Marketing esportivo é tema em segundo dia da Brasil Futebol Expo 2019

Marketing esportivo é tema em segundo dia da Brasil Futebol Expo 2019

Em curso animado, diretores da CBF, Ambev, NBA e da Women's Experience Sports discutem os desafios do marketing esportivo

FOTOS SEGUNDO DIA DO BRASIL FUTEBOL EXPO 2019.

FOTOS SEGUNDO DIA DO BRASIL FUTEBOL EXPO 2019.

Créditos: Matheus Tripoli/CBF

FOTOS SEGUNDO DIA DO BRASIL FUTEBOL EXPO 2019.

FOTOS SEGUNDO DIA DO BRASIL FUTEBOL EXPO 2019.

Créditos: Matheus Tripoli/CBF

FOTOS SEGUNDO DIA DO BRASIL FUTEBOL EXPO 2019.

FOTOS SEGUNDO DIA DO BRASIL FUTEBOL EXPO 2019.

Créditos: Matheus Tripoli/CBF

FOTOS SEGUNDO DIA DO BRASIL FUTEBOL EXPO 2019.

FOTOS SEGUNDO DIA DO BRASIL FUTEBOL EXPO 2019.

Créditos: Matheus Tripoli/CBF

A manhã desta quinta-feira foi de muito debate sobre marketing esportivo na Brasil Futebol Expo 2019. Alguns dos principais agentes da área se reuniram para um curso na Sala Vivo, na feira. Rodrigo Vicentini, head da NBA Brasil, Felipe Ghiotto, diretor de marketing da Ambev, e Mônica Esperidião, fundadora da Women's Experience Sports, foram recebidos no auditório por Gilberto Ratto, diretor de marketing da CBF.

O papo foi tão interessante que o público se amontoou para acompanhar. O auditório estava lotado de gente para ouvir o que os quatro tinham de experiência para passar na área do marketing esportivo.

Patrocinadora histórica da Seleção Brasileira, a Ambev tem uma forte relação com o futebol brasileiro. Das categorias de base até as equipes profissionais, tanto no masculino quanto no feminino, os atletas da Seleção carregam no uniforme a marca do Guaraná Antártica. Para Felipe Ghiotto, essa parceria não poderia ter sido feita entre dois símbolos com mais afinidade.

- Estamos indo para o 20º ano dessa parceria (com a CBF). O mais importante são os valores que a gente consegue trocar. A Seleção Brasileira representa o que de melhor a gente tem no Brasil. O sucesso da camisa amarela, por onde você vai no mundo você pode levar essas cinco estrelas. E quando olhamos pro Guaraná Antártica, ele é um desses produtos que a gente tem orgulho de ser do Brasil. Que vem da Amazônia. Em qualquer lugar do mundo, quando você encontra um Guaraná você abre aquele sorriso e pensa: "Isso aqui é Brasil" - disse Ghiotto.

Em 2019, a Ambev encabeçou uma forte campanha publicitária para as atletas da Seleção Feminina. Durante a Copa do Mundo, a empresa criou um divisor de águas no marketing esportivo do país, com a primeira peça publicitária 100% dedicada à Seleção Feminina.

Com experiência no marketing esportivo, Mônica Esperidião sabe bem dos desafios de trabalhar com o futebol feminino. Após mais de uma década como responsável pelo marketing esportivo na Telefônica/Vivo, a executiva foi para a Europa, onde comanda uma inciativa voltada para o futebol feminino.

- O despertar das marcas para o futebol feminino começou, e agora tem que dar os próximos passos. Não só abrir os olhos, mas caminhar e continuar esse investimento tão falado e que eles disseram que vão fazer - analisou.

De acordo com ela, não há mais para onde as marcas fugirem e o investimento no futebol feminino é um caminho sem volta:

- Não tem mais para onde escapar. Para falar com o seu chefe, você tem três caminhos: ou ele entra porque os valores da marca são legitimamente ligados aos do futebol; ou porque ele quer ser protagonista nessa história, o primeiro a falar disso; ou ele entra porque não quer ser o único a ficar de fora.

Não é de hoje, porém, que o marketing esportivo não se restringe ao futebol. Representante da NBA no debate, Rodrigo Vicentini exaltou a relação do brasileiro com a principal liga de basquete do mundo. Uma identificação tão forte que põe o Brasil em uma posição privilegiada perante outros países do mercado global.

- Hoje, o mercado brasileiro é o segundo em prioridade da NBA no mundo inteiro, só fica atrás da China. Isso ajuda muito. Temos lojas em expansão, a transmissão de mais de 300 jogos ao vivo por temporada. O brasileiro tem consumido muito a NBA, se identifica muito com a marca, compra boné, compra regata. Isso ajuda a justificar esse investimento - explicou.