Simpósio Médico debate tempo de recuperação para lesão

Simpósio Médico debate tempo de recuperação para lesão

Congresso de medicina esportiva levanta discussão sobre os métodos adotados para fazer um atleta voltar a atuar profissionalmente

IV Simpósio Médico

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Quando um atleta se lesiona, a primeira pergunta que todo torcedor se faz é: quando ele voltará a jogar? Essa resposta só vem depois de um trabalho meticuloso do departamento médico. Esse procedimento foi tema de debate no IV Simpósio de Educação Continuada da Comissão de Médicos e Controle à Dopagem, organizado pela CBF.

Moderada por Ivan Grava, do departamento médico do Corinthians, a mesa recebeu o fisioterapeuta Charles Oliveira, do Cruzeiro, e o médico Douglas Santos, do Fluminense. Foram expostos diferentes exemplos de diagnósticos feitos após lesões e os profissionais presentes trocaram experiências sobre protocolos e procedimentos adotados.

Entre os critérios analisados para o retorno ao futebol estão as características do atleta, a posição, o grau da lesão, o protocolo estabelecido. Também são considerados o nível de reparação da lesão, o restabelecimento da força e, é claro, a importância do jogo em questão.

Em meio a esse processo, há a vontade do jogador em voltar a jogar. Por isso, o diálogo com o atleta é parte fundamental do trabalho. Com experiência também na Seleção Brasileira Sub-20, Charles Oliveira destacou a diferença ao lidar com jogadores mais jovens.

- O atleta mais jovem muitas vezes quer adiantar a recuperação dele, dizendo que está bem, que dá para ir. E o mais experiente tem mais consciência na hora de passar para o médico - revelou.