Segundo dia do What Awaits Us foca em ciência e tecnologia

Segundo dia do What Awaits Us foca em ciência e tecnologia

Os convidados trocaram ideias e conhecimento sobre o tema proposto durante duas horas.

Na tarde desta terça-feira (20), o segundo encontro do webinar What Awaits Us abordou o uso da ciência e da tecnologia no futebol. Com o tema "Novos desenvolvimentos em ciência e tecnologia e o seu impacto no futebol", os convidados debateram os novos paradigmas apresentados pela inovação no esporte.

Depois da estreia na última segunda, o What Awaits Us foi direto ao ponto e começou com muita informação trocada. A mediação da mesa foi comandada por Maureen Flores, responsável por Inovação e Mercados Internacionais na CBF Academy. Os palestrantes foram: Thiago De Los Reyes, Coordenador de Inovação da CBF Academy; Dr. Roberto Großman, CEO da FullDNA; Rafael Zambrano, Cientista de Dados da La Liga; Begoña Larzabal, Diretor Comercial da Real Sociedad; e Juan Iraola, Chefe de Transformação Digital e Inovação na Real Sociedad.

Seguindo o pré-estabelecido, o bate-papo durou por cerca de duas horas, com todos os presentes falando, trocando ideias e mostrando os seus objetos de trabalho. Abordando o tema central, todos apresentaram algo relacionado a ciência e tecnologia. Thiago De Los Reyes explicou a função da CBF na aquisição de dados que auxiliam no futebol brasileiro. O coordenador avaliou que, nos últimos anos, a Confederação Brasileira de Futebol construiu uma excelente base de informação.

"A CBF é o centro de dados para muitas informações do esporte no Brasil. O desafio é imenso quando a gente fala de um pais com mais de 200 milhoes de habitantes e um território continental. E no Brasil, somente a CBF tem o poder de fornecer este serviço", disse Thiago.

Convidados trocando ideia no segundo dia do What Awaits Us Convidados trocando ideia no segundo dia do What Awaits Us
Créditos: Assessoria CBF

O futebol se tornou um campo de batalha para a ciência e inovação. Na parte científica da mesa, usando biologia e bioquímica, o Dr. Roberto Großman mostrou a importância do conhecimento físico dos jogadores. Nos dias atuais, com a tecnologia disponível, o alcance do nível de qualidade do material que pode ser adquirido é muito grande. O doutor ainda disse acreditar que em pouco tempo a ciência poderá atingir um patamar em que será possível prever alguma lesão ou contusão.

"Hoje nós temos muita informação, grande acesso a tecnologia que produz muitos dados sobre jogadores. O melhor é que esses dados são individuais, melhoram o trabalho e ajudam o jogador a oferecer o seu melhor. O programa Gene Soccer reconhece muitas características do jogador, podendo citar agilidade, velocidade, entre outros, através da genética. É possível prever pela genética uma possível tendência a algum tipo de contusão. Este é o futuro da analise de dados. Por que um jogador tem um problema específico? Os genes respondem. É impossível modifica-los, mas com estudos e pesquisas, é possível conhecê-los", disse o doutor.

Além da evolução tecnológica que auxiliou no avanço do conhecimento do corpo dos atletas, dois palestrantes mostraram como a tecnologia funciona a favor de um clube neste momento de crise. Begoña Larzabal e Juan Iraola, representantes do Real Sociedad, dissertaram sobre a produção de novas receitas com o digital, aproveitando o avanço tecnológico, e explicaram algumas formas de monetização do clube espanhol. Ambos ainda reforçaram que este é um passo importante em meio à pandemia, já que os torcedores não estão mais nos estádios e precisam ser atraídos para o clube de algum modo.

"Reconhecer novos pontos para a divisão de receita é fundamental e o meio digital é importante para isso, principalmente nestes tempos de COVID. A tecnologia é essencial para atingir os fãs por causa do COVID-19. Em um mundo normal nos teríamos o dia do jogo, onde existe um contato direto com o nosso torcedor no estádio. Mas, agora, o desafio é atingir este publico de longe. E a tecnologia ajuda com isso, de diferentes maneiras", afirmou Juan.

"Uma invenção que chegou para aumentar a integração com o torcedor é a Smart Tag. Este utensílio pode vir junto com a camisa ou algum produto que o torcedor tenha adquirido, assim eles podem se conectar diretamente com o clube ou com as marcas patrocinadoras. Este é um jeito de oferecer mais produtos. Além disso, temos que pensar além da Espanha, para conseguirmos seguidores e fãs de outros países, principalmente conectados a nossos atletas estrangeiros", explicou Begoña.

Ainda sobre a contribuição da tecnologia internamente no futebol, Rafael Zambrano, Cientista de Dados da La Liga, falou sobre o crescimento do seguimento na instituição. Rafael contou que a La Liga chegou a marca de 600 funcionários em seis anos. Além disso, o setor de tecnologia conta com 100 funcionários, o que mostra o comprometimento da liga com a evolução no meio digital.

"O nosso sistema colhe de dados, gera informação, conhecimento e, consequentemente, tomamos uma ação baseado no que coletamos. Por isso, conseguimos através dos nossos canais digitais, absorver esses dados e ligar os torcedores a todas as nossas redes. Também podemos avaliar o que mais interessa ao nosso torcedor e gerar o melhor conteúdo possível para ele, dando qualidade a experiência dele no futebol", concluiu Rafael.

Dalpozzo se junta a mesa Dalpozzo se junta a mesa
Créditos: Assessoria CBF

No fechamento do bate-papo, Maureen agradeceu aos participantes e disse uma frase que foi levada e apresentada por todos: "Inovação é o resultado de muito trabalho". Os eventos seguirão ao longo da semana sempre no horário de 13h às 15h (de Brasília). Para se inscrever, basta acessar o site e escolher o melhor programa no seu gosto!

 

Veja mais