CBF e UNESCO somam forças pelo projeto Gol do Brasil

CBF e UNESCO somam forças pelo projeto Gol do Brasil

Implementada há cerca de um ano, ação social ganha o reforço da entidade internacional, que ajudará a mensurar os impactos do projeto na vida das pessoas envolvidas

CBF e UNESCO somam forças pelo projeto Gol do Brasil Créditos: Arte: Thaís Magalhães/CBF

Implementado há pouco mais de um ano, o projeto Gol do Brasil, ação social da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) voltada para crianças e adolescentes de 6 a 17 anos em situação de vulnerabilidade, acaba de ganhar um reforço de peso: a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). Na última segunda-feira (12), as duas instituições celebraram o acordo de cooperação, em uma reunião realizada por meio de videoconferência.

O objetivo desta parceria é contar com o conhecimento da entidade internacional para mensurar o impacto social das ações do Gol do Brasil na vida e na comunidade dos participantes do projeto – das crianças aos instrutores, passando também pela família dos participantes. Serão 18 meses de trabalhos em conjunto que ajudarão no desenvolvimento de novos processos, melhorias e aprimoramento da Metodologia CBF Social.

Estamos muito felizes com esta parceria, que vai trazer consistência estrutural ao Gol do Brasil. Existem diversos projetos sociais muito importantes no país, e esperamos elevar o nível de nossas iniciativas com a participação da UNESCO”, comentou o secretário-geral da CBF, Walter Feldman.

A missão do Gol do Brasil é promover cidadania e educação por meio do futebol. Para isso, são seguidos os critérios das dez habilidades de vida estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), agência também ligada à ONU: autoconhecimento, relacionamento interpessoal, pensamento crítico, pensamento criativo, empatia, resolução de problemas, tomada de decisão, manejo de emoções, manejo de estresse e comunicação eficaz.

A metodologia para o desenvolvimento desta interação social pode ser implementada com treinamentos de futebol de campo, salão, praia ou society. Além da prática esportiva, os estudantes contam ainda com acompanhamento psicológico e assistência social para auxiliar no ensino das habilidades de vida. Todas as unidades também fornecem aos participantes uniformes, equipamentos esportivos e alimentação.

“A UNESCO – agência especializada da ONU em Educação, Ciência e Cultura – tem uma importante missão ligada à construção da cultura de paz desde sua criação, em 1945. Nesse sentido, nada melhor do que o esporte como indutor da educação para valores e da resolução pacífica de conflitos. Estamos muito felizes com esta parceria que se inicia. Acreditamos que será uma oportunidade única de avaliar o impacto social de um programa tão importante como o Gol do Brasil, que, em meio a suas características únicas, promove a inclusão social”, destacou a diretora e representante da UNESCO no Brasil, Marlova Noleto.

Além das crianças e dos adolescentes atendidos, o Gol do Brasil também visa à formação de professores capacitados para trabalhar com essa faixa etária. Em 2019, por meio de uma parceria com a CBF Academy, 119 profissionais obtiveram a Licença S, voltada justamente para projetos sociais. Todos os instrutores são moradores das cidades onde acontecem as aulas.

Financiado pelo Fundo de Legado da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014, pela CBF e por administrações municipais, o Gol do Brasil já está em pleno funcionamento em Belém (PA), Recife (PE), São Paulo (SP), Ribeirão Pires (SP) e Teresópolis (RJ). O planejamento é para que ele chegue à totalidade dos 26 estados do país e também ao Distrito Federal.

Fundo de Legado da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014

O Fundo Legado Copa do Mundo FIFA tem como objetivo fomentar a prática futebolística nos países que sediam a principal competição da modalidade no mundo. No Brasil, que recebeu o Mundial em 2014, esta verba é utilizada em três diferentes áreas de atuação: Alto Rendimento, Desenvolvimento e Social. Até o fim da parceria entre FIFA e CBF serão disponibilizados US$ 100 milhões para investimentos em solo brasileiro. 

Alto Rendimento

São nove as competições organizadas pela CBF que contam com recursos do Fundo Legado Copa do Mundo FIFA 2014: Brasileirão Feminino A1, A2 e Sub-18, além do Campeonato Brasileiro Masculino Sub-20 e Sub-17, as Copas do Brasil Sub-20 e Sub-17 e também as Supercopas Sub-20 e Sub-17. A realização destes torneios é fundamental para o calendário de equipes femininas e das categorias de base masculinas. Ao todo são 738 jogos realizados anualmente por meio deste investimento, com 100% deles transmitidos ao vivo em TV, plataformas de streaming ou redes sociais. 

Ainda no alto rendimento, o Fundo Legado Copa do Mundo FIFA financia o Simpósio Médico de Educação Continuada, voltado para profissionais que atuam no Departamento Médico dos clubes brasileiros. O congresso é realizado anualmente.

 

 

 

 

 

Social

 

Em parceria com a CBF Social, o Fundo Legado Copa do Mundo FIFA 2014 é responsável por financiar parte do projeto Gol do Brasil, que atenderá mais de 18 mil crianças até 2022. A ação, que iniciou em 2019, chegará aos 26 estados do país e também ao Distrito Federal. Meninos e meninas entre 6 e 17 anos têm aulas de futebol, cidadania, respeito às diferenças e responsabilidade social. O objetivo é usar o futebol para contribuir na formação integral de cidadãos.

 

Desenvolvimento

 

Em 2014, 11 dos 26 estados e mais o Distrito Federal receberam jogos da Copa do Mundo FIFA. Com o Fundo Legado Copa do Mundo FIFA 2014, os outros 15 que não foram sede do Mundial, receberão Centros de Desenvolvimento do Futebol. São estruturas físicas que contam com campos de grama natural, vestiários e prédio administrativo totalmente equipado. Como o próprio nome já diz, é um espaço para jovens desenvolverem suas habilidades e evoluírem com acompanhamento de profissionais. Estes locais visam contribuir na transição entre os contatos iniciais com o futebol e o alto rendimento, auxiliando na preparação de jovens atletas que sonham um dia em se tornar profissionais da área.


Veja mais