What Awaits Us debate engajamento de torcedores no seu quarto dia

What Awaits Us debate engajamento de torcedores no seu quarto dia

Painel do dia contou com a participação de profissionais brasileiros e espanhóis que compartilharam as suas experiências.

A What Awaits Us chegou ao seu quarto dia. Na tarde desta quinta-feira (22), o debate proposto tratava sobre a ligação entre clubes e torcedores antes e durante a pandemia. O tema central foi "Engajamento - Torcedores e Clubes, um novo jeito de se conectar fora dos estádios".  A estratégia para atrair fãs é fundamental e por isso gerou um bate-papo enriquecedor e com muito informação compartilhada.

A mediação da mesa foi feita por Daniel Alonso, Delegado da LaLiga na Global Network Brazil. Os palestrantes do dia foram: Terence Gargantini, responsável pelas Operações do MyCujoo no Brasil e América Latina; Bruno Maia, CEO na 14 Agência de Marketing Esportivo; Marta Aparicio, Coordenadora de Conteúdo Digital da LaLiga; Eduardo Baraldi, Diretor de Administração da Octagon Brazil; e Carlos Arranz, Diretor de Marketing e Comercial do Real Zaragoza.

Os avanços na conexão entre clubes e torcedor estão em constante evolução. Por conta de gostos, idades, experiências, entre outros fatores, organizações têm que se adaptar para sempre engajar o seu fã e mantê-lo por perto. Marta Aparicio, Coordenadora de Conteúdo Digital da LaLiga, mostrou na sua apresentação as estratégias digitais para manter o consumidor por perto. A palestrante deixou claro que é importante diferenciar conteúdos. Marta explicou que ter informações sobre o seu público-alvo é a chave para reter a atenção do seu seguidor em qualquer lugar do mundo.

"O tempo de conteúdo disponibilizado é infinito, mas o tempo de consumo do torcedor é limitado, por isso temos que produzir bem para engajá-lo a consumir o nosso conteúdo. Por isso, não se pode dizer que a competição é somente entre ligas, ou dentro do futebol, a competição também acontece com outras plataformas de streaming que tentam também fisgar o consumidor", disse Marta.

Dando um exemplo do El Clásico - como é chamada a partida entre Real Madrid e Barcelona - Marta Aparicio mostrou que um post em determinada rede social com focos em brasileiros, provavelmente teria uma imagem de um jogador do país. Assim como, no mercado asiático, os dados coletados mostram que ilustrações mais desenhadas dão um impulso a mais nas publicações. Fotos com um tom mais genérico costumam movimentar o perfil oficial, que é acessado por todos.

Marta Aparicio na sua apresentação Marta Aparicio na sua apresentação
Créditos: Assessoria CBF

A linha específica de engajar o torcedor foi parte da dissertação de Burno Maia, CEO na 14 Agência de Marketing Esportivo. Bruno, que teve passagem como VP de Marketing no Vasco da Gama, mostrou o case de extremo sucesso que movimentou as redes e a torcida vascaína no ano passado. O clube lançou um plano de sócio-torcedor muito atraente para o bolso do seu consumidor, gerando assim umas das maiores histórias de engajamento de torcida no Brasil. Além disso, o palestrante citou alguns tópicos que atrapalham essa relação clube-torcedor.

"Os clubes precisam trabalhar em conjunto, e só depois se aprofundarem cada um nas características do seu próprio torcedor. Coletar mais dados para gerar informações sobre os torcedores e gerar assim um conteúdo apropriado. Somente assim é possível gerar grandes movimentos de engajamento", explicou Bruno.

O amor do torcedor também é motivo para negócio. Terence Gargantini, responsável pelas Operações do MyCujoo no Brasil e América Latina, contou que a empresa foi criada porque os seus donos não conseguiam assistir ao jogo do seu time de coração. Torcedores do Braga, João e Pedro Presa, queriam acompanhar o clube na terceira divisão da liga portuguesa, em 2009. A partir disto, surgiu a ideia de criar um serviço de streaming focado em competições de menor escalão.

Convidados debatendo o tema do dia Convidados debatendo o tema do dia
Créditos: Assessoria CBF

Nos tempos atuais, a pandemia atrapalhou e muito a relação entre o clube e os seus torcedores. Com um projeto de e-sports em vigência desde 2016, o Real Zaragoza colhe frutos deste engajamento durante a COVID-19. A entrada nos jogos eletrônicos teve como motivo principal atrair o público jovem, motivando assim novos torcedores a vestirem a camisa do clube. Seguindo a linha de diversificar, uma jogadora mulher também foi contratada para o time de jogos eletrônicos, chamando a atenção de meninas de faixas etárias mais baixas.

"Visando uma maior conexão, até expandimos o nosso mercado para produtos que os torcedores pudessem consumir como vinhos e álcool em gel, artigo obrigatório nos dias de hoje", contou Carlos Arranz, Diretor de Marketing e Comercial do Real Zaragoza.

A pandemia mostrou que não é só porque os torcedores não podem ir aos estádio que eles devem ser esquecido. Pelo contrário, é um motivo a mais para engajá-los a estar mais perto. Para Eduardo Baraldi, Diretor de Administração da Octagon Brazil, a COVID-19 mostrou que o modelo atual é frágil, e a forma de se conectar com os torcedores faz parte da evolução. Com uma excelente definição, Eduardo disse ao final da sua apresentação: "Um clube só existe por causa do seu fã".

O evento termina nesta sexta-feira (23). O horário será o mesmo: de 13h às 15h (de Brasília). Para se inscrever, basta acessar o site e escolher o melhor programa no seu gosto!

 

Veja mais