FIFA e CBF retomam projetos do Fundo de Legado da Copa de 2014

FIFA e CBF retomam projetos do Fundo de Legado da Copa de 2014

Um repasse efetivado no valor de U$ 25 milhões já está disponível para dar andamento aos projetos

CBF Social realizado em Belém, no primeiro campo construído com verba do Legado da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 CBF Social realizado em Belém, no primeiro campo construído com verba do Legado da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014
Créditos: Lucas Figueiredo / CBF

As ações do Fundo de Legado da Copa do Mundo da FIFA 2014 foram, definitivamente, retomadas após a assinatura de um novo contrato entre a Federação Internacional de Futebol (FIFA) e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O documento estabelece os parâmetros para execução dos projetos pelos próximos quatro anos.

O acordo detalha as condições rigorosas de monitoramento e controle dos pagamentos feitos pela FIFA. O relatório financeiro e auditoria serão regidos pelas disposições descritas no contrato e nos regulamentos do Programa Forward da FIFA. A CBF decidiu ainda pela contratação de uma auditoria específica, além da auditoria geral da entidade, para acompanhar a execução dos projetos desde os processos de concorrência até a prestação de contas dos valores investidos. Esta fase de seleção será finalizada até o mês de fevereiro.

Como parte do acordo, uma parcela inicial de recursos, no valor de U$ 25 milhões, irá garantir a implementação dos projetos propostos para 2019. Ela se soma a outros U$ 9 milhões enviados nos anos de 2014 e 2015. O total a ser investido pelo Fundo de Legado no futebol brasileiro é de U$ 100 milhões.

– Estamos felizes com o avanço do Legado, que nos permitirá investimentos importantes no fomento ao futebol brasileiro. Nossas prioridades iniciais são a construção dos centros de treinamento nas capitais que não receberam partidas da Copa do Mundo, investimentos no futebol de base e feminino, bem como projetos nas áreas de medicina esportiva e responsabilidade social – afirma o diretor executivo de Gestão e presidente eleito da CBF, Rogério Caboclo.

– Tendo trabalhado extensivamente com a administração da CBF nos últimos meses, a FIFA está satisfeita por termos acordado uma estrutura e um programa aprimorados, que não apenas cumprem os compromissos assumidos com o Brasil por ter sediado uma Copa do Mundo espetacular, mas também têm como objetivo um impacto duradouro na vida de muitas pessoas e comunidades em todo o país – disse o secretário-geral adjunto da FIFA para o Futebol, Zvonimir Boban.


Veja mais