

A campanha das campeãs rendeu, além da taça do campeonato, quatro troféus no Prêmio Brasileirão 2018. ​Yasmin foi premiada como melhor lateral esquerda, Gabi Zanotti como melhor atacante e Adriana como melhor meio-campista e craque da competição. Além de Arthur Elias, que faturou o título de melhor técnico.

​No próximo sábado (16), o Corinthians estreia em duelo com a Ponte Preta.

- Ferroviária-SP

Tatiele Silveira, treinadora do Ferroviária-SP Tatiele Silveira, treinadora da Ferroviária, concluiu Licença A da CBF
Créditos: Jonatan Dutra/AFE

Em 2014, as Guerreiras Grenás levantaram a taça do Brasileirão Feminino após traçarem a melhor campanha do clube, com a artilheira da competição, a meia Raquel Fernandes, que marcou 17 gols, durante os 14 jogos disputados pelo time de Araraquara. Vale lembrar que a Ferroviária é a maior goleadora da história do Campeonato Brasileiro Feminino. No ano do título, o clube fez 16 a 1 no Pinheirense em um duelo da segunda fase, na Arena da Fonte Luminosa, em Araraquara (SP).

Em 2018, a campanha da Ferroviária levou as meninas até as Semifinais do campeonato e o destaque foi novamente, Raquel, que foi às redes em seis oportunidades. A jogadora já tem em seu histórico muitos momentos com a Amarelinha. Raquel participou da Copa América em 2018 e 2014. Já em 2015, defendeu a Seleção nos Jogos Pan-Americanos e Mundial Feminino. Em 2008, também defendeu o país no Mundial Sub-17.

Este ano, o clube paulista enfrenta o Kindermann na primeira rodada do Brasileirão Feminino, no Carlos Alberto Costa Neves, em Caçador (SC), no próximo domingo (17), às 16h.

- Flamengo

Flamengo x Corinthians pela semi-final do Brasileirão Feminino série A-1 Flamengo caiu nas semifinais do Brasileirão Feminino A-1 2018
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Um dos times de maior tradição no futebol feminino nacional, o Flamengo vai em busca do bicampeonato do Brasileiro Feminino A-1. Em 2016, o Rubro-Negro levantou o troféu após superar o Rio Preto. Nos atuais moldes, em parceria com a Marinha, a equipe carioca mantém uma equipe da modalidade desde 2015. Uma das jogadoras de destaque no plantel é Dany Helena, artilheira do Brasileirão Feminino 2018 e com passagem pela Seleção Brasileira. O Flamengo estreia em clássico contra o Iranduba, às 18h de domingo (17), na Arena da Amazônia.

Veja mais: CBF e Twitter fecham acordo para transmissão do Brasileiro Feminino

- Foz Cataratas-PR

O Foz Cataratas chega para a briga em 2019 após uma eliminação precoce na edição passada. Em 2018, o clube caiu ainda na primeira fase da competição nacional, tendo ficado em quinto lugar (de quatro vagas) do grupo 2. A equipe paranaense esteve presente em todas as edições do Feminino A-1 - logo na estreia, em 2013, o clube ficou com o terceiro lugar, sua melhor campanha até os dias de hoje. O Foz Cataratas estreia neste domingo (17), às 15h de Brasília, diante do Santos-SP.

- Internacional

Internacional Feminino Internacional irá estrear na elite feminina nacional em 2019
Créditos: Mariana Capra/SC Internacional

Após ficar com a vaga deixada pelo Rio Preto-SP, o Internacional é outro estreante no Brasileiro Feminino A-1. As Gurias Coloradas somam seis vitórias, três empates e uma derrota no torneio nacional em 2018. O projeto da modalidade no clube gaúcho foi retomado em 2017; no ano passado, as mulheres coloradas ficaram com o vice-campeonato do Gaúcho. Com 22 gols em 2018, sendo seis na Série A2, Daiane Moretti foi a artilheira do clube na temporada. No próximo domingo (17), o Internacional faz sua estreia na Série A-1 diante do Vitória-PE, no Barbosão, em Chá Grande (PE).

- Iranduba

Um dos principais clubes da modalidade no país, o Iranduba acumula 56 jogos disputados ao longo de seis edições do Feminino A-1; o Hulk da Amazônia tem 24 vitórias, 12 empates e 20 derrotas na competição. Com nomes como Andressinha e Djenifer, o clube vai em busca do bicampeonato após o título em 2015. No ano passado, a equipe avançou até a segunda fase do Brasileirão, sendo eliminada pelo Rio Preto-SP; já na Libertadores da América, o clube ficou com a terceira colocação.

- Kindermann-SC

O clube de Caçador (SC) fez sua melhor campanha na Série A-1, em 2014, tendo sido superado pela Ferroviária-SP. No ano seguinte, em 2015, o Kindermann conquistou seu maior título ao levantar o troféu da Copa do Brasil. O clube aurinegro acumula 54 jogos na elite do Feminino, com 26 vitórias, 11 empates e 17 derrotas. Na última campanha, em 2018, a equipe catarinense foi eliminada pelo Flamengo na segunda fase; a artilheira do Kindermann no ano foi Neném, com 18 gols marcados (16 no Brasileiro).

Veja mais: Guia do Brasileiro Feminino A-1: tudo sobre a elite do futebol nacional

- Minas Icesp-DF

Estreante na Série A-1, o Minas Icesp chega para a disputa embalado: o clube do Distrito Federal conseguiu a vaga na elite após garantir o título do Brasileiro A2 em 2018, superando o Vitória na final em disputa de pênaltis (triunfo por 4 a 3). Na segunda divisão, o clube acumula oito vitórias, três empates e uma derrota. No estádio Maria Abadia, o Minas Icesp-DF abre a disputa na elite às 15h (Brasília) deste sábado (16), diante do São José-SP.

- Ponte Preta

Ponte Preta Feminino Ponte Preta irá estrear diante do Corinthians
Créditos: Divulgação/Ponte Preta

A Ponte Preta, tradicional time campineiro, ainda não conquistou um título do Campeonato Brasileiro mas, este ano, o elenco está de cara nova. A equipe irá reunir algumas jogadoras que faziam parte de um dos times mais vitoriosos da modalidade feminina, que é o Juventude de Rio Preto – equipe de São José do Rio Preto. Em 2015, a equipe rio pretense levou o título do Brasileiro Feminino e no ano passado, chegou à final do campeonato.  No Prêmio Brasileirão 2018, a atacante Kerolin levou o troféu de revelação do campeonato. A atleta, parte essencial da Ponte Preta-SP, também se destaca na Seleção Brasileira Sub-20.

Em 2019, o clube de Campinas estreia no Brasileiro Feminino A-1 em duelo com o Corinthians, atual campeão da disputa nacional. A partida será no próximo sábado (16), às 16h, no Estádio Manuel Ferreira, em Balsamo (SP). ​

- São Francisco-BA

 

O São Francisco participou das seis edições do Campeonato Brasileiro Feminino e fez sua melhor campanha em 2013, ano em que ficou em 6º lugar da disputa. A artilheira do time foi a atacante Larissa Cheles, com quatro gols marcados. Este ano, as meninas do clube baiano irão enfrentar o Sport-PE, na próxima quarta-feira (20), às 15h​, no Junqueira Ayres, em São Francisco do Conde (BA).

- São José-SP

São José foi campeão da Libertadores em 2013 São José foi campeão da Libertadores em 2013
Créditos: Tião Martins/PMSJC

O São José-SP ainda não garantiu um título do Campeonato Brasileiro Feminino, mas já chegou perto. Em 2013, na primeira edição da competição, e em 2015, a Águia do Vale foi até a final, mas não levou a melhor nas disputas. Em 2015, o São José fez sua melhor campanha e teve a atacante Francisleide dos Santos Barbosa, conhecida como Chú, em segundo lugar na artilharia do Brasileiro A-1, com a marca de 13 gols em 11 jogos disputados. A atleta já passou pela Seleção Brasileira na Copa América de 2014.

No ano passado, a atacante Michele Carioca, artilheira do clube do Vale, marcou seis gols e se destacou entre as meninas do time paulista.

Em 2019, a equipe do São José irá contar com Poliana. A lateral-direita estava com a seleção brasileira na disputa da She Believes Cup e é campeã do Mundial e da Libertadores com o São José. A jogadora pode entrar logo na primeira rodada de 2019 contra o Minas Icesp-DF, às 15h, no Maria Abadia, em Ceilândia (DF)​.

- Santos


Santos foi da Campeão da série A1 do Brasileirão Santos foi campeão da quinta edição do Brasileiro Feminino A-1, em 2011, após superar o rival Corinthians
Créditos: Divulgação/Santos

Em 2017, o Santos levou o título da série A-1 do Brasileirão e também fez a melhor campanha da história da competição. No ano passado, o Peixe também construiu uma trajetória que deu retornos importantes ao clube. No Prêmio Brasileirão 2018, Maurine levou o troféu de melhor lateral-direita, Tayla faturou o de melhor zagueira e Brena, de melhor volante. O clube paulista terminou a disputa com o posto de melhor ataque, com 49 gols nos 16 jogos, além de ter sido a equipe que mais fez goleadas. Entre as artilheiras, Rosana, que já participou de 11 competições com a Seleção Brasileira, ocupou o terceiro lugar, com 12 gols durante 15 jogos do Brasileirão.

Na primeira rodada do Brasileiro A-1 deste ano, o Santos irá duelar com o Foz Cataratas-PR, às 15h, no Coronel Francisco Vieira, Itapira (SP).

- Sport


Sport Feminino Sport vai estrear contra o São Francisco do Conde-BA
Créditos: Anderson Freire/Sport Club do Recife

A equipe feminina do Sport Clube de Recife estreou na série A1 do Campeonato Brasileiro Feminino em 2014 e retornou à elite da competição em 2017. No ano passado, a atacante Karla Beatriz, mais conhecida como Bea, foi a artilheira do Leão da Ilha, com cinco gols marcados. Na primeira rodada do Brasileirão de 2019, o Sport enfrenta o São Francisco-BA. A partida será na próxima quarta-feira (20), às 15h, no Junqueira Ayres, em São Francisco do Conde (BA).

 

- Vitória-BA

Rebaixado em 2017 à Série A2, o Vitória reencontra a elite do Brasileiro Feminino em 2019 após o vice-campeonato da segunda divisão no ano passado. As Leoas foram campeãs baianas em 2016. No Brasileiro, a melhor campanha foi das rubro-negras também foi em 2016, quando caíram na fase de grupos, tendo ficado com o quarto lugar no grupo 3. O Vitória estreia na Série A-1 do Feminino neste sábado, às 17h, contra o Audax, no Barradão.

- Vitória-PE

Vitória-PE é o time feminino com mais títulos no Brasil Vitória-PE é o time feminino com mais títulos no Brasil, com dez troféus
Créditos: Divulgação/Vitória-PE

A Vitória das Tabocas participou de todas as edições da série A-1 do Campeonato Brasileiro Feminino e está mais uma vez na disputa deste ano. O clube de Pernambuco fundado em 2008 ainda não alcançou as fases finais da competição e só passou da Primeira Fase na edição de estreia, em 2013. Naquele ano, a atacante Duda foi a artilheira do time, com seis gols nos sete jogos disputados. A jogadora já vestiu a Amarelinha no Mundial de Sub-20 Feminino em 2014. A estreia da equipe Tricolor em 2019 será contra o Internacional-RS, no próximo domingo (17), às 15h, no Barbosão, em Chá Grande (PE). O Inter subiu da série A2, após a desistência do Rio Preto-SP.

PATROCINADORES

Futebol Brasileiro Nike Itaú VIVO Guaraná Antártica Mastercard GOL CIMED Semp TCL FIAT 3 Corações Techno GYM STAT Sports