Jogos pela manhã em pauta no Simpósio Médico

Jogos pela manhã em pauta no Simpósio Médico

Médicos debateram as diferenças na preparação para um jogo pela manhã durante Simpósio de Educação Continuada da Comissão Médica e de Controle à Dopagem

IV Simpósio Médico IV Simpósio Médico
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Disputados nas manhãs de domingo, os jogos das 11h são uma novidade recente do Brasileirão. Responsáveis pelo desempenho físico e pela saúde dos atletas envolvidos, os departamentos médicos dos clubes ainda estabelecem os métodos ideais para essa condição específica.

Durante mesa no IV Simpósio de Educação Continuada da Comissão de Médicos e Controle à Dopagem da CBF, profissionais de medicina esportiva debateram qual a melhor maneira de tratar esses jogos.  Moderada por Gustavo Magliocca, do Palmeiras, com Marcos Vinicius Santos Limas e Rodrigo Hoffmeister Silva. A roda de discussão falou sobre alguns dos critérios avaliados durante o período pré-jogo pela manhã: alimentação, rotinas de descanso, problemas de adaptação e temperatura.

Não há, por exemplo, indícios que comprovem que um jogador tende a se lesionar mais ou menos durante um jogo pela manhã. As lesões acontecem, é claro, mas sem nenhum sinal de que tenham sido causadas por conta das condições de jogo.

Algumas das principais preocupações são com as rotinas alimentares antes da partida. O que acontece, por exemplo, se um jogador não tem fome para comer antes da partida? Os atletas não almoçam, tomam um café reforçado e tentam manter a rotina alimentar mais próxima da que já seguem.

Por mais que os médicos tenham opiniões convergentes sobre o método a ser adotado antes de um jogo pela manhã, é fundamental continuar estudando outras experiências e procedimentos que possam ser úteis.