CBF e clubes decidem reiniciar processo de concorrência dos direitos internacionais

CBF e clubes decidem reiniciar processo de concorrência dos direitos internacionais

Em reunião na sede da CBF, entidade e clubes decidem recomeçar o processo de concorrência para venda de direitos internacionais

Reunião de direitos internacionais

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Em reunião na tarde desta terça-feira, 30, a Confederação Brasileira de Futebol e os clubes integrantes do Campeonato Brasileiro da Série A decidiram reiniciar o processo de concorrência para venda dos direitos internacionais do Campeonato Brasileiro.

A reunião, realizada na sede da CBF, iniciou com um relato por parte de executivos da auditoria Ernst & Young, responsável pela condução do processo, que expuseram o andamento das negociações e as últimas condições exigidas pelo consórcio Sport Promotion/Ecotonian para assinatura do contrato anteriormente acordado.

Diante das novas condições de negócio apresentadas, o presidente da CBF, Rogério Caboclo, manifestou aos presentes que não se sentia confortável com a assinatura do contrato naqueles termos e fez uma recomendação aos clubes de que recusassem as alterações e exigências contratuais feitas pelo consórcio.

No decorrer do encontro, os clubes concordaram com a CBF e concluíram de forma unânime que um novo processo de concorrência deveria ser iniciado, a partir da revisão do escopo original e contemplando todas as empresas especializadas com interesse na aquisição dos direitos internacionais.

Confira a íntegra da nota oficial emitida:

Dando cumprimento ao que foi decidido por unanimidade pelos clubes presentes em reunião realizada nesta terça-feira, 30, a Confederação Brasileira de Futebol informa:

1 – O processo de venda dos direitos internacionais de transmissão do Campeonato Brasileiro da Série A será reiniciado por deliberação unânime dos clubes, que rejeitaram as mudanças contratuais e de escopo do projeto solicitadas pelo consórcio qualificado para a fase final da concorrência.

2 – Alinhada à recomendação feita também pela Consultoria EY, de forma a manter a isonomia e transparência no processo, em linha com as boas práticas de governança corporativa, a decisão dos clubes foi motivada a partir da apresentação, pelo consórcio, na fase final de contratação, de alterações substanciais na minuta que havia sido anteriormente aceita, relativas a questões comerciais, jurídicas e técnicas, em desacordo com o Edital.

3 – Os clubes presentes concluíram, também de forma unânime, que o processo de concorrência deverá ser reiniciado pela CBF, por meio da EY, contemplando empresas especializadas e interessadas nessa operação.