Somos Futebol debate Competições e Operações

Somos Futebol debate Competições e Operações

Dirigentes de CBF, Middlesbrough FC e UEFA apresentaram as peculiaridades da gestão de seus respectivos produtos

Somos Futebol: Competições e Operações

"Competições e Operações – A importância para uma competição da experiência em dia de jogo" foi o tema da manhã do terceiro dia da 2ª Semana de Evolução do Futebol Brasileiro. Na primeira parte do evento desta quarta-feira (10), na sede da CBF, no Rio de Janeiro (RJ), o Diretor de Competições da Confederação Brasileira de Futebol, Manoel Flores, iniciou as palestras com uma enriquecedora apresentação sobre o modo de operar nos jogos da Seleção Brasileira e a gestão de competições organizadas pela Entidade. Na sequência, Mark Ellis, Diretor de Operações do Middlesbrough, da Inglaterra, contou um pouco sobre a história do clube, fundado em 1876, sendo um dos mais antigos do país, e o sucesso de público que consegue ter em suas partidas. Catalina Navaro, head de Operações Comerciais Uefa Events, encerrou o ciclo de partidas detalhando a estratégia da entidade para promover a Champions League. Em uma roda de debate, os palestrantes fecharam o período da manhã com uma interessante troca de experiências.

Manoel Flores: detalhes de uma boa operação

As operações da CBF em jogos da Seleção Brasileira e competições são um sucesso. O Diretor de Competições da Entidade explicou algumas das particularidades deste modo de ação. Buscando sempre a excelência, Manoel Flores deu ênfase ao cuidado de sua equipe com o palco das partidas.

- A principal preocupação de cada competição é com o gramado. Começamos no ano passado o projeto gramados. Primeiro observamos que havia discrepância com relação ao tamanho, as medidas do campo. Tínhamos estádios de gramados enormes e outros bem menores. A CBF corrigiu essa distorção. Hoje passamos relatórios para cada clube sobre a qualidade do gramado. Além de ser trabalhoso, esse processo é caro. Por isso, precisamos buscar um engajamento com os clubes. Trouxemos aqui as pessoas que cuidam de gramados de todos os estádios das Séries A e B para que ouvissem palestras de especialistas com todas as melhores práticas para se ter um gramado de qualidade. Foram ao Maracanã para ver os maquinários mais modernos e saíram satisfeitos - destaca.

Mark Ellis: atendimento ao torcedor 

O Middlesbrough tem uma média de 30 mil espectadores por jogo e 24 mil têm o tíquete permanente da temporada atual. O dirigente explicou que tudo isso passa pelo trabalho que o clube tem para atender a diversos públicos. Mark Ellis ressalta que oferecer serviços aos torcedores é muito importante, pois o clube precisa deles. 

– A gente vê a nossa base de torcedores e segmentamos eles. Temos vários grupos de torcedores diferentes, que querem coisas distintas. Criamos uma zona de família, temos também uma área para o pessoal que gosta de ficar na multidão, também temos alas para aqueles que possuem um pouco mais de dinheiro. Cada um desses têm suas necessidades - acrescenta.

Catalina Navaro: organização da UEFA 

Para encerrar o ciclo de palestras, a representante da UEFA comentou os procedimentos adotados pela Entidade para promover jogos da Champions League. Catalina Navarro falou sobre aspectos comerciais, produto e marca UEFA e o detalhamento sobre realização dos eventos.
- O sucesso da competição não é somente responsabilidade da UEFA. Há toda uma estrutura para que seja alcançado a excelência e, por isso, os patrocinadores, os clubes e, principalmente, as emissoras de TV precisam agir conforme planejamos para que alcancemos o objetivo - afirma.

Roda de conversas

Como de costume, os três palestrante promoveram uma debate após as palestras. Manoel Flores, Mark Ellis, e Catalina Navaro compartilharam suas experiências e tiraram dúvidas dos expectadores.