Surpresas, emoções e muito PES: relembre as finais do e-Brasileirão

Surpresas, emoções e muito PES: relembre as finais do e-Brasileirão

Bicampeonato de HenrykinhO, recorde de inscritos e finais eletrizantes: isso e muito mais nos quatro anos do campeonato

Troféu e-Brasileirão 2019 Troféu e-Brasileirão 2019
Créditos: Thais Magalhães/CBF

A bola vai voltar a rolar nos gramados virtuais de todo o Brasil! Está chegando a 5° edição do o e-Brasileirão 2020,o maior campeonato de futebol virtual do país. As inscrições se encerraram na última sexta-feira (15) e atingiram a marca de 37.743 inscritos. Agora é a hora de acompanhar a definição de quem será o representante de cada clube no torneio. Pegue o seu controle, escolha o seu nickname e se prepare para mais um ano de emoções.

Esse ano o regulamento sofreu algumas alterações por conta da pandemia da Covid-19. Nesta edição, o e-Brasileirão não terá seletivas presenciais nos estádios, seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Mas o canal oficial do e-Brasileirão no YouTube transmitirá os jogos da disputa. Da primeira fase qualificatória online, sairão 32 representantes de cada time, que se enfrentam para descobrir quem será o nome do clube na edição. Depois que os 20 times da elite do futebol possuírem um player definido, começará a etapa dos pontos corridos. Serão, ao todo, 18 rodadas online, antes da 19ª, presencial na sede da CBF, no mesmo dia em que o campeão é conhecido.

Por enquanto, o troféu do e-Brasileirão só passou por mãos de jogadores de clubes do Sudeste, mas não significa que as outras regiões não tenham marcado seus nomes na disputa. Nessas quatro edições, representantes de Sport, Ceará, Fortaleza, Atlético-GO, Coritiba, Athletico-PR e Avaí já marcaram presença nas semifinais e finais.

Mas enquanto a gente não descobre os fanáticos por games que vão representar os 20 clube brasileiros em 2020, vamos relembrar como foram as edições passadas para já entrar no clima da competição.

Começo expressivo

O e-Brasileirão já nasceu fazendo sucesso Brasil afora. Em sua primeira edição, em 2016, contou com cerca de 9 mil inscritos  e participação de jovens de vários cantos do país, mostrando a pluralidade do mundo digital.

Chegaram às primeiras semifinais Guilherme Fonseca, do Santos, Thiago de Souza, do Fluminense, Iago Kellwen, do Sport, e Cláudio Henrique, do Cruzeiro. O resultado desses confrontos levaram o Peixe e a Raposa para a grande final.

GuiFera, como é conhecido o representante do Santos no mundo dos games, foi o primeiro vencedor da competição. Ele superou HenrykinhO, do Cruzeiro, na decisão, com uma vitória por 4 a 2 e uma derrota por 2 a 1. Tentando mais uma vez um lugar na disputa, o primeiro campeão falou sobre o e-Brasileirão.

- Para mim, foi a realização de um sonho defender o Santos, que é o meu clube do coração. Acabei concretizando isso e ser campeão na primeira edição foi ainda mais especial - conta GuiFera.

A ascensão de HenrykinhO

Depois de bater na trave no ano anterior, HenrykinhO se consagrou o campeão da segunda edição do campeonato ao vencer Walber Mendes, defensor do Atlético Goianiense, por 2 a 0 nos dois confrontos finais. Ele era o participante mais jovem daquele ano, mas já tinha uma final na bagagem para aumentar a sua confiança rumo ao lugar mais alto do pódio.

O player Walber, por sua vez, estreou na competição já com o vice-campeonato. Durante a campanha, eliminou GuiFera, que defendia seu título, ainda na fase de grupos. HenrykinhO não chegou a enfrentar o seu rival da final anterior, mas sua trajetória na edição o fez vencer o Corinthians nas quartas de final e o Coritiba nas semifinais. 

-Meu sonho de criança sempre foi jogar no Cruzeiro, mas não esperava que fosse pelo futebol digital. O e-Brasileirão me proporcionou isso e puder defender o meu clube do coração - afirma HenrykinhO.

Nesta edição, o e-Brasileirão voltou a crescer e teve mais de 14 mil inscritos e cerca de 4 mil partidas disputadas até sua fase final.

O bicampeonato celeste

A terceira edição veio com mais um recorde de inscritos: mais de 18 mil pessoas participaram das seletivas na corrida para representar seus clubes do coração no e-Brasileirão. A classificação foi novamente conquistada em estádios pelo Brasil e contou com uma novidade pioneira: o Palmeiras teve a primeira participação feminina em uma seletiva presencial, com Monik Bisoni. A player foi até o Allianz Parque para tentar conquistar a vaga de representante do Palmeiras. Porém, quem levou a melhor foi o veterano Luiz Torres, em sua terceira vez indo às finais pelo Verdão.

Adversário a ser batido, Henrykinho voltou a mostrar sua força durante o e-Brasileirão. Na semifinal, enfrentou João Victor, do Ceará, o "AmigoPes". Com apenas 14 anos, o representante do Vozão deu trabalho, mas o cruzeirense levou a melhor nos dois jogos e garantiu sua vaga.

Na outra chave, Allan Leal, do Botafogo, e Rudy Lucas, do Athletico-PR, mediram forças. O carioca também venceu os dois jogos e conseguiu a classificação. Na final, HenrykinhO levou a melhor sobre Allan, que foi derrotado nas duas partidas e ficou com o vice-campeonato, o segundo título do cruzeirense.

Novo campeão

Com novo recorde de inscrições, a edição de 2019 do e-Brasileirão apresentou um novo campeão. Entre mais de 24 mil jogadores inscritos, foi Thiago Avaré, do São Paulo, quem conquistou o campeonato pela última vez.

A sede da CBF reuniu uma disputa cheia de novas caras e surpresas. Entre elas estava Eduardo Spek, do Avaí, o Eduardinho, que goleou o Vasco de Kaique Bernardo por 11 a 5. O representante do clube catarinense parou na semifinal, contra o próprio Avaré. Outra revelação do torneio foi o Fortaleza de Joel Sapo foi deixando favoritos para trás e despontou como um dos candidatos ao título. A final foi entre ele e Avaré, que disputaram uma decisão inédita no e-Brasileirão.

Com dois confrontos emocionantes, incluindo uma virada no jogo de ida, o representante do time paulista venceu por 6 a 2 no placar agregado. Em busca do bicampeonato, Avaré olha com orgulho para o passado e exalta a oportunidade de mostrar seu futebol virtual em um palco como esse.

- Ganhei visibilidade, fui convidado para vários eventos e ainda assinei com a e-Liga Sul. Ter um campeonato desse tamanho organizado pela CBF é muito legal, porque dá muita credibilidade para os jogos virtuais. Nós, jogadores, ficamos conhecidos, os clubes acabam se interessando e nos contratam. Organizar um evento do tamanho que é, com certeza, faz toda a diferença - declara Avaré.

Participantes da Segunda Fase do e-Brasileirão 2019 Participantes da Segunda Fase do e-Brasileirão 2019
Créditos: Thais Magalhães/CBF

Quem leva em 2020?

A oportunidade de representar o clube do coração em uma competição de jogos digitais fez os jovens brasileiros recarregarem as energias com o futebol, e o crescente no número de inscritos anualmente confirma isso. O novo recorde nas inscrições já indica que a edição 2020 será gigante. E os torcedores podem acompanhar o calendário do torneio através do site do e-Brasileirão e acompanhar as seletivas do seu clube. Quem será o próximo a levantar a taça? Fique ligado!

PATROCINADORES

Futebol Brasileiro Nike Itaú VIVO Guaraná Antártica Mastercard GOL CIMED Semp TCL FIAT 3 Corações Techno GYM STAT Sports