Somos Futebol: as novas mídias e a mudança nas transmissões dos jogos

Somos Futebol: as novas mídias e a mudança nas transmissões dos jogos

Na manhã desta quarta-feira (24), a Semana de Evolução do Futebol Brasileiro reuniu profissionais da DAZN, Globo, Facebook, Livemode e MyCujoo

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Cofundador do MYCUJOO

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Cofundador do MYCUJOO

Créditos: Laís Torres/ CBF

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Cofundador do MYCUJOO

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Cofundador do MYCUJOO

Créditos: Laís Torres/ CBF

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Cofundador do MYCUJOO

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Cofundador do MYCUJOO

Créditos: Laís Torres/ CBF

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Edgar Diniz Sócio-Fundador da Livemore

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Edgar Diniz Sócio-Fundador da Livemore

Créditos: Laís Torres/ CBF

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Edgar Diniz Sócio-Fundador da Livemore

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Edgar Diniz Sócio-Fundador da Livemore

Créditos: Laís Torres/ CBF

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Leonardo César- Head de Parceria Esportiva Latam Do Facebook

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Leonardo César- Head de Parceria Esportiva Latam Do Facebook

Créditos: Laís Torres/ CBF

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Leonardo César- Head de Parceria Esportiva Latam Do Facebook

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Leonardo César- Head de Parceria Esportiva Latam Do Facebook

Créditos: Laís Torres/ CBF

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Head de Direitos do Esporte do Grupo Globo Fernando Manuel

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Head de Direitos do Esporte do Grupo Globo Fernando Manuel

Créditos: Laís Torres/ CBF

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Head de Direitos do Esporte do Grupo Globo Fernando Manuel

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - Head de Direitos do Esporte do Grupo Globo Fernando Manuel

Créditos: Laís Torres/ CBF

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - VP Executivo da DAZN Bruno Rocha

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - VP Executivo da DAZN Bruno Rocha

Créditos: Laís Torres/ CBF

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - VP Executivo da DAZN Bruno Rocha

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - VP Executivo da DAZN Bruno Rocha

Créditos: Laís Torres/ CBF

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - VP Executivo da DAZN Bruno Rocha

Somos Futebol 2019 - Futebol e a Transformação da Mídia - VP Executivo da DAZN Bruno Rocha

Créditos: Laís Torres/ CBF

As novas tecnologias tomaram conta da vida social de bilhões de pessoas pelo mundo e também afetaram o ambiente esportivo. As transmissões de jogos ao vivo em plataformas digitais, a interatividade e a democratização de conteúdo fizeram com que o esporte - principalmente o futebol - também fosse afetado por essa crescente evolução tecnológica. Na manhã desta quarta-feira (24), o Somos Futebol – Semana de Evolução do Futebol Brasileiro reuniu cinco profissionais de diferentes empresas para compartilharem experiências sobre a transformação que a mídia vem passando e a relação com o esporte mais popular do planeta.

Na sede da CBF, no Rio de Janeiro, o CEO da DAZN, Bruno Rocha; o head de direitos esportivos do Grupo Globo, Fernando Manuel; o head de Esportes para a América Latina do Facebook, Leonardo César; o fundador da LiveMode, Edgar DIniz; e o CEO da MyCujoo, João Presa, trouxeram suas diferentes visões sobre os novos modelos de se produzir conteúdo esportivo e debateram sobre o futuro das transmissões.

Bruno Rocha (CEO da DAZN)

Investindo forte no mercado de transmissões ao vivo e já detentora de direitos de alguns campeonato importantes pelo mundo - incluindo a Série C do Campeonato Brasileiro - a DAZN chegou para revolucionar a maneira de se consumir conteúdo esportivo. No entanto, os desafios não são fáceis. O CEO da empresa, Bruno Rocha, abriu a manhã desta quarta-feira (27) destacando as mudanças de hábitos dos usuários ao longo dos anos e os benefícios e dificuldades de se fazer transmissão ao vivo. 

– São dois os grandes desafios. O primeiro é forçar a mudança de hábito, as pessoas já estão muito acostumadas a consumir o esporte, o conteúdo favorito delas nas vias tradicionais, por canais lineares, por canais que você acaba voltando por hábito. E o segundo desafio é infraestrutura do país. A gente já sabe que em algumas regiões talvez a experiência não vai ser tão agradável, a imagem não vai ser em alta definição e a gente acredita que a infraestrutura vai evoluir rápido também e em breve a experiência do usuário vai ser em altíssima qualidade no país inteiro - explicou Bruno Rocha.

Fernando Manuel (Head de Direitos Esportivos do Grupo Globo)

Fazendo parte da chamada mídia tradicional e contrapondo os demais profissinais presentes na palestra, Fernando Manuel trouxe uma perspectiva diferente para o Somos Futebol. Ele pontuou que as novas maneiras de se consumir o conteúdo esportivo podem estar andando lado a lado com o meio tradicional. 

O Grupo Globo, inclusive, conta com o Sportv Play e o Premiere Play que são plataformas nas quais o usuário pode assistir o conteúdo que está passando na TV no seu celular ou computador. 

– Eu vejo isso, na realidade, como algo que está fundido, que está absolutamente conectado. Uma empresa dita mídia tradicional como a Globo já possui uma série de iniciativas dentro da nova mídia e não poderia ser diferente para atender os anseios tanto do consumidor quanto dos seus parceiros. No caso, parceiros do mundo do esporte como a CBF e os clubes - explicou Fernando. 

Leonardo César (Head de Esportes para a América Latina do Facebook)

A rede social mais popular do mundo também não poderia ficar de fora do debates. O Facebook, líder de usuários entre as redes, também embarcou na onda das transmissões ao vivo em sua plataforma e investiu em novas formas de produzir conteúdo para seu público. Como explicou Leonardo César em sua palestra, o Facebook passou de um feed único para uma rede integrada de diversos nichos, focando na interatividade e exclusividade de conteúdo.

– Acho que a CBF está dando um exemplo pro Brasil com esse evento, muita gente importante vindo aqui e é um privilégio estar participando. Acho super importante pra discussão como um todo. A gente está vivendo um momento de muita transformação, muita gente nova entrando no mercado - comentou Leonardo sobre o debate de transformações digitais.

Edgar Diniz (fundador da LiveMode)

A quarta palestra da manhã foi comandada por Edgar Diniz, fundador da LiveMode. A empresa é especializada em maximizar a presença digital de federações, ligas e clubes pelo mundo afora. Ele apresentou dados, valores e cases de sucesso em todo planeta, como da NFL, do WWE e da Copa do Nordeste.  

– É fundamental pra CBF, pros clubes e federações pensarem no futuro e como constroem esse futuro com essa mudança digital que está acontecendo - disse. 

João Presa (CEO da MyCujoo)

O português João Presa, CEO da MyCujoo, foi quem a fechou a manhã de palestras do Somos Futebol nesta quarta-feira. Ele pontuou o que é um dos principais objetivos da entrada dessas novas mídias no mercado: a democratização do futebol. A oportunidade de assistir jogos de diversos times de qualquer lugar do mundo e alcançar o maior número de pessoas possíveis.

Durante sua palestra, João Presa exemplificou sua lógica comparando um clássico no Marrocos com o clássico entre Real Madrid X Barcelona. Para o português, como essa nova forma de transmitir e produzir conteúdo, uma partida do Raja Casablanca pode até o mesmo interesse que do time madrilenho. 

– Quanto mais conteúdo é produzido, quanto mais conteúdo chega aos fãs, isso vai eventualmente acontecer e a realidade é essa - explicou o português.

 

 


Veja mais