Simpósio Médico aborda o uso da ciência e da tecnologia no esporte

Simpósio Médico aborda o uso da ciência e da tecnologia no esporte

Doutor Jorge Pagura discutiu métodos de treinamento para aprimorar jogadores de futebol e prepará-los para os grandes momentos

IV Simpósio Médico

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

A ciência está cada dia mais presente na vida de cada ser humano. No futebol, não seria diferente. Todo atleta de alto nível passa por uma série de métodos e treinamentos com muita tecnologia em seu cotidiano. Foi um pouco disso que o médico Jorge Pagura, Presidente da Comissão de Médicos da CBF, trouxe para sua apresentação no IV Simpósio de Educação Continuada da Comissão Médica e de Combate à Dopagem.

Os exemplos não são poucos. Quando o goleiro Manuel Neuer faz uma grande defesa na Copa do Mundo, por exemplo, há um grande trabalho tecnológico por trás disso. O reflexo dele é muito estimulado em sua rotina de treinamentos, e acaba resultando em uma ação desse porte em um jogo tão grande. É o mesmo caso de Mario Gotze, que desde jovem foi apresentado a exercícios que fortaleceram sua técnica e decisão rápida no Borussia Dortmund, desde a base.

De acordo com Pagura, as duas práticas respondem ao conceito de "cerebral gym". Isto é, tratar o cérebro como se fosse um verdadeiro músculo, que pode ter sua capacidade aumentada. É um conceito que acredita em jogadores com a inteligência maior, com alto nível das funções cognitivas.

- A inteligência humana pode ser dramaticamente ampliada. Podemos traçar um perfil funcional dos atletas, por um tempo maior de reação. Preparar mais esses atletas para ter uma rápida decisão - destacou Pagura.