Tabela do Brasileirão da Série A 2023 | Tabela Oficial

Campeonato Brasileiro de Futebol - Série A - 2012

Ano

Tabela

Posição PTS J V E D
Fluminense - RJ 77 38 22 11 5
Atlético - MG 72 38 20 12 6
Grêmio - RS 71 38 20 11 7
São Paulo - SP 66 38 20 6 12
Vasco da Gama - RJ 58 38 16 10 12
Corinthians - SP 57 38 15 12 11
Botafogo - RJ 55 38 15 10 13
Santos - SP 53 38 13 14 11
Cruzeiro - MG 52 38 15 7 16
10º Internacional - RS 52 38 13 13 12
11º Flamengo - RJ 50 38 12 14 12
12º Náutico - PE 49 38 14 7 17
13º Coritiba - PR 48 38 14 6 18
14º Ponte Preta - SP 48 38 12 12 14
15º Bahia - BA 47 38 11 14 13
16º Portuguesa - SP 45 38 10 15 13
17º Sport - PE 41 38 10 11 17
18º Palmeiras - SP 34 38 9 7 22
19º Atlético - GO 30 38 7 9 22
20º Figueirense - SC 30 38 7 9 22

Última atualização efetuada em 04/02/2013 12:33

Ver os jogos de hoje Ver estatísticas da competição

Jogos

ver jogos de hoje
Documentos

 

CAPÍTULO I

Da Denominação e Participação

 

Art. 1º - O Campeonato Brasileiro de Clubes da Série A de 2012, doravante denominado Campeonato, é regido por dois regulamentos mutuamente complementares identificados a seguir:

a)  Regulamento Específico da Competição (REC) - o qual trata do sistema de disputa e outros assuntos específicos da competição;

b) Regulamento Geral das Competições (RGC) - o qual trata dos assuntos comuns às competições coordenadas pela CBF.

 

Art. 2º - O campeonato será disputado na forma deste regulamento pelos vinte clubes identificados no Anexo A - Relação de Clubes Participantes, em conformidade com os critérios técnicos de participação estabelecidos do artigo 3º.

 

Art. 3º - Os critérios técnicos de participação dos clubes no campeonato são os seguintes:

         Critério 1:  Ter permanecido como integrante da Série A do Campeonato Brasileiro em 2011;

Critério 2: Ter acessado a Série A, a partir  do Campeonato Brasileiro da Série B de  2011.

 

CAPÍTULO II

Do Troféu e dos Títulos

 

Art. 4º - Ao clube vencedor do campeonato será atribuído o título de Campeão Brasileiro da Série A de 2012 e ao segundo colocado o título de Vice-Campeão Brasileiro da Série A de 2012.

 

§ 1º - O troféu representativo do campeonato denomina-se Troféu Campeão Brasileiro da Série A de 2012, cuja posse será assegurada de modo definitivo ao clube que houver conquistado o campeonato.

 

§ 2º - O clube que conquistar o título de campeão receberá o troféu correspondente e 50 medalhas douradas destinadas aos seus atletas, comissão técnica e dirigentes; o clube vice-campeão receberá 50 medalhas prateadas, com a mesma destinação.

 

 

REC do Campeonato Brasileiro da Série A/2012

Emissão: 19/03/12

Rev.:   1  01/06/12

Pág.: 1/10

 

§ 3º - A DCO publicará as diretrizes relativas à entrega de troféu e medalhas da competição até 30 dias antes do seu encerramento.

 

§ 4º - A CBF não permite a reprodução do troféu e das medalhas distribuídos com os clubes campeão e vice; a CBF pode autorizar, mediante solicitação, a reprodução de réplicas do troféu em dimensões menores do que o troféu original.

 

         § 5º - A CBF poderá negociar comercialmente a adoção de uma outra denominação para o troféu de campeão brasileiro, através de contrato com patrocinador específico.

 

Art. 5º - A classificação de clubes à Copa Libertadores de 2013 observará as situações abaixo identificadas, considerando as vagas previstas pela Conmebol para as Copas Libertadores/2013 e Sulamericana/2013:

 

Situação 1: Na hipótese de clubes brasileiros conquistarem as Copas Libertadores da América/2012 e Sulamericana/2012:

 

a)       O campeão da Copa Libertadores/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 2º Fase,

b)      O campeão do Campeonato Brasileiro/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 2º Fase;

c)       O campeão da Copa do Brasil/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 2º Fase;

d)      O 2º classificado do Campeonato Brasileiro/2012 acessa  a Libertadores/2013 na sua 2º Fase;

e)       O 3º classificado do Campeonato Brasileiro/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 1º Fase;

f)         O campeão da Copa Sulamericana/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 1º Fase,

 

Situação 2: Na hipótese de um clube brasileiro conquistar a Copa Libertadores da América/2012:

 

a)     O campeão da Copa Libertadores/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 2º Fase,

b)    O campeão do Campeonato Brasileiro/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 2º Fase;

c)     O campeão da Copa do Brasil/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 2º Fase;

 

REC do Campeonato Brasileiro da Série A/2012

Emissão: 19/03/12

Rev.:   1  01/06/12

Pág.: 2/10

 

 

d)    O 2º classificado do Campeonato Brasileiro/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 2º Fase;

e)     O 3º classificado do Campeonato Brasileiro/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 1º Fase;

f)      O 4º classificado do Campeonato Brasileiro/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 1º Fase;

 

Situação 3: Na hipótese de um clube brasileiro conquistar a Copa Sulamericana/2012:

 

a)     O campeão do Campeonato Brasileiro/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 2º Fase;

b)    O campeão da Copa do Brasil/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 2º Fase;

c)     O 2º classificado do Campeonato Brasileiro/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 2º Fase;

d)    O 3º classificado do Campeonato Brasileiro/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 2º Fase;

e)     O campeão da Copa Sulamericana/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 1º Fase,

 

Situação 4: Na hipótese de nenhum clube brasileiro conquistar as Copas Libertadores/2012 e Sulamericana/2012:

 

a)     O campeão do Campeonato Brasileiro/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 2º Fase;

b)    O campeão da Copa do Brasil/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 2º Fase;

c)     O 2º classificado do Campeonato Brasileiro/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 2º Fase;

d)    O 3º classificado do Campeonato Brasileiro/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 2º Fase;

e)     O 4º classificado do Campeonato Brasileiro/2012 acessa a Libertadores/2013 na sua 1º Fase;

 

Parágrafo único – Para efeito de identificação perante a Conmebol, os clubes correspondentes aos itens (a) à (f) serão identificados respectivamente como Brasil 1, Brasil 2, Brasil 3, Brasil 4,  Brasil 5 e Brasil 6, sendo o item (f) considerado apenas nas situações 1 e 2.

 

REC do Campeonato Brasileiro da Série A/2012

Emissão: 19/03/12

Rev.:   1  01/06/12

Pág.: 3/10

 

 

CAPÍTULO III

Da Condição de Jogo dos Atletas

 

Art. 6º - Somente poderão participar do campeonato os atletas que tenham sido registrados na DRT e cujos nomes constem do BID publicado pela DRT até o último dia útil que anteceder à cada partida.

 

Parágrafo único - Contratos de novos atletas para utilização no campeonato poderão ser registrados até o último dia útil anterior à participação do clube na 26ª rodada do campeonato.

 

Art. 7º - Todas as referências ao BID aqui expressas devem considerar o BID-e e/ou o DURT-e conforme disposto no Capítulo IV do RGC.

 

Art. 8º - Um atleta poderá ser transferido de um clube para outro durante  o Campeonato Brasileiro da Série A, desde que tenha atuado em um número máximo de seis partidas pelo clube de origem, sendo permitido que cada atleta mude de clube apenas uma vez.

 

Parágrafo único - Cada clube poderá receber até cinco atletas transferidos de outros clubes do campeonato (Série A); de um mesmo clube, somente poderá receber até três atletas (Série A).   

 

 

CAPÍTULO IV

Do Sistema de Disputa

 

Art. 9º - O campeonato será disputado no sistema de pontos corridos, de forma continua, em turno e returno, sendo 19 jogos de ida e 19 jogos de volta, sagrando-se campeão o clube que acumular  maior número de pontos ganhos em toda a disputa.

 

         Parágrafo único - O mando de campo de todas as partidas pertencerá ao clube colocado à esquerda da tabela elaborada pela DCO.

 

Art. 10º - Em caso de empate em pontos ganhos entre dois ou mais clubes ao final da competição, o desempate, para efeito de classificação, será efetuado observando-se os critérios abaixo:

 

         1º) maior número de vitórias;

 

REC do Campeonato Brasileiro da Série A/2012

Emissão: 19/03/12

Rev.:   1  01/06/12

Pág.: 4/10

 

 

         2º) maior saldo de gols;

         3º) maior número de gols pró;

         4º) confronto direto;

         5º) menor número de cartões vermelhos recebidos;

         6º) menor número de cartões amarelos recebidos;

         7º) sorteio.

 

         § 1º - Para efeito do quarto critério (confronto direto), considera-se o resultado dos jogos de ida-e-volta somados, ou seja, o resultado do “jogo de 180 minutos”.

 

§ 2º - Permanecendo o empate no “jogo de 180 minutos” do confronto direto, conforme acima mencionado, o desempate dar-se-á pelo maior número de gols assinalados no campo do adversário.

 

§ 3º - No caso de empate entre mais de dois clubes, não será considerado o quarto critério.

 

§ 4º - Especificamente nos casos em que houver empate entre dois clubes nas situações de definição do título de campeão ou de definição do decesso, não serão aplicados os critérios 5º, 6º e 7º do caput e assim sendo o desempate ocorrerá através da realização de um jogo extra entre os dois clubes, em campo neutro a ser indicado pela DCO e a ser disputado até sete dias após o encerramento do campeonato; havendo empate nesse jogo a decisão ocorrerá através da disputa de pênaltis observados os critérios adotados pela International Board.

 

Art. 11º - Os quatro últimos clubes classificados da Série A de 2012 descenderão para a Série B de 2013.

 

 

CAPÍTULO V

Das Disposições Financeiras

 

Art. 12º - A renda líquida de cada partida será do clube mandante, devendo os descontos sobre a renda bruta serem aplicados de acordo com os termos do artigo 76 e seus parágrafos do RGC.

 

§ 1º - Os preços  dos  ingressos  serão  estabelecidos  pelo  clube  mandante,

 

REC do Campeonato Brasileiro da Série A/2012

Emissão: 19/03/12

Rev.:   1  01/06/12

Pág.: 5/10

 

 

observadas as disposições legais sobre meias-entradas e outras situações previstas em lei, em cada estado ou município.

 

§ 2º -  Os ingressos de sócios do clube mandante poderão ser cobrados no valor mínimo de 50% do valor estabelecido para os não sócios, considerando o mesmo setor do estádio.

 

§ 3º - Os sócios integrantes dos programas sócio-torcedor ou similares, poderão pagar valores inferiores aos 50%, desde que previamente estabelecidos em tais programas, respeitado o que dispõe à respeito o RGC, em seu Artigo 85 § 1º.

 

1

Art. 13º - Os valores referentes aos seguros a serem deduzidos do Boletim Financeiro (borderô) de cada partida corresponderão às seguintes definições:

 

 

I. O Seguro de Acidentes Pessoais Coletivo de Público Pagante, corresponderá ao valor de R$ 0,05 (cinco centavos) por ingresso vendido, descontado da renda bruta da partida e o capital segurado corresponderá a:

a) R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) por morte acidental proveniente de ocorrência no interior do estádio;

b) R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) por invalidez permanente total e/ou parcial por acidente, proveniente de ocorrência no interior do estádio.

c) R$ 3.000,00 (três mil reais) para despesas médicas hospitalares e odontológicas.

 

II. O Seguro de Vida e Acidentes Pessoais em favor dos componentes da         arbitragem da partida, corresponderá ao valor de R$ 22,61 (vinte e      dois reais e sessenta e um centavos), por cada componente, descontados da renda bruta da partida e o capital corresponderá a:

         a) R$ 100.000,00 (cem mil reais) por morte acidental proveniente de     ocorrência no interior do estádio;

         b) R$ 100.000,00 (cem mil reais) por invalidez acidental permanente,              proveniente de ocorrência no interior do estádio;

         c) R$ 10.000,0 (dez mil reais) para despesas médicas hospitalares e                odontológicas.

 

                   III.   A seguradora contratada é a Itaú Seguros S.A.

 

                   IV. Os valores a que correspondem os itens I e II, acima identificados, deverão ser recolhidos à tesouraria da CBF, juntamente com o Boletim Financeiro da Partida.

 

REC do Campeonato Brasileiro da Série A/2012

Emissão: 19/03/12

Rev.:   1  01/06/12

Pág.: 6/10

 

Art. 14º - Em não ocorrendo o recolhimento do desconto relativo ao INSS, a federação responsável poderá ser, através de comunicação da CBF, impedida de realizar jogos do Campeonato Brasileiro da Série A no seu estado.

 

Art. 15º - Todas as despesas dos clubes com transportes, hospedagem e alimentação serão da responsabilidade dos próprios clubes participantes, a partir das receitas apuradas com os seus contratos de direitos de propriedades.

 

Art. 16º - A DCO baixará instruções para regulamentar os convênios existentes ou que venham a existir entre as federações e os governos estaduais ou municipais, no tocante a troca de notas fiscais por ingressos para as partidas do campeonato ou outros tipos de contratos que envolvam ingressos, seja com a administração pública, seja com a área privada.

 

Parágrafo único – Convênios, contratos e equivalentes referentes ao objeto do caput do presente artigo deverão ser informados à CBF/DCO pela federação interessada com antecedência mínima de 30 dias em relação ao início do campeonato.

 

CAPÍTULO VI

Das Disposições Finais

 

Art. 17º - As partidas do campeonato somente poderão ser jogadas em estádios cuja capacidade mínima de público seja de 15 mil espectadores sentados.

 

                   Parágrafo único - No caso do estádio normalmente utilizado por um dos clubes não atender ao previsto neste artigo, este clube deverá indicar outro estádio que atenda ao estabelecido para a realização de suas partidas.

                

Art. 18º - O mando de campo das partidas será exercido no limite da jurisdição da federação a que pertença o clube mandante, exceto em situações excepcionais, a critério da DCO, observado o RGC.

                  

Art. 19º - Os direitos sobre as propriedades comerciais relacionadas com os jogos do campeonato serão definidos nos acordos comerciais firmados ou autorizados pela CBF.

 

         Parágrafo único - O não atendimento ao que dispõe o caput desse Artigo, resultará em multa de R$ 10.000,00 (dez mil reais) a ser aplicada pela CBF, independentemente das sanções que poderão ser aplicadas pelo STJD.

 

REC do Campeonato Brasileiro da Série A/2012

Emissão: 19/03/12

Rev.:   1  01/06/12

Pág.: 7/10

 

 

Art. 20º - Todos os jogos das duas últimas rodadas do campeonato deverão ser simultâneos, exceto os que não estiverem relacionados com situações de acesso, decesso e classificação para a Copa Libertadores de 2013 e Copa Sulamericana de 2013.

 

         Art. 21º - A DCO expedirá normas e instruções complementares que se fizerem necessárias à execução do presente regulamento e os casos omissos serão resolvidos pela DCO.

 

Rio de Janeiro, 19 de Março de 2012.

 

 

 

 

 

Virgílio Elísio da Costa Neto

Diretor de Competições

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

REC do Campeonato Brasileiro da Série A/2012

Emissão: 19/03/12

Rev.:   1  01/06/12

Pág.: 8/10

 

 

 

 

 

 

REC - CAMPEONATO BRASILEIRO DA SÉRIE A/2012

GLOSSÁRIO

 

 

BID – Boletim Informativo Diário

 

BID-e – Boletim Informativo Diário Eletrônico

 

CBF – Confederação Brasileira de Futebol

 

DCO – Diretoria de Competições da CBF

 

DRT – Diretoria de Registro e Transferência da CBF

 

DURT -e – Documento Único de Registro e Transferência Eletrônico

 

INSS – Instituto Nacional do Seguro Social

 

REC – Regulamento Específico da Competição

 

RGC – Regulamento Geral das Competições

 

RNC – Ranking Nacional Clubes

 

STJD – Superior Tribunal de Justiça Desportiva

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

REC do Campeonato Brasileiro da Série A/2012

Emissão: 19/03/12

Rev.:   1  01/06/12

Pág.: 9/10

 

 

        

CAMPEONATO BRASILEIRO DA SÉRIE A/ 2012

REC – REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO

ANEXO A – RELAÇÃO DOS CLUBES PARTICIPANTES

 

 

EST.

IDENT.

NOME

ORIGEM

1.

BA

Bahia

Esporte Clube Bahia

Série A

2.

GO

Atlético Goianiense

Atlético Clube Goianiense

Série A

3.

MG

Atlético Mineiro

Clube Atlético Mineiro

Série A

4.

MG

Cruzeiro

Cruzeiro Esporte Clube

Série A

5.

PE

Náutico

Clube Náutico Capibaribe

Série B

6.

PE

Sport

Sport Club do Recife

Série B

7.

PR

Coritiba

Coritiba Foot Ball Club

Série A

8.

RJ

Botafogo

Botafogo de Futebol e Regatas

Série A

9.

RJ

Flamengo

Clube de Regatas do Flamengo

Série A

10.

RJ

Fluminense

Fluminense Football Club

Série A

11.

RJ

Vasco da Gama

Club de Regatas Vasco da Gama

Série A

12.

RS

Grêmio

Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

Série A

13.

RS

Internacional

Sport Club Internacional

Série A

14.

SC

Figueirense

Figueirense Futebol Clube

Série A

15.

SP

Corinthians

Sport Club Corinthians Paulista

Série A

16.

SP

Palmeiras

Sociedade Esportiva Palmeiras

Série A

17.

SP

Ponte Preta

Associação Atlética Ponte Preta

Série B

18.

SP

Portuguesa

Associação Portuguesa de Desportos

Série B

19.

SP

Santos

Santos Futebol Clube

Série A

20.

SP

São Paulo

São Paulo Futebol Clube

Série A

 

 

Observações:    1)  Os clubes estão relacionados na ordem alfabética dos estados a que

                              pertencem.

2) O termo origem significa que o clube é oriundo de acesso ou que permaneceu na Série A, após o campeonato de 2011;

3)  O Anexo A é parte integrante do REC da Série A/ 2012 (Art. 2º).

 

REC do Campeonato Brasileiro da Série A/2012

Emissão: 19/03/12

Rev.:   1  01/06/12

Pág.: 10/10

 

 

REGISTRO DAS REVISÕES DO REGULAMENTO DA SÉRIE A/2012

 

(Anexo ao Regulamento)

 

 

REV.

 

DATA

 

OBJETO

 

OBS.

 

1

01/06/12

Nova Redação do Artigo 13

Ofício DCO/GER – 105/12

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Reg. Geral

05/12/2014 17:58

  • REGULAMENTO GERAL DAS COMPETIÇÕES CBF

PGA

30/10/2012 10:51

INTRODUÇÃO

        

                   O presente documento - Plano Geral de Ação (de Segurança, Transporte e Contingências), foi elaborado pela CBF visando atender às determinações da Lei nº 10.671, de 15/05/2003, (Estatuto de Defesa do Torcedor), sendo aplicado aos jogos da Copa do Brasil Sub 20 de 2012.

 

                   Em função da amplitude, das peculiaridades legais e do fato da segurança pública ser uma atribuição de responsabilidade dos governos estaduais e, por outro lado, ser o Plano de Ação um instrumento com vigência em todo o território nacional, registra-se a impossibilidade material de se prever, no presente documento, todos os detalhes e minúcias específicos relativas à segurança, transportes e contingências, de cada cidade, de cada estádio.

 

2.      COORDENAÇÃO DA COMPETIÇÃO

 

                   A Copa do Brasil Sub 20 de 2012 será coordenada pela Diretoria de Competições da CBF (DCO), ficando doravante designado e subentendido como “Coordenação da Competição” o corpo dirigente da CBF representado pelo Diretor da Diretoria de Competições, ao qual competirá a coordenação geral do evento.  A DCO será auxiliada, no que  couber, pelas demais Diretorias da CBF e pela federações estaduais.  Os interessados poderão consultar a DCO da CBF:

 

         Diretor: Virgílio Elísio da Costa Neto

         E-mail: virgilio.elisio@cbf.com.br

         Tel:  (021) 3572.1924

         Fax: (021) 3572.1990

         End: Rua Victor Civita, 66, Bloco 1, Ed. 5, 5º andar

         Condomínio Rio Office Park

         Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, CEP 22775-040

         Site da CBF: www.cbf.com.br



3.      PAPEL DA OUVIDORIA DA COMPETIÇÃO

 

                   A Ouvidoria da Competição, estabelecidas pelo EDT -  Estatuto de Defesa do Torcedor, tem as seguintes identificações e atribuições (Reproduzindo o texto do do EDT):

 

PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 3/11

 

 

 

 

 

 

 Art. 6º - A entidade responsável pela organização da competição, previamente ao seu início, designará o OUVIDOR da Competição, fornecendo-lhe os meios de comunicação necessários ao amplo acesso dos torcedores.

 § 1º - São deveres do OUVIDOR da Competição recolher as sugestões, propostas e reclamações que receber dos torcedores, examiná-las e propor  à respectiva entidade medidas necessárias ao aperfeiçoamento da competição e ao benefício do torcedor.

  § 2º - É assegurado ao torcedor:

         I - o amplo acesso ao OUVIDOR da Competição, mediante comunicação postal ou mensagem eletrônica; e

     II - o direito de receber do OUVIDOR da Competição as respostas às sugestões, propostas e reclamações, que encaminhou, no prazo de trinta dias.

  § 3º - Na hipótese de que trata o inciso II do § 2º, o OUVIDOR da Competição utilizará, propriamente, o mesmo meio de comunicação utilizado pelo torcedor para o encaminhamento de sua mensagem.

  § 4º - O sito da interne  em que forem publicadas as informações de que trata o parágrafo único do arti. 5º conterá, também, as manifestações e propostas do OUVIDOR da Competição.

  § 5º - A função de OUVIDOR da Competição poderá ser remunerada pelas entidades de prática desportiva participantes da competição.



4.      IDENTIFICAÇÃO DO OUVIDOR

 

  • Nome: Roberto Sardinha




5. EMBASAMENTO LEGAL

        

 

         O presente Plano Geral de Ação deve atender aos dispostos da Lei nº 10.671, de 15/05/2003, que instituiu o EDT - Estatuto de Defesa do Torcedor, em particular ao Artigo 17, a seguir transcrito:

 

 

 

PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 4/11

 

 

 

 

 Art. 17 - É direito do torcedor a implementação de planos de ação referentes a segurança, transporte e contigências que possam ocorrer durante a realização de eventos esportivos.

 § 1º - Os planos de ação de que trata o caput:

 I  - serão elaborados pela entidade responsável pela organização da competição, com a participação das entidades de prática desportiva que a disputarão; e

II - deverão ser apresentados previamente aos órgãos responsáveis pela segurança  pública da localidades em que se realizarão as partidas da competição.

 § 2º - Planos de ação especiais poderão ser apresentados em relação a eventos esportivos com excepcionais expectativa de público.

§ 3º - Os planos de ação serão divulgados  no sito dedicado à competição de que trata o parágrafo  único do art. 5º no  mesmo prazo de publicação do regulamento definitivo da competição.      



 

6.      SÍNTESE DAS AÇÕES OPERACIONAIS

 

 

ITEM

AÇÃO

Referência à Lei nº 10.671/03

01

SEGURANÇA:  Garantir a segurança do torcedor nos estádios antes, durante e após as partidas.

Comentário: a segurança dos torcedores, atletas, dirigentes, imprensa, pessoal à serviço e outros, é de responsabilidade do poder público estadual, ao qual compete o planejamento e a ação das Polícias Militares, da Polícia Civil, da Polícia de Trânsito, do Corpo de Bombo e da Defesa Civil.  

Art. 13º , 14º

02

SEGURANÇA: Assegurar acesso e saída às pessoas portadores de deficiências físicas e necessidades especiais.

Art. 13º; §Ú. Art. 44

03

SEGURANÇA: Solicitar policiamento dentro e fora dos estádios para segurança do torcedor.

Art. 14º; I

 

PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 5/11

 

 

 

 

 

04

SEGURANÇA: Informar horário e local da partida, horário de abertura dos portões, capacidade do estádio e expectativa de público, aos órgãos públicos de segurança, transporte e higiene.

Comentário: solicitamos que os clubes com mando de campo enviem tais informações quinzenalmente, de conformidade com as tabelas das competições, às secretarias estaduais de segurança, transporte e saúde.

Art. 14º; II

05

SEGURANÇA: Disponibilizar, no estádio, orientadores e o Serviço de Atendimento aos Torcedores (SAT) para recebimento de reclamações e sugestões.

Comentário: sugerimos que os orientadores sejam selecionados em colégios ou universidades, proporcionalmente à expectativa de público do jogo e que estejam vestindo uma camiseta ou colete que os identifique.

Art. 14º; III

06

SEGURANÇA: Instalar o SAT no estádio, em local amplamente divulgado e de fácil acesso.

Comentário: sugerimos que o SAT seja instalado nas proximidades da principal entrada do estádio, desejavelmente ocupando uma tenda desmontável, quiosque ou em área coberta do estádio.

Art. 14º; III

07

CONTINGÊNCIAS: Solucionar reclamações dirigidas ao SAT (quando possível), reportá-las ao Ouvidor da Competição.

Art. 14º; § 1º

08

CONTINGÊNCIAS: Contratar seguro de acidente pessoal para o torcedor.

Comentário: vide regulamento da competição

Art. 16º; II

09

CONTINGÊNCIAS: Disponibilizar um médico e dou enfermeiros-padrão para cada grupo de 10 mil pessoas presentes ao estádio.

Art. 16º; III



PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 6/11




 

10

CONTINGÊNCIAS: Disponibilizar uma ambulância para previsão de cada grupo de 10 mil pessoas presentes ao estádio.

Art. 16º; VI

11

CONTINGÊNCIAS: Comunicar previamente os jogos à autoridade de saúde.

Comentário: solicitamos que as federações enviem a tabela da competição (jogos locais) à  Secretária Estadual da Saúde.

Art. 16º; V

12

SEGURANÇA: Elaborar, aprovar e implementar, em conjunto com os clubes com mando de campo, os planos de ação relativos à  segurança/transporte/contigências.

Art. 17º; §1º; I

13

SEGURANÇA: A presentar previamente os planos de ação aos órgãos de segurança pública das localidades das partidas.

Art. 17º; § 1º; II

14

SEGURANÇA: Implantar planos estaduais especiais de ação para jogos de excepcional expectativa de público.

Art. 17º; § 2º

15

SEGURANÇA: Publicar os planos de ação no site da competição, em prazo inferior à 45 dias da competição.

Art. 17º; § 3º

16

SEGURANÇA: Em estádios com capacidade superior a 10.000 (dez mil) pessoas, deverão manter central técnica de informações, com infraestrutura suficiente para viabilizar o monitoramento por imagem do público presente..

Art. 18º

17

SEGURANÇA: Promover o levantamento das possíveis situações de risco para a segurança do torcedor, quanto à falhas de segurança dos estádios.

Comentário: solicitamos que as federações e clubes mandantes busquem empresas de engenharia (especializada em avaliações de risco) e órgãos da Defesa Civil para as avaliações de risco.

Art.13º,14º,16º,17º,18º,19º,23º,15º,26º,27º e 31º

 

PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 7/11

 

 

 

 

 

18

SEGURANÇA: Utilizar sistemas eletrônicos para fiscalização e controle da quantidade de público; acesso ao estádio; movimento financeiro da partida; e de emissão de ingressos

Art. 22º; § 2º

19

SEGURANÇA: Apresentar ao  Ministério Público dos Estados e do DF os Laudos Técnicos de Segurança, incluindo a capacidade real dos estádios, emitidos por órgãos e autoridades competentes.

Art. 23º; § 1º

20

SEGURANÇA: O controle e a fiscalização do acesso do público ao estádio com capacidade para mais de 10.000 (dez mil) pessoas deverão contar com meio de monitoramento por imagem das catracas, sem prejuízo do disposto no art. 18 desta lei.

Art. 25º

21

TRANSPORTES: Acionar o poder público par assegurar aos torcedores acesso e condições de uso do transporte público limpo, seguro e organizado.

Comentário: mediante convênio o Clube com mando de campo deve adotar todas as medidas necessárias e suficientes para garantir a aplicação deste dispositivo legal, buscando assegurar atendimento adequado para o transporte municipal e inter-municipal, comunicando tais providências ao OC.

Sugestões às autoridades da área do trânsito:

a) Colocação de patrulhas especiais do Batalhão de Trânsito em pontos estratégicos para prevenir acidentes de trânsito e agilizar o fluxo preferencial dos veículos que se dirigem ou retornam dos estádios.

b) Colocação de policiamento ostensivo nos veículos da rede de transporte público.

c) Colocação de pontos de parada e itinerários especiais nos dias de jogos, em locais de fácil acesso aos estádios, com iluminação e sinalização adequadas.

Art. 26º; I, II e III

 

PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 8/11

 

 

 

 

21

d) Definição de critérios para operação, tarifas e estacionamento de veículos de transportes alternativos [tipo vans, kombis e moto-táxis].

e) Definição de prioridades de acesso e estacionamento para táxis, motocicletas e bicicletas.

f) Definição de prioridades de acesso e estacionamento para veículos adaptados e/ou que transportem portadores de deficiências físicas e necessidades especiais.

g) Definição de prioridades de acesso e estacionamento para veículos dos profissionais e órgãos credenciados de imprensa.

h) Definição de prioridade de acesso [entrada e saída] e estacionamento de veículos dos árbitros, dos dirigentes das Federações e da CBF e das delegações das equipes de futebol que disputarão os jogos.

i) Definição de prioridade de acesso [entrada e saída] e estacionamento de veículos dos agentes de segurança, médicos, enfermeiros e ambulâncias.

Art. 26º; I, II e III

22

TRANSPORTES: Acionar o Poder Público para divulgar as providências para acesso dos torcedores ao estádios.

Comentário: o clube com mando de campo e autoridades públicas deverão divulgar todas as ações planejadas e medidas adotadas no site da federação local pela internet.

Art. 26º; II

23

TRANSPORTES: O clube com mando de campo deve acionar os agentes da Polícia Militar para viabilizar fluxo rápido e seguro nos acessos aos estádios e aos transportes públicos (nos locais de embarque e desembarque e na chegada e na saída dos estádios).

Art. 26º; III

24

TRANSPORTES: Firmar convênio com o Poder Público para implantação de serviços de estacionamento.

Art. 27º; I

25

TRANSPORTES: Firmar convênio com o Poder Público par ao transporte de idosos, crianças e portadores de necessidades especiais.

Art. 27º; II

 

PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 9/11

 

 

 

 

 

26

SAÚDE: Assegurar ao torcedor condições de qualidade e de higiene na manipulação e venda dos alimentos.

Art. 28º

27

SEGURANÇA: Assegurar ao torcedor a qualidade das instalações físicas do estádio.

Art. 28º

28

SAÚDE: Solicitar fiscalização da Vigilância Sanitária para alimentos fornecidos nos estádios.

Art. 28º; § 1º

29

SAÚDE: Assegurar sanitários em condições de limpeza e uso, e em número compatível com a capacidade do estádio.

Art. 29º

30

SEGURANÇA: Solicitar, na emissão dos Laudos Técnicos de Segurança a aferição do número de sanitários utilizáveis e sua compatibilidade com a capacidade do estádio.

Art. 29º; § Ú

31

SEGURANÇA: Solicitar policiamento para a segurança da arbitragem antes, durante e após a partida.

aRT. 31º

32

SEGURANÇA: Identificação do mau torcedor.

Comentário: Os presidentes das federações deverão envidar esforços para a criação dos juizados especiais criminais nos estádios da competição.

Art. 39º; § 1º, 2º e 3º






 

 




 



PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 10/11










COPA DO BRASIL SUB 20



PLANO GERAL DE AÇÃO

(Segurança, Transportes e Contigências)



ELABORAÇÃO

Ronald de Almeida Silva (colaboração especial)

Arquiteto e Planejador Urbano e Regional



COORDENAÇÃO

Virgílio Elísio da Costa Neto

Diretor de Competições



Rio de Janeiro, 13 de Setembro de 2012.




Virgílio Elísio da Costa Neto

Diretor de Competições




VECN/bvz

 

 

 

 

 

PGA da Copa do Brasil Sub 20/2012

Emissão: 13/09/12

Pág.: 11/11

 

Ranking e Calendário

Data Título
22/12/2023 22:59 CALENDÁRIO DO FUTEBOL FEMININO BRASILEIRO DE 2024 Visualizar
22/12/2023 22:55 CALENDÁRIO DO FUTEBOL DE BASE MASCULINO BRASILEIRO DE 2024 Visualizar
09/12/2023 00:37 RANKING NACIONAL DAS FEDERAÇÕES E CLUBES - FEMININO 2024 Visualizar Visualizar Visualizar Visualizar
08/12/2023 18:50 RANKING NACIONAL DAS FEDERAÇÕES E CLUBES - 2024 Visualizar Visualizar Visualizar Visualizar
07/11/2023 11:22 CALENDÁRIO COPAS REGIONAIS 2024 Visualizar
01/11/2023 10:53 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO DE 2024 Visualizar
28/07/2023 20:03 CALENDÁRIO DO FUTEBOL FEMININO - 2023 (REVISÃO 1) Visualizar
28/07/2023 19:59 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO DE 2023 (REVISÃO 1) Visualizar
25/03/2023 05:28 RANKING NACIONAL DAS FEDERAÇÕES E CLUBES - 2023 Visualizar Visualizar Visualizar Visualizar
16/03/2023 17:06 RANKING NACIONAL DAS FEDERAÇÕES E CLUBES - FEMININO 2023 (REVISÃO 1) Visualizar Visualizar Visualizar Visualizar
01/01/2023 18:49 CALENDÁRIO DO FUTEBOL DE BASE 2023 Visualizar
20/12/2022 15:43 CALENDÁRIO DO FUTEBOL FEMININO - 2023 Visualizar
27/10/2022 22:28 Calendário 2023 - Copas Regionais Visualizar
21/09/2022 20:37 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO DE 2023 Visualizar
30/06/2022 11:25 CALENDÁRIO DO FUTEBOL DE BASE BRASILEIRO DE 2022 (REVISADO) Visualizar
11/02/2022 10:55 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO DE 2022 (REVISADO) Visualizar Visualizar
18/01/2022 10:01 RANKING NACIONAL DO FUTEBOL FEMININO - 2022 Visualizar Visualizar
17/12/2021 03:44 RANKING NACIONAL DAS FEDERAÇÕES E CLUBES - 2022 Visualizar Visualizar Visualizar Visualizar
22/11/2021 15:08 CALENDÁRIO DO FUTEBOL FEMININO BRASILEIRO DE 2022 Visualizar Visualizar Visualizar
06/10/2021 08:59 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO DE 2021 (REVISADO) Visualizar Visualizar
02/04/2021 21:39 CALENDÁRIO DO FUTEBOL DE BASE - 2021 (REVISÃO 1) Visualizar
30/03/2021 14:09 CALENDÁRIO DO FUTEBOL FEMININO - 2021 (REVISÃO 1) Visualizar Visualizar Visualizar
30/03/2021 14:05 RANKING NACIONAL DO FUTEBOL FEMININO - 2021 Visualizar Visualizar Visualizar Visualizar
17/03/2021 04:08 RANKING NACIONAL DAS FEDERAÇÕES E CLUBES - 2021 Visualizar Visualizar Visualizar Visualizar
26/11/2020 16:14 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO DE 2020 (REVISADO - 2º SEMESTRE) Visualizar
31/08/2020 15:37 CALENDÁRIO DO FUTEBOL FEMININO 2020 (REVISÃO 2) Visualizar
04/02/2020 16:10 RANKING NACIONAL DO FUTEBOL FEMININO - 2020 Visualizar Visualizar Visualizar Visualizar
10/12/2019 21:19 RANKING NACIONAL - 2020 Visualizar Visualizar Visualizar Visualizar
02/12/2019 11:13 CALENDÁRIO DO FUTEBOL DE BASE 2020 Visualizar Visualizar
20/11/2019 07:39 CALENDÁRIO DO FUTEBOL FEMININO 2020 Visualizar Visualizar
27/02/2019 17:43 FUTEBOL FEMININO - RANKING 2019 Visualizar Visualizar Visualizar Visualizar
31/01/2019 20:24 CALENDÁRIO DO FUTEBOL DE BASE E FEMININO 2019 Visualizar Visualizar Visualizar
03/01/2019 12:58 CRONOGRAMA DO FUTEBOL DE BASE E FEMININO DE 2019 Visualizar
17/12/2018 18:12 RANKING NACIONAL DAS FEDERAÇÕES E CLUBES - 2019 Visualizar Visualizar Visualizar Visualizar
15/10/2018 14:42 CALENDÁRIO DO FUTEBOL DO NORDESTE DE 2019 Visualizar Visualizar
15/10/2018 14:40 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO DE 2019 Visualizar Visualizar Visualizar
07/03/2018 16:49 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2018 (REV. 2) Visualizar Visualizar Visualizar Visualizar
16/01/2018 16:32 RNF/FF E RNC/FF - 2018 Visualizar
05/12/2017 18:56 CALENDÁRIO DO FUTEBOL DE BASE E FEMININO - 2018 Visualizar
04/12/2017 19:37 RNF E RNC - 2018 Visualizar
26/07/2017 19:28 REVISÃO DOS CRITÉRIOS DE PONTUAÇÃO DO RANKING CBF Visualizar Visualizar
09/01/2017 15:16 CALENDÁRIO DO FUTEBOL DE BASE E FEMININO - 2017 Visualizar
13/12/2016 11:40 RNC E RNF - 2017 Visualizar
23/11/2016 19:43 CALENDÁRIO 2017 PARA FEDERAÇÕES DO NORDESTE-REV 2 Visualizar
18/11/2016 19:47 CALENDÁRIO 2017 PARA FED. NA COPA VERDE-REV 1 Visualizar
18/11/2016 17:19 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2017(REVISÃO 1) Visualizar Visualizar Visualizar
04/11/2016 19:33 RNC/FF E RNF/FF - 2017 Visualizar
06/07/2016 19:06 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2017 (06/07/16) Visualizar
15/12/2015 14:08 CALENDÁRIO DO FUTEBOL DE BASE E FEMININO - 2016 Visualizar
11/12/2015 19:17 RNC/FF E RNF/FF - 2016 Visualizar
09/12/2015 19:14 RNC - 2016 (AJUSTADO) Visualizar
08/12/2015 18:41 RNC E RNF - 2016 Visualizar
25/08/2015 19:11 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2016 (25/08/15) Visualizar
02/02/2015 19:20 CALENDÁRIO DO FUTEBOL FEMININO E DO FUTEBOL DE BASE - 2015 (REV. 1 - 02/02/15) Visualizar
02/02/2015 19:15 CRONOGRAMA DO FUTEBOL FEMININO E DO FUTEBOL DE BASE - 2015 (REV. 1 - 02/02/15) Visualizar
19/12/2014 15:48 CONVERSÃO DE PONTOS DO RANKING (FEMININO) Visualizar
19/12/2014 15:47 RNF/FF - 2015 Visualizar
19/12/2014 15:46 RNC/FF - 2015 Visualizar
19/12/2014 15:40 CONVERSÃO DE PONTOS DO RANKING Visualizar
19/12/2014 15:39 RNF - 2015 Visualizar
19/12/2014 15:37 RNC - 2015 Visualizar
08/10/2014 23:24 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2015 (REV.: 1 - 08/10/14) Visualizar
08/10/2014 23:23 CRONOGRAMA DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2015 (REV.: 1 - 08/10/14) Visualizar
06/08/2014 18:34 OBSERVAÇÕES DO CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2015 Visualizar
06/08/2014 18:33 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2015 (REV.: 0 - 06/08/14) Visualizar
06/08/2014 18:32 CRONOGRAMA DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2015 (REV.: 0 - 06/08/14) Visualizar
14/07/2014 18:36 CRONOGRAMA DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2014 (REV. 3 - 14/07/14) Visualizar
14/07/2014 18:35 CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO - 2014 (REV. 3 - 14/07/14) Visualizar
23/01/2014 15:08 RANKING NACIONAL DOS CLUBES (FEMININO) - 2014 Visualizar
23/01/2014 15:08 RANKING NACIONAL DAS FEDERAÇÕES (FEMININO) - 2014 Visualizar
23/01/2014 15:03 RANKING NACIONAL DOS CLUBES - 2014 Visualizar
23/01/2014 15:03 RANKING NACIONAL DAS FEDERAÇÕES - 2014 Visualizar
26/03/2013 14:44 Calendário do Futebol Brasileiro - 1º S/2013 Visualizar
26/03/2013 12:48 Calendário do Futebol Brasileiro - 2ºS /2013 Visualizar
19/03/2013 10:25 Ranking Nacional dos Clubes em 2013 Visualizar
19/03/2013 10:24 Ranking Nacional de Federações - 2013 Visualizar
19/03/2013 10:01 Ranking Nacional de Federações de Futebol Feminino 2013 Visualizar
19/03/2013 10:00 Ranking Nacional de Clubes do Futebol Feminino 2013 Visualizar

Ouvidoria

25/02/2022 12:05


Victor Mendes

E-mail: ouvidoriacompeticoes.mendes@cbf.com.br

 

Estatísticas

Artilharia

Clube Gols Nome Apelido
Fluminense - RJ 20 FREDERICO CHAVES GUEDES FRED
São Paulo - SP 17 LUIS FABIANO CLEMENTE LUIS FABIANO
Palmeiras - SP 14 HERNAN BARCOS HERNAN
Santos - SP 14 NEYMAR DA SILVA SANTOS JUNIOR NEYMAR
Portuguesa - SP 14 BRUNO MENEZES SOARES BRUNO MINEIRO
Figueirense - SC 14 ALOISIO DOS SANTOS GONCALVES ALOISIO
Flamengo - RJ 13 VAGNER SILVA DE SOUZA VAGNER LOVE
Náutico - PE 13 WELKER MARCAL ALMEIDA KIEZA
Atlético - MG 11 BERNARD ANICIO CALDEIRA DUARTE BERNARD
Botafogo - RJ 11 ELKESON DE OLIVEIRA CARDOSO ELKESON
Atlético - MG 10 JOAO ALVES DE ASSIS SILVA JO
Vasco da Gama - RJ 10 ALECSANDRO BARBOSA FELISBINO ALECSANDRO
Grêmio - RS 10 MARCELO MORENO MARTINS MARCELO
Cruzeiro - MG 10 WELLINGTON PEREIRA DO NASCIMENTO WELLINGTON PAULISTA
Atlético - MG 9 RONALDO DE ASSIS MOREIRA RONALDINHO GAUCHO
Ponte Preta - SP 9 ROGER RODRIGUES DA SILVA ROGER
Figueirense - SC 9 CAIO CANEDO CORREIA CAIO
Botafogo - RJ 8 ANDRE LUIZ TAVARES ANDREZINHO
Botafogo - RJ 8 CLARENCE CLYDE SEEDORF CLARENCE
São Paulo - SP 8 OSVALDO LOURENCO FILHO OSVALDO
Bahia - BA 8 RODRIGO DE SOUZA CARDOSO SOUZA
Sport - PE 8 HUGO HENRIQUE ASSIS DO NASCIMENTO HUGO
Grêmio - RS 8 ANDRE LUIZ BARRETO SILVA LIMA ANDRE LIMA
Náutico - PE 8 CLEMERSON DE ARAUJO SOARES ARAUJO
Coritiba - PR 8 DEIVID DE SOUZA DEIVID
Corinthians - SP 7 JOSE PAULO BEZERRA MACIEL JUNIOR PAULINHO
Santos - SP 7 ANDRE FELIPE RIBEIRO DE SOUZA ANDRE
Sport - PE 7 FELIPE AZEVEDO DOS SANTOS FELIPE
Sport - PE 7 GILBERTO OLIVEIRA SOUZA JUNIOR GILBERTO
Internacional - RS 7 LEANDRO DAMIAO DA SILVA DOS SANTOS LEANDRO DAMIAO
Vasco da Gama - RJ 7 ANTONIO AUGUSTO RIBEIRO REIS JUNIOR JUNINHO
Grêmio - RS 7 ELANO BLUMER ELANO
Grêmio - RS 7 WEVERSON LEANDRO OLIVEIRA MOURA WEVERSON
Cruzeiro - MG 7 HUMBERLITO BORGES TEIXEIRA HUMBERLITO
Náutico - PE 7 ELIERCE BARBOSA DE SOUZA SOUZA
Coritiba - PR 7 EVERTON AUGUSTO DE BARROS RIBEIRO EVERTON RIBEIRO
Corinthians - SP 6 DOUGLAS DOS SANTOS DOUGLAS
Corinthians - SP 6 ROMARIO RICARDO DA SILVA ROMARIO
Atlético - MG 6 DANILO VERON BAIRROS VERON
Atlético - MG 6 LEONARDO FABIANO DA SILVA E SILVA LEO SILVA
São Paulo - SP 6 LUCAS RODRIGUES MOURA DA SILVA LUCAS
Bahia - BA 6 GABRIEL SANTANA PINTO GABRIEL
Bahia - BA 6 LEANDRO FAHEL MATOS LEANDRO
Santos - SP 6 EZEQUIEL NICOLAS MIRALLES MIRALLES
Santos - SP 6 FELIPE ANDERSON PEREIRA GOMES FELIPE
Portuguesa - SP 6 MOISES LIMA MAGALHAES MINEIRO
Internacional - RS 6 DAGOBERTO PELENTIER DAGOBERTO
Internacional - RS 6 FREDERICO RODRIGUES DE PAULA SANTOS FRED
Grêmio - RS 6 KLEBER GIACOMACE DE SOUSA FREITAS KLEBER
Fluminense - RJ 6 WELLINGTON SILVA SANCHES AGUIAR WELLINGTON
Flamengo - RJ 6 CARLOS RENATO DE ABREU CARLOS
Corinthians - SP 5 DANILO GABRIEL DE ANDRADE DANILO
Corinthians - SP 5 JOSE PAOLO GUERRERO GONZALES GUERRERO
Atlético - MG 5 REVER HUMBERTO ALVES DE ARAUJO REVER
Botafogo - RJ 5 BRUNO PEREIRA MENDES BRUNO MENDES
Botafogo - RJ 5 GERMAN GUSTAVO HERRERA HERRERA
São Paulo - SP 5 JADSON RODRIGUES DA SILVA JADSON
São Paulo - SP 5 MAICON THIAGO PEREIRA DE SOUZA MAICON
Internacional - RS 5 DIEGO FORLAN CORAZO FORLAN
Fluminense - RJ 5 SAMUEL ROSA GONCALVES SAMUEL
Fluminense - RJ 5 THIAGO NEVES AUGUSTO THIAGO NEVES
Ponte Preta - SP 5 GIANCARLO DA SILVA MORO GIANCARLO
Figueirense - SC 5 JULIO CESAR DA SILVA E SOUZA JULIO CESAR
Figueirense - SC 5 RONIERI DA SILVA PINTO RONIERI
Palmeiras - SP 4 ANDERSON SOARES DA SILVA MAZINHO
Portuguesa - SP 4 ANANIAS ELOI CASTRO MONTEIRO ANANIAS
Sport - PE 4 HENRIQUE ALMEIDA CAIXETA NASCENTES HENRIQUE
Sport - PE 4 MARCOS GABRIEL DO NASCIMENTO MARQUINHOS
Vasco da Gama - RJ 4 CARLOS VICENTE TENORIO MEDINA CARLOS
Vasco da Gama - RJ 4 NILTON FERREIRA JUNIOR NILTON
Flamengo - RJ 4 LIEDSON DA SILVA MUNIZ LIEDSON
Cruzeiro - MG 4 ALEJANDRO HERNAN MARTINUCCIO MARTINUCIO
Cruzeiro - MG 4 ANSELMO RAMON ALVES HERCULANO RAMON
Cruzeiro - MG 4 WALTER DAMIAN MONTILLO MONTILLO
Coritiba - PR 4 ANDERSON ANGUS AQUINO ANDERSON AQUINO
Coritiba - PR 4 LINCOLN CASSIO DE SOUZA SOARES LINCOLN
Ponte Preta - SP 4 NEUCIANO DE JESUS GUSMAO NEUCIANO
Atlético - GO 4 ANDERSON PATRICK AGUIAR OLIVEIRA PATRICK
Atlético - GO 4 MARCIO LUIZ SILVA LOPES SANTOS SOUZA MARCIO
Corinthians - SP 3 ANDERSON SEBASTIAO CARDOSO CHICÃO
Corinthians - SP 3 MARCIO PASSOS DE ALBUQUERQUE MARCIO
Corinthians - SP 3 PAULO ANDRE CREN BENINI PAULO ANDRE
Palmeiras - SP 3 LUAN MICHEL LOUZA LOUZA
Atlético - MG 3 DAMIAN ARIEL ESCUDERO ESCUDERO
Atlético - MG 3 GUILHERME MILHOMEN GUSMAO BACABAL
Botafogo - RJ 3 ALCIDES DE SOUZA FARIA JUNIOR ALCIDES
Botafogo - RJ 3 FELLYPE GABRIEL DE MELLO E SILVA FELLYPE GABRIEL
Botafogo - RJ 3 VITOR SILVA ASSIS DE OLIVEIRA JUNIOR VITOR JUNIOR
São Paulo - SP 3 ADEMILSON BRAGA BISPO JUNIOR ADEMILSON
São Paulo - SP 3 ROGERIO CENI ROGERIO
Bahia - BA 3 DARCY DOLCE NETO DARCY DOLCE NETO
Bahia - BA 3 HELDER DE PAULA SANTOS HELDER
Santos - SP 3 BRUNO RODRIGO FENELON PALOMO BRUNO
Santos - SP 3 VICTOR ANDRADE SANTOS VICTOR
Portuguesa - SP 3 MARCELO CORDEIRO DE SOUZA MARCELO
Sport - PE 3 FRANCISCO RITHELY DA SILVA SOUSA RITHELY
Internacional - RS 3 CASSIANO DIAS MOREIRA CASSIANO
Vasco da Gama - RJ 3 DIEGO DE SOUZA ANDRADE DIEGO SOUZA
Vasco da Gama - RJ 3 EDER LUIS DE OLIVEIRA EDER
Grêmio - RS 3 JOSE ROBERTO DA SILVA JUNIOR ZE ROBERTO
Grêmio - RS 3 MARCOS VICENTE DOS SANTOS MARCOS
Grêmio - RS 3 WERLEY ANANIAS DA SILVA WERLEY
Fluminense - RJ 3 LEANDRO DA FONSECA EUZEBIO LEANDRO
Fluminense - RJ 3 RAFAEL AUGUSTO SOBIS RAFAEL SOBIS
Flamengo - RJ 3 HERNANE VIDAL DE SOUZA HERNANE
Cruzeiro - MG 3 FRANCISCO EVERTON DE ALMEIDA ANDRADE EVERTON
Náutico - PE 3 ELICARLOS SOUZA SANTOS EDICARLOS
Coritiba - PR 3 AYRTON LUIZ GANINO AYRTON
Coritiba - PR 3 FABIO PEREIRA DA CRUZ PEREIRA
Coritiba - PR 3 LEONARDO GONCALVES SILVA LEONARDO
Coritiba - PR 3 RAFAEL DA SILVA FRANCISCO RAFINHA
Coritiba - PR 3 ROBSON MICHAEL SIGNORINI ROBINHO
Ponte Preta - SP 3 MARCIO MIRANDA FREITAS ROCHA DA SILVA MARCINHO
Ponte Preta - SP 3 RICARDO DIAS ACOSTA RICARDINHO
Atlético - GO 3 DIEGO DA SILVA GIARETTA DIEGO
Atlético - GO 3 ERNANDES DIAS LUZ ERNANDES
Atlético - GO 3 FELIPE REINALDO DA SILVA FELIPE
Atlético - GO 3 RAYLLAN CAMPOS SANTOS RAYLLAN
Corinthians - SP 2 EDENILSON ANDRADE DOS SANTOS EDENILSON
Corinthians - SP 2 GUILHERME DOS SANTOS TORRES GUILHERME
Corinthians - SP 2 JUAN MANUEL MARTINEZ MARTINEZ
Palmeiras - SP 2 CARLOS RODRIGO CORREA CORREA
Palmeiras - SP 2 MANUEL DE BRITO FILHO OBINA
Palmeiras - SP 2 MARCOS DOS SANTOS ASSUNCAO MARCOS ASSUNCAO
Palmeiras - SP 2 PATRIK MARINS VIEIRA PATRICK
Atlético - MG 2 LEANDRO DONIZETE GONCALVES DA SILVA LEANDRO DONIZETE
Atlético - MG 2 LEONARDO GONCALVES SILVA LEONARDO
Atlético - MG 2 MARCOS LUIS ROCHA AQUINO MARCOS
Botafogo - RJ 2 LUCAS RIOS MARQUES LUCAS
Botafogo - RJ 2 MARCELO NICOLAS LODEIRO BENITEZ MARCELO
São Paulo - SP 2 CICERO SANTOS CICERO
São Paulo - SP 2 DOUGLAS PEREIRA DOS SANTOS DOUGLAS
São Paulo - SP 2 JONATHAN DOIN PAULO MIRANDA
Bahia - BA 2 JONES DA SILVA LOPES JONES
Bahia - BA 2 JOSE KLEBERSON PEREIRA JOSE KLEBERSON
Santos - SP 2 BRUNO DA SILVA PERES BRUNO
Santos - SP 2 EDUARDO LUIS ABONIZIO DE SOUZA EDU DRACENA
Santos - SP 2 PATRICIO JULIAN RODRIGUEZ RODRIGUEZ
Portuguesa - SP 2 HUGO LEONARDO DA SILVA SEREJO LEONARDO
Portuguesa - SP 2 LUIS RICARDO SILVA UMBELINO LUIS RICARDO
Portuguesa - SP 2 RICARDO JESUS DA SILVA RICARDO
Portuguesa - SP 2 RODRIGO BATISTA DA CRUZ RODRIGO
Sport - PE 2 GILSON DO AMARAL GILSON
Internacional - RS 2 JAKSON AVELINO COELHO JAKSON AVELINO COELHO
Internacional - RS 2 RAFAEL MARTINIANO DE MIRANDA MOURA RAFAEL MOURA
Vasco da Gama - RJ 2 CARLOS ALBERTO GOMES DE JESUS CARLOS ALBERTO
Vasco da Gama - RJ 2 FELIPE JORGE LOUREIRO FELIPE
Vasco da Gama - RJ 2 FELLIPE RAMOS IGNEZ BASTOS FELLIPE
Grêmio - RS 2 JOSEF DE SOUZA DIAS SOUZA
Grêmio - RS 2 MARCOS ANTONIO MIRANDA FILHO MARQUINHOS
Fluminense - RJ 2 JEAN RAPHAEL VANDERLEI MOREIRA JEAN
Fluminense - RJ 2 RODRIGO JUNIOR PAULA SILVA RODRIGO
Fluminense - RJ 2 WELINGTON PEREIRA RODRIGUES WELINGTON
Flamengo - RJ 2 ADRYAN OLIVEIRA TAVARES ADRYAN
Flamengo - RJ 2 MARCOS ANDRES GONZALES SALAZAR MARCOS
Cruzeiro - MG 2 JOSE ELBER PIMENTEL DA SILVA ELBER
Cruzeiro - MG 2 RAFAEL FERREIRA DONATO RAFAEL
Cruzeiro - MG 2 WALLYSON RICARDO MACIEL MONTEIRO WALLYSON
Náutico - PE 2 CARLOS HENRIQUE DIAS QUIM
Náutico - PE 2 LUIS FERNANDO LOJUDICE MARTINEZ LUIS FERNANDO LOJUDICE MARTINEZ
Coritiba - PR 2 ANDERSON SIMAS LUCIANO TCHECO
Coritiba - PR 2 EMERSON DOS SANTOS DA SILVA EMERSON
Coritiba - PR 2 EVERTON SANTOS DA COSTA EVERTON
Coritiba - PR 2 LUCAS MICHEL MENDES LUCAS
Coritiba - PR 2 ROBERTO CESAR ZARDIN RODRIGUES ROBERTO
Ponte Preta - SP 2 ANDRE LUIS LEITE ANDRE
Ponte Preta - SP 2 LUAN MADSON GEDEAO DE PAIVA LUAN
Ponte Preta - SP