Novas tecnologias na melhoria da performance

Novas tecnologias na melhoria da performance

Médico do Flamengo, Marcio Tannure, comandou a mesa sobre o assunto no II Simpósio de Educação Continuada da Comissão Nacional de Médicos do Futebol

II Simpósio de educação continuada da CNMF

II Simpósio de educação continuada da CNMF

Créditos: Rafael Ribeiro / CBF

Marcio Tannure

Marcio Tannure

Créditos: Rafael Ribeiro / CBF

A Semana de Evolução do Futebol Brasileiro se encerra com o II Simpósio de Educação Continuada da Comissão Nacional de Médicos do Futebol (CNMF) e, uma das palestras que gerou bom debate foi a que tratou sobre as novas tecnologias em colaboração à melhoria da performance dos jogadores.

O médico do Flamengo, Marcio Tannure, foi o coordenador do assunto e contou aos mais de 130 presentes como é o trabalho neste sentido do clube carioca. Tannure falou sobre o estudo genético que é feito dos jogadores flamenguistas para identificar alguma predisposição genética ou intolerância alimentar, por exemplo; sobre o uso do Catapult; da termografia; os testes do suor; e da fisioterapia – hoje usada não só para a recuperação de lesão, mas também para a prevenção. 

A mesa contou com a participação da pós-doutoranda da USP, Ana Carolina Corte, que realiza o trabalho de termografia no time do Corinthians. Inicialmente, os testes foram feitos com jogadores lesionados, em que se buscava acelerar a recuperação. Hoje, o objetivo é determinar o padrão térmico de cada atleta e assim ser feito um trabalho preventivo.

O fisiologista da CBF, Guilherme Passos, explicou como as seleções brasileiras utilizam o Catapult, um GPS que fornece milhares de informações, como por exemplo acelerações, desacelerações, mudanças de direção, distância percorrida, entre outras. De posse desses dados, os médicos, fisiologistas e preparadores físicos conseguem determinar as cargas internas e externas dos jogadores. A utilização dos aparatos eletrônicos durante os jogos já é permitida, desde que as informações não sejam passadas em tempo real, ou seja, a comissão técnica não pode recebê-las diretamente no banco, mas sim no vestiário, conforme o presidente da CNMF, Jorge Pagura, ressaltou.

Moacyr Neto, Home - Centro de Excelência Fifa, também compôs a mesa e explicou a importante do teste basal cognitivo, em que o jogador realizar antes para ser usado como comparação caso haja alguma lesão. 

Muito clubes já utilizam algumas tecnologias com o objetivo de melhorar a performance dos jogadores. Entretanto, Marcio Tannure procurou em todos os momentos passar orientações e sugestões de materiais e equipamentos para as equipes que ainda não usam e que têm objetivo em fazer, como indicações de GPS e câmaras para a realização da termografia, por exemplo.