Jorge Pagura lança livro sobre concussão cerebral

Jorge Pagura lança livro sobre concussão cerebral

Após 10 anos de experiência na área esportiva, Pagura, em parceria com Renato Anghinah, trata os traumas de cabeça de forma didática, com base em casos médicos

Presidente da CNMF, Jorge Pagura, lança livro sobre a concussão cerebral

Créditos: Divulgação

Um inimigo oculto, assim que a concussão cerebral deve ser encarada pela população em geral e, principalmente, pelos praticantes de atividades esportivas de impacto. É o que prega o presidente da Comissão Nacional de Médicos do Futebol, o neurocirurgião Jorge Pagura, que, nesta quinta-feira (23), faz o lançamento oficial do livro “Concussão Cerebral - Mais do que Uma Simples Batida na Cabeça”, em parceria com o neurologista Renato Anghinah, às 19h30, na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi, em São Paulo.

O livro trata os problemas e transtornos ocasionados por traumas no crânio e as formas de preveni-los, além de apresentar os modernos diagnósticos já existentes. Casos médicos ilustram os temas e a experiência dos autores na área do esporte reforça as definições e orientações sobre como proceder após uma “batida na cabeça”. 

– É um livro de saúde, com base científica e médica, mas com uma linguagem simples, mais próxima daqueles quem não têm intimidade com o tema. Apresentamos toda a experiência que o esporte nos trouxe para o conhecimento mais aprofundado sobre os traumas na cabeça. É o resultado de um longo tempo de pesquisa e de formatação, iniciado nos jogos Pan-Americanos de 2007, quando eu chefiei a delegação de polo aquático e convivi com situações relacionadas – explica Pagura.

Desde 2014 à frente da Comissão Nacional de Médicos de Futebol (CNMF), Pagura também foi coordenador médico da Federação Paulista de Futebol por 4 anos. Durante esse tempo, a equipe médica verificou um aumento dos traumas de cabeça nos jogos de futebol. Atualmente, elas são a segunda lesão mais vista nesta mobilidade.

– Entre os vários traumas, a concussão é uma delas. O esporte tem dado grande base de conhecimento a respeito e a CBF, baseada nesses estudos, está tomando todo o cuidado em suas competições e com os atletas. Fizemos várias palestras com árbitros e essa preocupação já motivou até em mudança de regras.

Pagura cita ainda o caso do jogador brasileiro Bellini, capitão em 58, para exemplificar o quanto o tema é delicado e a preocupação fundamental para o futuro do esporte. O campeão mundial foi um dos primeiros do mundo a ser diagnosticado com quadro demencial por conta dos consecutivos traumas de crânio enquanto exercia a vida de jogador.

Mais sobre concussão no futebol:

Concussão, o inimigo oculto dos médicos