Tabela da Copa do Brasil Sub-20

Copa do Brasil de Futebol Sub-20 - 2012

Ano

Jogos

G31
Ter, 11/12/2012 20:00 - GRUPO G31 | Jogo: 61
Vitória - BA
4 x 1
Atlético - MG
Manoel Barradas - Salvador - BA
Como foi o jogo
Sáb, 15/12/2012 21:00 - GRUPO G31 | Jogo: 62 - 1 alteração
Atlético - MG
2 x 1
Vitória - BA
Arena do Jacaré - Sete Lagoas - MG
Como foi o jogo

Última atualização efetuada em 19/12/2018 02:39.

Ver os jogos de hoje.

Documentos

CAPÍTULO I

Da Denominação e Participação

 

Art. 1º – A Copa do Brasil Sub 20, edição de 2012, doravante denominada simplesmente Copa é regida por dois regulamentos, como se seguem:

 

a) Regulamento Específico da Competição (REC) – o qual trata do sistema de disputa e outros assuntos específicos da Copa.

 

b) Regulamento Geral das Competições (RGC) – o qual trata dos assuntos comuns a todas as competições coordenadas pela CBF.

 

Art. 2º - O campeonato será disputado na forma deste regulamento pelos trinta e dois clubes identificados no Anexo A - Relação de Clubes Participantes, em conformidade com os critérios técnicos de participação estabelecidos do artigo 3º.

 

Art. 3º - Os critérios técnicos de participação dos clubes no campeonato são os seguintes:

 

Critério 1:  Ter sido um dos clubes integrantes do Campeonato Brasileiro da Série A em 2011 (20 clubes);

 

Critério 2: Ter sido um dos 12 primeiros clubes colocados no Campeonato Brasileiro da Série B em 2011 (12 clubes);

 


CAPÍTULO II

Do Troféu e dos Títulos

 

Art. 4º Ao clube vencedor da Copa será atribuído o título de Campeão da Copa do Brasil Sub 20 de 2012 e ao segundo colocado o título de Vice-Campeão da Copa do Brasil Sub 20 de 2012.

 

§ 1º O troféu representativo da Copa denominar-se-á Troféu Campeão da Copa do Brasil Sub 20 de 2012, cuja posse será assegurada ao clube que a conquistar.

 

 

 


               

         § 2º O clube que conquistar o título de campeão receberá o troféu correspondente e 50 medalhas douradas destinadas aos seus atletas, comissão técnica e dirigentes; o clube vice-campeão receberá 50 medalhas prateadas, com a mesma destinação.

 

§ 3º A DCO publicará as diretrizes relativas à entrega de troféu e medalhas da competição, fazendo-o até o início da fase semifinal da competição.

 

§ 4º A CBF não permite e não autoriza a reprodução do troféu e das medalhas distribuídos aos clubes campeão e vice; a CBF pode autorizar, mediante solicitação, a produção de troféus em dimensões menores do que o troféu original.

 

§ 5º A CBF poderá negociar comercialmente a adoção de uma outra denominação para o troféu do campeão da Copa do Brasil Sub 20 de 2012, através de contrato com um patrocinador específico.

 

Art. 5º - Os clubes campeão e vice da Copa do Brasil Sub 20 de 2012 terão vagas asseguradas na Copa Libertadores da América sub 20 de 2013.

 

CAPÍTULO III

Da Condição de Jogo dos Atletas

 

Art. 6º – Somente poderão participar do campeonato os atletas que tenham sido registrados na DRT e cujos nomes constem do BID publicado até o último dia útil que anteceder à cada partida.

 

Parágrafo Único Inscrições de novos atletas para utilização na Copa poderão ser feitas até o último dia útil anterior ao início da terceira fase da competição.

 

Art. 7º – Terão condição de jogo os atletas nascidos a partir de 1992.

1

 

 

§ 1º A copa é restrita à categoria sub 20.

 

§ 2º - É permitida a inscrição de atletas com registro de profissionais, desde que nascidos a partir de 1992.

 

Art. 8º Todas as referências ao BID aqui expressas devem considerar o BID-e e/ou o DURT-e conforme trata o Capítulo IV do RGC.

 

 

 

CAPÍTULO IV

Do Sistema de Disputa

 

Art. 9º – A Copa será disputada em cinco fases, de acordo com o disposto neste capítulo, no sistema de eliminatórias simples, em cada fase em partidas de ida e volta.

 

Art. 10º - Os clubes serão distribuídos em grupos de dois, em cada fase, sempre classificando-se um clube para a fase seguinte, observando a seguinte sequência de fases:

 

1) Primeira Fase (16ª de final): 32 clubes distribuídos em 16 grupos de dois clubes;

2) Segunda Fase (oitavas de final): 16 clubes distribuídos em oito grupos de dois clubes;

3) Terceira Fase (quartas de final): oito clubes distribuídos em quatro grupos de dois clubes;

4) Quarta Fase (semifinal): quatro clubes distribuídos em dois grupos de dois clube;

5) Quinta Fase (final): em um grupo de dois clubes, de onde sairá o campeão da Copa.

 

Parágrafo Único – Em todas as fases, os clubes começarão com zero ponto.

 

Art. 11º A composição dos grupos, para todas as fases da Copa é a constante do Anexo B do presente REC.

 

         Art. 12º – O clube que somar o maior número de pontos ganhos ao final das duas partidas em disputa dentro do próprio grupo, em cada fase, estará classificado para compor os grupos das fases seguintes.

 

Art. 13º – Na primeira fase, caso o clube visitante vença a primeira partida por dois gols ou mais de diferença, estará automaticamente classificado, sem a necessidade da realização da partida de volta.

 

Art. 14º – Os critérios de desempate para indicar o classificado quando houver igualdade em pontos ganhos ao final das duas partidas de cada grupo, em cada fase, serão os seguintes, aplicáveis à fase e nessa ordem:

 

1º)     Maior saldo de gols;

2º)     Maior número de gols pró assinalados no campo do adversário;

3º)     Cobrança de pênaltis, de acordo com os critérios adotados pela International          Board.

 

 

 

 

§ 1º – A disputa de pênaltis, quando aplicável, deverá ser iniciada 10 minutos após o término da partida de volta.

§ 2º – Caso dois clubes de uma mesma cidade joguem as duas partidas no mesmo estádio, o qual será considerado neutro, não será aplicado o item 2º do presente artigo, para efeito de desempate.

 

         Art. 15º - O mando de campo de todas as partidas pertencerá ao clube colocado à esquerda da tabela elaborada pela DCO.

 

         § 1º - Para as primeira e segunda fases, o mando de campo da partida de volta, em cada grupo, pertencerá ao clube melhor posicionado no RNC.

 

         § 2º - Para as demais fases, os mandos de campo serão determinados através de sorteio público, a ser realizado pela DCO, para cada fase, não sendo permitido acordo entre clubes para a não realização do sorteio.

 

CAPÍTULO V

Das Disposições Financeiras

 

Art. 16º - A renda líquida de cada partida será do clube mandante, devendo os descontos sobre a renda bruta serem aplicados de acordo com o que determina o artigo 76 do RGC, e seus parágrafos .

 

         § 1º - Nos casos em que ocorrer apenas uma partida, com consequência da eliminação do mandante, na forma do presente regulamento, a renda líquida será dividida entre os clubes na relação de 60% para o vencedor e 40% para o vencido.

 

         § 2º - Nos casos dos jogos que sejam realizados em ida e volta no mesmo estádio, a renda líquida será assim dividida, independentemente da condição de clube mandante:

 

1)    60% para o vencedor e 40% para o vencido;

2)    50% para cada, em caso de empate.

 

§ 3º - Os preços dos ingressos serão estabelecidos pelo clube mandante observadas as disposições legais sobre meias-entradas e outras situações previstas em lei, em cada estado ou município.

 

§ 4º - Os ingressos de sócios do clube mandante poderão ser cobrados no valor mínimo de 50% do valor estabelecido para os não sócios, considerado o mesmo setor do estádio e observadas as disposições do RGC sobre o assunto.

 

§ 5º - Os sócios integrantes dos programas sócio-torcedor ou equivalentes poderão pagar valores inferiores a 50%, desde que previamente estabelecido em tais programas, observado o que dispõe o segundo parágrafo do Artigo 85 do RGC.

 

1

§ 6º - A cobrança dos ingressos somente será exigida nos jogos das fases semifinal e final;

 

         Art. 17º – Os valores referentes aos seguros a serem deduzidos do Boletim Financeiro (borderô) de cada partida corresponderão às seguintes definições:

 

1) O Seguro de Acidentes Pessoais Coletivo de Público Presente, corresponderá ao valor de R$ 0,15 (quinze centavos) por ingresso vendido, descontado da renda bruta da partida e o capital segurado corresponderá a:

a) R$ 25.000, 00 (vinte e cinco mil reais) por morte acidental  proveniente de ocorrência no interior do estádio.

b) R$ 20.000, 00 (vinte mil reais) por invalidez acidental permanente, proveniente de ocorrência no interior do estádio.

 

2) O Seguro de Vida e Acidentes Pessoais em favor dos componentes da arbitragem da partida, corresponderá ao valor de R$ 22,61 (vinte e dois reais e sessenta e um centavos), descontados da renda bruta da partida e o capital segurado corresponderá a:

a) R$ 100.000, 00 (cem mil reais) por morte acidental  proveniente de ocorrência no interior do estádio.

b) R$ 100.000, 00 (cem mil reais) por invalidez acidental permanente, proveniente de ocorrência no interior do estádio.

c) R$ 10.000,00 (dez mil reais) de despesas médicas hospitalares e odontológicas.

 

3) A seguradora contratada é a Itaú Seguros SA.

 

4) Os valores a que correspondem os itens I e II,  acima identificados, deverão ser recolhidos à tesouraria da CBF, juntamente com o Boletim Financeiro da Partida.

 

 Art. 18º – Em não ocorrendo o recolhimento do desconto relativo ao INSS, a federação responsável poderá ser, através de comunicação da CBF, impedida de realizar jogos da Copa do Brasil Sub 20 no seu estado.

 

Art. 19º – Os pagamentos referentes às despesas com arbitragem e com o exame antidoping serão descontados da renda bruta das partidas e os correspondentes pagamentos serão efetuados pelos respectivos clubes mandantes, através do Delegado Financeiro do jogo, logo após o encerramento das partidas.

Art. 20º – Os clubes farão jus aos seguintes benefícios de ordem financeira:

 

2

1)  Passagens rodoviárias até distâncias de 700 km limitadas à 23 pessoas ou aluguel de ônibus, à critério do clube visitante;

 

1

2) Passagens aéreas, para delegações limitadas a 23 pessoas; para distâncias superiores a 700 km;

2

 

 

3) Cobertura das despesas de alimentação e hospedagem, quando visitante.

 

Art. 21º  –  Para todos os casos de reembolso de despesas realizadas por clubes e federações participantes, corresponderá a apresentação à CBF/DCO das notas fiscais correspondentes.

 

Parágrafo Único – As notas fiscais somente serão aceitas se recebidas pela DCO até uma semana após a data de encerramento da competição.

 

CAPÍTULO VI

Das Disposições Finais

 

Art. 22º – Não há exigência de capacidade mínima para os estádios da Copa.

 

1

Parágrafo Único – Não é permitido o uso de centros de treinamento como campos de jogo na copa.

 

Art. 23º O mando de campo das partidas será exercido no limite da jurisdição da federação a que pertença o clube mandante, exceto em situações excepcionais, a critério da DCO e de acordo com o RGC.

 

Art. 24º A DCO expedirá normas e instruções complementares que se fizerem necessárias à execução do presente regulamento e os casos omissos serão resolvidos pela DCO.


Rio de Janeiro, 2 de Outubro de 2012.



Virgílio Elísio da Costa Neto

 

Diretor de Competições 

COPA DO BRASIL SUB 20 EDIÇÃO DE 2012

GLOSSÁRIO

 

 

BID – Boletim Informativo Diário

 

 

BID-e – Boletim Informativo Diário Eletrônico

 

 

CBF – Confederação Brasileira de Futebol

 

 

DCO – Diretoria de Competições da CBF

 

 

DRT – Diretoria de Registro e Transferência da CBF

 

 

DURT -e – Documento Único de Registro e Transferência Eletrônico

 

 

INSS – Instituto Nacional do Seguro Social

 

 

REC – Regulamento Específico da Competição

 

 

RGC – Regulamento Geral das Competições

 

 

RNC – Ranking Nacional Clubes

 

RNF – Ranking Nacional das Federações

 

 

STJD – Superior Tribunal de Justiça Desportiva

 

REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COPA DO BRASIL SUB 20 EDIÇÃO DE 2012

                            RELAÇÃO DOS PARTICIPANTES

 

 

 

 

EST.

NOME

APELIDO

ORIGEM

1.

BA

Esporte Clube Bahia

Bahia

A/2011

2.

BA

Esporte Clube Vitória

Vitória

B/2011

3.

CE

Ceará Sporting Club

Ceará

A/2011

4.

GO

Atlético Clube Goianiense

Atlético

A/2011

5.

GO

Goiás Esporte Clube

Goiás

B/2011

6.

MG

América Futebol Clube

América

A/2011

7.

MG

Clube Atlético Mineiro

Atlético

A/2011

8.

MG

Boa Esporte Clube

Boa

B/2011

9.

MG

Cruzeiro Esporte Clube

Cruzeiro

A/2011

10.

PE

Clube Náutico Capibaribe

Náutico

B/2011

11.

PE

Sport Club do Recife

Sport

B/2011

12.

PR

Coritiba Foot Ball Club

Curitiba

A/2011

13.

PR

Paraná Clube

Curitiba

B/2011

14.

RJ

Botafogo de Futebol e Regatas

Botafogo

A/2011

15.

RJ

Clube de Regatas do Flamengo

Flamengo

A/2011

16.

RJ

Fluminense Football Club

Fluminense

A/2011

17.

RJ

Club de Regatas Vasco da Gama

Vasco da Gama

A/2011

18.

RN

ABC Futebol Clube

ABC

B/2011

19.

RS

Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

Grêmio

A/2011

20.

RS

Sport Club Internacional

Internacional

A/2011

 

EST.

NOME

APELIDO

ORIGEM

 

21.

SC

Avaí Futebol Clube

Avaí

A/2011

22.

SC

Figueirense Futebol Clube

Figueirense

A/2011

23.

SP

Clube Atlético Bragantino

Bragantino

B/2011

24.

SP

Sport Club Corinthians Paulista

Corinthians

A/2011

25.

SP

Grêmio Barueri Futebol LTDA

Grêmio Barueri

B/2011

26.

SP

Guarani futebol Clube

Guarani

B/2011

27.

SP

Guaratinguetá Futebol Clube

Guaratinguetá

B/2011

28.

SP

Sociedade Esportiva Palmeiras

Palmeiras

A/2011

29.

SP

Associação Atlética Ponte Preta

Ponte Preta

B/2011

30.

SP

Associação Portuguesa de Desportos

Portuguesa

B/2011

31.

SP

Santos Futebol Clube

Santos

A/2011

32.

SP

São Paulo Futebol Clube

São Paulo

A/2011

 

 

         Observações:

 

                         1)  Os clubes estão relacionados na ordem alfabética dos estados aos quais      pertencem.

                         2) O termo origem significa que o clube é oriundo da Série A/2011 ou Série B/2011;

3) O Anexo A é parte integrante do REC da Copa do Brasil Sub 20 Edição de 2012. 

 

REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COPA DO BRASIL SUB 20 EDIÇÃO DE 2012

         COMPOSIÇÃO DOS GRUPOS

 

1ª Fase (16ª de final)

 

GRUPO

CLUBE

EST.

GRUPO

CLUBE

EST.

1

Corinthians

SP

9

São Paulo

SP

Avai

SC

Coritiba

PR

2

Vasco

RJ

10

Fluminense

RJ

Ponte Preta

SP

Náutico

PE

3

Atlético

MG

11

Grêmio Barueri

SP

Portuguesa

SP

Guaratinguetá

SP

4

Internacional

RS

12

Grêmio

RS

Figueirense

SC

Paraná

PR

5

Bahia

BA

13

Cruzeiro

MG

ABC

RN

Guarani

SP

6

Bragantino

SP

14

Flamengo

RJ

Boa

MG

Ceará

CE

7

Santos

SP

15

Vitória

BA

Goiás

GO

América

MG

8

Botafogo

RJ

16

Palmeiras

SP

Sport

PE

Atlético

GO

 

2ª Fase (oitavas de final)

 

GRUPO

GRUPO

17

Vencedor Grupo 1

21

Vencedor Grupo 9

Vencedor Grupo 2

Vencedor Grupo 10

18

Vencedor Grupo 3

22

Vencedor Grupo 11

Vencedor Grupo 4

Vencedor Grupo 12

19

Vencedor Grupo 5

23

Vencedor Grupo 13

Vencedor Grupo 6

Vencedor Grupo 14

20

Vencedor Grupo 7

24

Vencedor Grupo 15

Vencedor Grupo 8

Vencedor Grupo 16

 

 

3ª Fase (quartas de final)

 

GRUPO

GRUPO

25

Vencedor Grupo 17

27

Vencedor Grupo 21

Vencedor Grupo 18

Vencedor Grupo 22

26

Vencedor Grupo 19

28

Vencedor Grupo 23

Vencedor Grupo 20

Vencedor Grupo 24

 

4ª Fase (semifinal)

 

 

GRUPO

GRUPO

29

Vencedor Grupo 25

30

Vencedor Grupo 27

Vencedor Grupo 26

Vencedor Grupo 28

 

 

5ª Fase (final)

GRUPO

31

Vencedor Grupo 29

Vencedor Grupo 30

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Reg. Geral

30/11/2017 18:22

Anexos

  • RGC - 2018

PGA

30/10/2012 11:00

1.      INTRODUÇÃO

        

                   O presente documento - Plano Geral de Ação (de Segurança, Transporte e Contingências), foi elaborado pela CBF visando atender às determinações da Lei nº 10.671, de 15/05/2003, (Estatuto de Defesa do Torcedor), sendo aplicado aos jogos da Copa do Brasil Sub 20 de 2012.

 

                   Em função da amplitude, das peculiaridades legais e do fato da segurança pública ser uma atribuição de responsabilidade dos governos estaduais e, por outro lado, ser o Plano de Ação um instrumento com vigência em todo o território nacional, registra-se a impossibilidade material de se prever, no presente documento, todos os detalhes e minúcias específicos relativas à segurança, transportes e contingências, de cada cidade, de cada estádio.

 

2.      COORDENAÇÃO DA COMPETIÇÃO

 

                   A Copa do Brasil Sub 20 de 2012 será coordenada pela Diretoria de Competições da CBF (DCO), ficando doravante designado e subentendido como “Coordenação da Competição” o corpo dirigente da CBF representado pelo Diretor da Diretoria de Competições, ao qual competirá a coordenação geral do evento.  A DCO será auxiliada, no que  couber, pelas demais Diretorias da CBF e pela federações estaduais.  Os interessados poderão consultar a DCO da CBF:

 

         Diretor: Virgílio Elísio da Costa Neto

         E-mail: virgilio.elisio@cbf.com.br

         Tel:  (021) 3572.1924

         Fax: (021) 3572.1990

         End: Rua Victor Civita, 66, Bloco 1, Ed. 5, 5º andar

         Condomínio Rio Office Park

         Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, CEP 22775-040

         Site da CBF: www.cbf.com.br



3.      PAPEL DA OUVIDORIA DA COMPETIÇÃO

 

                   A Ouvidoria da Competição, estabelecidas pelo EDT -  Estatuto de Defesa do Torcedor, tem as seguintes identificações e atribuições (Reproduzindo o texto do do EDT):

 

PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 3/11

 

 

 

 

 

 

 Art. 6º - A entidade responsável pela organização da competição, previamente ao seu início, designará o OUVIDOR da Competição, fornecendo-lhe os meios de comunicação necessários ao amplo acesso dos torcedores.

 § 1º - São deveres do OUVIDOR da Competição recolher as sugestões, propostas e reclamações que receber dos torcedores, examiná-las e propor  à respectiva entidade medidas necessárias ao aperfeiçoamento da competição e ao benefício do torcedor.

  § 2º - É assegurado ao torcedor:

         I - o amplo acesso ao OUVIDOR da Competição, mediante comunicação postal ou mensagem eletrônica; e

     II - o direito de receber do OUVIDOR da Competição as respostas às sugestões, propostas e reclamações, que encaminhou, no prazo de trinta dias.

  § 3º - Na hipótese de que trata o inciso II do § 2º, o OUVIDOR da Competição utilizará, propriamente, o mesmo meio de comunicação utilizado pelo torcedor para o encaminhamento de sua mensagem.

  § 4º - O sito da interne  em que forem publicadas as informações de que trata o parágrafo único do arti. 5º conterá, também, as manifestações e propostas do OUVIDOR da Competição.

  § 5º - A função de OUVIDOR da Competição poderá ser remunerada pelas entidades de prática desportiva participantes da competição.



4.      IDENTIFICAÇÃO DO OUVIDOR

 

  • Nome: Roberto Sardinha




5. EMBASAMENTO LEGAL

        

 

         O presente Plano Geral de Ação deve atender aos dispostos da Lei nº 10.671, de 15/05/2003, que instituiu o EDT - Estatuto de Defesa do Torcedor, em particular ao Artigo 17, a seguir transcrito:

 

 

 

PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 4/11

 

 

 

 

 Art. 17 - É direito do torcedor a implementação de planos de ação referentes a segurança, transporte e contigências que possam ocorrer durante a realização de eventos esportivos.

 § 1º - Os planos de ação de que trata o caput:

 I  - serão elaborados pela entidade responsável pela organização da competição, com a participação das entidades de prática desportiva que a disputarão; e

II - deverão ser apresentados previamente aos órgãos responsáveis pela segurança  pública da localidades em que se realizarão as partidas da competição.

 § 2º - Planos de ação especiais poderão ser apresentados em relação a eventos esportivos com excepcionais expectativa de público.

§ 3º - Os planos de ação serão divulgados  no sito dedicado à competição de que trata o parágrafo  único do art. 5º no  mesmo prazo de publicação do regulamento definitivo da competição.      



 

6.      SÍNTESE DAS AÇÕES OPERACIONAIS

 

 

ITEM

AÇÃO

Referência à Lei nº 10.671/03

01

SEGURANÇA:  Garantir a segurança do torcedor nos estádios antes, durante e após as partidas.

Comentário: a segurança dos torcedores, atletas, dirigentes, imprensa, pessoal à serviço e outros, é de responsabilidade do poder público estadual, ao qual compete o planejamento e a ação das Polícias Militares, da Polícia Civil, da Polícia de Trânsito, do Corpo de Bombo e da Defesa Civil.  

Art. 13º , 14º

02

SEGURANÇA: Assegurar acesso e saída às pessoas portadores de deficiências físicas e necessidades especiais.

Art. 13º; §Ú. Art. 44

03

SEGURANÇA: Solicitar policiamento dentro e fora dos estádios para segurança do torcedor.

Art. 14º; I

 

PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 5/11

 

 

 

 

 

04

SEGURANÇA: Informar horário e local da partida, horário de abertura dos portões, capacidade do estádio e expectativa de público, aos órgãos públicos de segurança, transporte e higiene.

Comentário: solicitamos que os clubes com mando de campo enviem tais informações quinzenalmente, de conformidade com as tabelas das competições, às secretarias estaduais de segurança, transporte e saúde.

Art. 14º; II

05

SEGURANÇA: Disponibilizar, no estádio, orientadores e o Serviço de Atendimento aos Torcedores (SAT) para recebimento de reclamações e sugestões.

Comentário: sugerimos que os orientadores sejam selecionados em colégios ou universidades, proporcionalmente à expectativa de público do jogo e que estejam vestindo uma camiseta ou colete que os identifique.

Art. 14º; III

06

SEGURANÇA: Instalar o SAT no estádio, em local amplamente divulgado e de fácil acesso.

Comentário: sugerimos que o SAT seja instalado nas proximidades da principal entrada do estádio, desejavelmente ocupando uma tenda desmontável, quiosque ou em área coberta do estádio.

Art. 14º; III

07

CONTINGÊNCIAS: Solucionar reclamações dirigidas ao SAT (quando possível), reportá-las ao Ouvidor da Competição.

Art. 14º; § 1º

08

CONTINGÊNCIAS: Contratar seguro de acidente pessoal para o torcedor.

Comentário: vide regulamento da competição

Art. 16º; II

09

CONTINGÊNCIAS: Disponibilizar um médico e dou enfermeiros-padrão para cada grupo de 10 mil pessoas presentes ao estádio.

Art. 16º; III



PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 6/11




 

10

CONTINGÊNCIAS: Disponibilizar uma ambulância para previsão de cada grupo de 10 mil pessoas presentes ao estádio.

Art. 16º; VI

11

CONTINGÊNCIAS: Comunicar previamente os jogos à autoridade de saúde.

Comentário: solicitamos que as federações enviem a tabela da competição (jogos locais) à  Secretária Estadual da Saúde.

Art. 16º; V

12

SEGURANÇA: Elaborar, aprovar e implementar, em conjunto com os clubes com mando de campo, os planos de ação relativos à  segurança/transporte/contigências.

Art. 17º; §1º; I

13

SEGURANÇA: A presentar previamente os planos de ação aos órgãos de segurança pública das localidades das partidas.

Art. 17º; § 1º; II

14

SEGURANÇA: Implantar planos estaduais especiais de ação para jogos de excepcional expectativa de público.

Art. 17º; § 2º

15

SEGURANÇA: Publicar os planos de ação no site da competição, em prazo inferior à 45 dias da competição.

Art. 17º; § 3º

16

SEGURANÇA: Em estádios com capacidade superior a 10.000 (dez mil) pessoas, deverão manter central técnica de informações, com infraestrutura suficiente para viabilizar o monitoramento por imagem do público presente..

Art. 18º

17

SEGURANÇA: Promover o levantamento das possíveis situações de risco para a segurança do torcedor, quanto à falhas de segurança dos estádios.

Comentário: solicitamos que as federações e clubes mandantes busquem empresas de engenharia (especializada em avaliações de risco) e órgãos da Defesa Civil para as avaliações de risco.

Art.13º,14º,16º,17º,18º,19º,23º,15º,26º,27º e 31º

 

PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 7/11

 

 

 

 

 

18

SEGURANÇA: Utilizar sistemas eletrônicos para fiscalização e controle da quantidade de público; acesso ao estádio; movimento financeiro da partida; e de emissão de ingressos

Art. 22º; § 2º

19

SEGURANÇA: Apresentar ao  Ministério Público dos Estados e do DF os Laudos Técnicos de Segurança, incluindo a capacidade real dos estádios, emitidos por órgãos e autoridades competentes.

Art. 23º; § 1º

20

SEGURANÇA: O controle e a fiscalização do acesso do público ao estádio com capacidade para mais de 10.000 (dez mil) pessoas deverão contar com meio de monitoramento por imagem das catracas, sem prejuízo do disposto no art. 18 desta lei.

Art. 25º

21

TRANSPORTES: Acionar o poder público par assegurar aos torcedores acesso e condições de uso do transporte público limpo, seguro e organizado.

Comentário: mediante convênio o Clube com mando de campo deve adotar todas as medidas necessárias e suficientes para garantir a aplicação deste dispositivo legal, buscando assegurar atendimento adequado para o transporte municipal e inter-municipal, comunicando tais providências ao OC.

Sugestões às autoridades da área do trânsito:

a) Colocação de patrulhas especiais do Batalhão de Trânsito em pontos estratégicos para prevenir acidentes de trânsito e agilizar o fluxo preferencial dos veículos que se dirigem ou retornam dos estádios.

b) Colocação de policiamento ostensivo nos veículos da rede de transporte público.

c) Colocação de pontos de parada e itinerários especiais nos dias de jogos, em locais de fácil acesso aos estádios, com iluminação e sinalização adequadas.

Art. 26º; I, II e III

 

PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 8/11

 

 

 

 

21

d) Definição de critérios para operação, tarifas e estacionamento de veículos de transportes alternativos [tipo vans, kombis e moto-táxis].

e) Definição de prioridades de acesso e estacionamento para táxis, motocicletas e bicicletas.

f) Definição de prioridades de acesso e estacionamento para veículos adaptados e/ou que transportem portadores de deficiências físicas e necessidades especiais.

g) Definição de prioridades de acesso e estacionamento para veículos dos profissionais e órgãos credenciados de imprensa.

h) Definição de prioridade de acesso [entrada e saída] e estacionamento de veículos dos árbitros, dos dirigentes das Federações e da CBF e das delegações das equipes de futebol que disputarão os jogos.

i) Definição de prioridade de acesso [entrada e saída] e estacionamento de veículos dos agentes de segurança, médicos, enfermeiros e ambulâncias.

Art. 26º; I, II e III

22

TRANSPORTES: Acionar o Poder Público para divulgar as providências para acesso dos torcedores ao estádios.

Comentário: o clube com mando de campo e autoridades públicas deverão divulgar todas as ações planejadas e medidas adotadas no site da federação local pela internet.

Art. 26º; II

23

TRANSPORTES: O clube com mando de campo deve acionar os agentes da Polícia Militar para viabilizar fluxo rápido e seguro nos acessos aos estádios e aos transportes públicos (nos locais de embarque e desembarque e na chegada e na saída dos estádios).

Art. 26º; III

24

TRANSPORTES: Firmar convênio com o Poder Público para implantação de serviços de estacionamento.

Art. 27º; I

25

TRANSPORTES: Firmar convênio com o Poder Público par ao transporte de idosos, crianças e portadores de necessidades especiais.

Art. 27º; II

 

PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 9/11

 

 

 

 

 

26

SAÚDE: Assegurar ao torcedor condições de qualidade e de higiene na manipulação e venda dos alimentos.

Art. 28º

27

SEGURANÇA: Assegurar ao torcedor a qualidade das instalações físicas do estádio.

Art. 28º

28

SAÚDE: Solicitar fiscalização da Vigilância Sanitária para alimentos fornecidos nos estádios.

Art. 28º; § 1º

29

SAÚDE: Assegurar sanitários em condições de limpeza e uso, e em número compatível com a capacidade do estádio.

Art. 29º

30

SEGURANÇA: Solicitar, na emissão dos Laudos Técnicos de Segurança a aferição do número de sanitários utilizáveis e sua compatibilidade com a capacidade do estádio.

Art. 29º; § Ú

31

SEGURANÇA: Solicitar policiamento para a segurança da arbitragem antes, durante e após a partida.

aRT. 31º

32

SEGURANÇA: Identificação do mau torcedor.

Comentário: Os presidentes das federações deverão envidar esforços para a criação dos juizados especiais criminais nos estádios da competição.

Art. 39º; § 1º, 2º e 3º






 

 




 



PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 10/11










COPA DO BRASIL SUB 20



PLANO GERAL DE AÇÃO

(Segurança, Transportes e Contigências)



ELABORAÇÃO

Ronald de Almeida Silva (colaboração especial)

Arquiteto e Planejador Urbano e Regional



COORDENAÇÃO

Virgílio Elísio da Costa Neto

Diretor de Competições



Rio de Janeiro, 13 de Setembro de 2012.




Virgílio Elísio da Costa Neto

Diretor de Competições




VECN/bvz

 

 

 

 

 

PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 11/11

 

Ranking e Calendário

Data Título
17/12/2018 18:12 RANKING NACIONAL DAS FEDERAÇÕES E CLUBES - 2019 Visualizar Visualizar Visualizar Visualizar
15/10/2018 14:42 CALENDÁRIO DO FUTEBOL DO NORDESTE DE 2019 Visualizar Visualizar
15/10/2018 14:40 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO DE 2019 Visualizar Visualizar Visualizar
07/03/2018 16:49 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2018 (REV. 2) Visualizar Visualizar Visualizar Visualizar
16/01/2018 16:32 RNF/FF E RNC/FF - 2018 Visualizar
05/12/2017 18:56 CALENDÁRIO DO FUTEBOL DE BASE E FEMININO - 2018 Visualizar
04/12/2017 19:37 RNF E RNC - 2018 Visualizar
26/07/2017 19:28 REVISÃO DOS CRITÉRIOS DE PONTUAÇÃO DO RANKING CBF Visualizar Visualizar
09/01/2017 15:16 CALENDÁRIO DO FUTEBOL DE BASE E FEMININO - 2017 Visualizar
13/12/2016 11:40 RNC E RNF - 2017 Visualizar
23/11/2016 19:43 CALENDÁRIO 2017 PARA FEDERAÇÕES DO NORDESTE-REV 2 Visualizar
18/11/2016 19:47 CALENDÁRIO 2017 PARA FED. NA COPA VERDE-REV 1 Visualizar
18/11/2016 17:19 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2017(REVISÃO 1) Visualizar Visualizar Visualizar
04/11/2016 19:33 RNC/FF E RNF/FF - 2017 Visualizar
06/07/2016 19:06 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2017 (06/07/16) Visualizar
15/12/2015 14:08 CALENDÁRIO DO FUTEBOL DE BASE E FEMININO - 2016 Visualizar
11/12/2015 19:17 RNC/FF E RNF/FF - 2016 Visualizar
09/12/2015 19:14 RNC - 2016 (AJUSTADO) Visualizar
08/12/2015 18:41 RNC E RNF - 2016 Visualizar
25/08/2015 19:11 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2016 (25/08/15) Visualizar
02/02/2015 19:20 CALENDÁRIO DO FUTEBOL FEMININO E DO FUTEBOL DE BASE - 2015 (REV. 1 - 02/02/15) Visualizar
02/02/2015 19:15 CRONOGRAMA DO FUTEBOL FEMININO E DO FUTEBOL DE BASE - 2015 (REV. 1 - 02/02/15) Visualizar
19/12/2014 15:48 CONVERSÃO DE PONTOS DO RANKING (FEMININO) Visualizar
19/12/2014 15:47 RNF/FF - 2015 Visualizar
19/12/2014 15:46 RNC/FF - 2015 Visualizar
19/12/2014 15:40 CONVERSÃO DE PONTOS DO RANKING Visualizar
19/12/2014 15:39 RNF - 2015 Visualizar
19/12/2014 15:37 RNC - 2015 Visualizar
08/10/2014 23:24 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2015 (REV.: 1 - 08/10/14) Visualizar
08/10/2014 23:23 CRONOGRAMA DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2015 (REV.: 1 - 08/10/14) Visualizar
06/08/2014 18:34 OBSERVAÇÕES DO CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2015 Visualizar
06/08/2014 18:33 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2015 (REV.: 0 - 06/08/14) Visualizar
06/08/2014 18:32 CRONOGRAMA DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2015 (REV.: 0 - 06/08/14) Visualizar
14/07/2014 18:36 CRONOGRAMA DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2014 (REV. 3 - 14/07/14) Visualizar
14/07/2014 18:35 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2014 (REV. 3 - 14/07/14) Visualizar
23/01/2014 15:08 RANKING NACIONAL DAS FEDERAÇÕES (FEMININO) - 2014 Visualizar
23/01/2014 15:08 RANKING NACIONAL DOS CLUBES (FEMININO) - 2014 Visualizar
23/01/2014 15:03 RANKING NACIONAL DAS FEDERAÇÕES - 2014 Visualizar
23/01/2014 15:03 RANKING NACIONAL DOS CLUBES - 2014 Visualizar
26/03/2013 14:44 Calendário do Futebol Brasileiro - 1º S/2013 Visualizar
26/03/2013 12:48 Calendário do Futebol Brasileiro - 2ºS /2013 Visualizar
19/03/2013 10:25 Ranking Nacional dos Clubes em 2013 Visualizar
19/03/2013 10:24 Ranking Nacional de Federações - 2013 Visualizar
19/03/2013 10:01 Ranking Nacional de Federações de Futebol Feminino 2013 Visualizar
19/03/2013 10:00 Ranking Nacional de Clubes do Futebol Feminino 2013 Visualizar

Ouvidoria

26/10/2012 00:40


Roberto Sardinha


Brasileiro, nascido na cidade do Rio de Janeiro-RJ, em 23 de julho de 1940, sendo portador da carteira de identidade expedida pela OAB-RJ sob a inscrição nº 3.134, morador Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Atuou,como advogado de empresas durante vinte anos e a partir daí como autônomo, na área cível, formado na Faculdade de Direito da UFF em abril/1967.

E-mail: ouvidoriacompeticoes.sardinha@cbf.com.br

 

Estatísticas

Artilharia

Clube Gols Nome Apelido
Cruzeiro - MG 8 VINICIUS VASCONCELOS ARAUJO VINICIUS
Santos - SP 5 GIVANILDO PULGAS DA SILVA GIVANILDO
Vitória - BA 5 MARCONE MANOEL ALMEIDA LOURENÇO MARCONE
Atlético - MG 4 CARLOS ALBERTO CARVALHO DA SILVA JUNIOR CARLOS ALBERTO CARVALHO
Vitória - BA 4 ALAN LOPES PINHEIRO ALAN
Corinthians - SP 3 GIOVANNI PICCOLOMO GIOVANNI
Bahia - BA 3 MATHEUS NOGUEIRA ALBUQUERQUE DE SOUZA MATHEUS
Bahia - BA 3 NADSON ALVES VIANA NADSON
Vasco da Gama - RJ 3 GUILHERME MORANO GUILHERME
Boa - MG 3 DENIS WILLIAN CAROLINO LOPES DENIS WILLIAN
Corinthians - SP 2 MICHAEL THUIQUE DIAS SANTOS MICHAEL
Palmeiras - SP 2 MIGUEL ANTONIO BIANCONI KOHL MIGUEL
Atlético - MG 2 ELDER SANTANA CONCEIÇÃO ELDER
Atlético - MG 2 PAULO MODESTO DA SILVA JUNIOR PAULINHO
Atlético - MG 2 ROGER LUIZ DA SILVA TEIXEIRA ALVES ROGER
Bahia - BA 2 ANDERSON JOSE DA SILVA MELLO MATTOS ANDERSON
Bahia - BA 2 RAFAEL TEIXEIRA DE SOUZA RAFAEL
Bahia - BA 2 RYDER MATOS SANTOS PINTO RYDER
Bragantino - SP 2 RICARDO DE OLIVEIRA PEREIRA RICARDO
Santos - SP 2 GEUVANIO SANTOS SILVA GIGIO
Santos - SP 2 GUSTAVO HENRIQUE VERNES GUSTAVO
Santos - SP 2 LEANDRO CORDEIRO DE LIMA SILVA LEANDRO
Grêmio - RS 2 CALYSON RUBENS SANTIAGO ROSA CALYSON
Grêmio - RS 2 DIEGO FABIAN BARRETO LARA DIEGO
Grêmio - RS 2 WANGLER DA SILVA WANGLER
Fluminense - RJ 2 MATHEUS THIAGO DE CARVALHO MATHEUS CARVALHO
Vitória - BA 2 AGDON SANTOS MENEZES AGDON
Vitória - BA 2 GABRIEL SOARES OLIVEIRA GABRIEL
Cruzeiro - MG 2 ALISSON EULER DE FREITAS CASTRO ALISSON
Coritiba - PR 2 JOSE RAFAEL VIVIAN JOSE
Grêmio Barueri - SP 2 LUCAS CAVALCANTI DA SILVA LUCAS
Boa - MG 2 MAIKON ALVES DE AQUINO MAIKON
Corinthians - SP 1 ELIAS FERNANDES DE OLIVEIRA ELIAS
Corinthians - SP 1 JEAN THEODORO SOBRINHO JEAN
Palmeiras - SP 1 BRUNO DE ARAUJO DYBAL BRUNO
Palmeiras - SP 1 BRUNO MARQUES OSTAPENCO BRUNO MARQUES
Palmeiras - SP 1 CAIO DANILO LAURSEN TUPONI CAIO
Atlético - MG 1 HENRIQUE ROBERTO RAFAEL HENRIQUE
Atlético - MG 1 JESIEL CARDOSO MIRANDA JESIEL
Atlético - MG 1 LUCAS CANDIDO SILVA LUCAS
Atlético - MG 1 SIDIMAR FERNANDO CIGOLINI SIDIMAR
Botafogo - RJ 1 JEFERSON ANTI FILHO JEFERSON
São Paulo - SP 1 TIAGO CARDOSO MOURA TIAGO
Bahia - BA 1 EDUARDO ENRIQUE LUDWIG EDUARDO
Bahia - BA 1 FABIO GAMA DOS SANTOS FABIO
Bahia - BA 1 KADSON GEORGE LUCAS DA SILVA GEORGE
Santos - SP 1 DIEGO CARDOSO NOGUEIRA DIEGO
Santos - SP 1 EMERSON PALMIERI DOS SANTOS EMERSON
Santos - SP 1 LEONARDO CITTADINI LEONARDO
Santos - SP 1 PEDRO HENRIQUE DE CASTRO SILVA PEDRO HENRIQUE
Portuguesa - SP 1 GABRIEL AUGUSTO XAVIER GABRIEL
Portuguesa - SP 1 JEAN MOTA OLIVEIRA DE SOUSA SOUSA
Portuguesa - SP 1 MARCELO HENRIQUE FRANÇA DE SIQUEIRA MARCELO
Sport - PE 1 FRANCISCO REGIS LOPES DA SILVA RÉGIS
Sport - PE 1 OSWALDO ALFREDO DE LIMA GONÇALVES OSWALDO
Sport - PE 1 PABLO MOISES BARROS RODRIGUES BEZERRA PABLO
Sport - PE 1 RAY SILVA DO NASCIMENTO RAY
Sport - PE 1 VITOR FRANCISCO DOS SANTOS DE CARVALHO VITOR
Internacional - RS 1 ANDRE FAUSTO PRATES RODRIGUES JUNIOR ANDRE
Internacional - RS 1 GIOVANI DARNEI MARTINS DA ROSA GIOVANI
Internacional - RS 1 JOAO PAULO DE ASSIS PENHA JOÃO PAULO
Internacional - RS 1 MAURIDES ROQUE JUNIOR JUNINHO
Vasco da Gama - RJ 1 JOHNATH MARLONE AZEVEDO DA SILVA JOHNATH
Vasco da Gama - RJ 1 JOMAR HERCULANO LOURENCO JOMAR
Vasco da Gama - RJ 1 ROMARIO CORREA DE SOUZA ROMARIO
Vasco da Gama - RJ 1 YAGO MOREIRA SILVA YAGO
Grêmio - RS 1 GERSON FRAGA VIEIRA GERSON
Grêmio - RS 1 GUILHERME BITENCOURT DA SILVA GUILHERME
Grêmio - RS 1 GUSTAVO SIMON VERTUOSO GUSTAVO
Grêmio - RS 1 LEONARDO DE CAMPOS LEONARDO
Grêmio - RS 1 LUCAS HEINZEN COELHO LUCAS
Grêmio - RS 1 PAULO ROBERTO DE JESUS RIBEIRO PAULO
Grêmio - RS 1 YURI SOUZA ALMEIDA YURI
Fluminense - RJ 1 DIEGO SANTOS GAMA CAMILO DIEGO
Fluminense - RJ 1 EDUARDO ANTONIO MACHADO TEIXEIRA EDUARDO
Fluminense - RJ 1 IGOR DE CARVALHO JULIAO IGOR
Flamengo - RJ 1 IGOR TORRES SARTORI IGOR
Flamengo - RJ 1 RODOLFO DE ALMEIDA GUIMARAES RODOLFO
Vitória - BA 1 ARTHUR BRASILIANO MAIA ARTHUR
Vitória - BA 1 JOELITON LIMA SANTOS MANSUR
Vitória - BA 1 JOSUE DE OLIVEIRA ALMEIDA JOSUE
Vitória - BA 1 LUCAS ALBERTO PEREIRA DA SILVA LUCAS
Vitória - BA 1 MATHEUS SALUSTIANO PIRES MATHEUS
Vitória - BA 1 RAPHAEL FONTES CRUZ MELLO RAPHAEL
Cruzeiro - MG 1 EURICO NICOLAU DE LIMA NETO EURICO NICOLAU
Náutico - PE 1 JADELSON BARBOSA DA SILVA JADELSON
Guarani - SP 1 WILLIAMS RIBEIRO BONFIM JUNIOR WILLIAMS
Coritiba - PR 1 RAFAEL DA SILVA RAFAEL
Goiás - GO 1 CLAYTON AUGUSTO BALDISSERA GUTO
Ponte Preta - SP 1 ALAN FELIPE FURIGO DE OLIVEIRA ALAN
América - MG 1 ELIVELTON SILAS DE SOUZA ELIVELTON
América - MG 1 RENATO DA ROCHA SILVA RENATO
Avaí - SC 1 PETERSON SILVINO DA CRUZ PETERSON
Avaí - SC 1 TAUA FERREIRA DOS SANTOS TAUA
Atlético - GO 1 BRUNO FELIPE DE ABREU BARBOSA BRUNO
Boa - MG 1 CALEB SANTOS JORDÃO ROCHA CARVALHO CALEB
Ver tabela completa

PATROCINADORES

Futebol Brasileiro