Emily Shaw analisa o futebol feminino pelo mundo

Emily Shaw analisa o futebol feminino pelo mundo

Head de Governança e Liderança de Futebol Feminino da FIFA participou da mesa a respeito do desenvolvimento da modalidade na 2ª Semana de Evolução do Futebol

Somos Futebol: Desenvolvimento do Futebol Feminino - Emily Shaw Somos Futebol: Desenvolvimento do Futebol Feminino - Emily Shaw
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

“Tornar o esporte acessível para todos. Meninas também gostam de jogar futebol". Assim Emily Shaw, head de governança e liderança de futebol feminino da FIFA, iniciou seu discurso sobre o desenvolvimento do futebol feminino. Representando a entidade máxima do futebol mundial desde janeiro desse ano, Emily parabenizou o Brasil pelo trabalho que tem feito com o futebol feminino.

– Gostaria de reconhecer o fato de que o Brasil pode ter muito orgulho do que atingiu no futebol feminino. Podem ter muito orgulho da Emily Lima, primeira técnica da Seleção Feminina, e da Marta que é uma lenda da modalidade – afirmou.

Com um vídeo mostrando imagens da última edição da Copa do Mundo, realizada no Canadá em 2015, ela lembrou que a final do torneio entre Estados Unidos e Japão movimentou mais 760 milhões de telespectadores. Foi o jogo de futebol mais assistido na história dos EUA. Em contraponto a esses dados, Shaw aponta que apesar de 40% das pessoas que praticam esportes serem mulheres, apenas 4% recebem algum tipo de suporte.

Dividindo a palestra em três momentos: governança e liderança, profissionalização e desenvolvimento. A head da FIFA destaca que no atual momento da entidade, iniciado após a posse do novo presidente, Gianni Infantino, o objetivo é dar maior poder e reconhecimento a mulher dentro do futebol promovendo a igualdade de gênero em todos os níveis em confederações e associações membro. 

– Temos uma questão chave para essa nova fase da FIFA que é fazer mais pelo futebol feminino. Por isso criou-se uma divisão de futebol feminino e hoje nós trabalhamos para ver como podemos trabalhar e executar essa visão.

As mudanças e melhorias tem acontecido ao longo dos anos, porém muita coisa ainda precisa ser feita. De acordo com Emily, um dos principais tópicos que precisa ser discutido é a qualidade das competições ao redor do mundo. A criação de campeonatos de alto nível vai contribuir para uma maior profissionalização. Nesse sentido, existe uma tendência de maiores investimentos em algumas ligas como na colombiana e na inglesa. O que também vem tendo destaque é a aparição de clubes mais ricos do futebol masculino no cenário da modalidade feminina.

O calendário internacional e a regulamentação de atletas e clubes foram debatidas na palestra. Shaw admitiu que há muito espaço para melhorias. Por exemplo aumentar a previsão de datas para quatro anos o que facilitaria o planejamento e integrar os licenciamentos para facilitar o contato com as federações gerando mais notoriedade.

Outras ações vem sendo realizadas pela FIFA para aumentar o desenvolvimento do futebol feminino. Como treinamentos para árbitros e técnicas, cursos administrativos e programas de liderança das mulheres.

– Queremos melhorar as oportunidades tanto num nível de base quanto num nível de elite.