Psicologia em foco na Licença PRO

Psicologia em foco na Licença PRO

Psicóloga do esporte Maíra Ruas foi a responsável por abrir os trabalhos no segundo dia de aulas da Licença PRO

Aula de Psicologia - Licença PRO na Granja Comary

Aula de Psicologia - Licença PRO na Granja Comary

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Aula de Psicologia - Licença PRO na Granja Comary

Aula de Psicologia - Licença PRO na Granja Comary

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Aula de Psicologia - Licença PRO na Granja Comary

Aula de Psicologia - Licença PRO na Granja Comary

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Aula de Psicologia - Licença PRO na Granja Comary

Aula de Psicologia - Licença PRO na Granja Comary

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Aula de Psicologia - Licença PRO na Granja Comary

Aula de Psicologia - Licença PRO na Granja Comary

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Aula de Psicologia - Licença PRO na Granja Comary

Aula de Psicologia - Licença PRO na Granja Comary

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Aula de Psicologia - Licença PRO na Granja Comary

Aula de Psicologia - Licença PRO na Granja Comary

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Aula de Psicologia - Licença PRO na Granja Comary

Aula de Psicologia - Licença PRO na Granja Comary

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Não é só de campo e bola que vive um técnico de futebol. É por isso que na Licença PRO da CBF, que ocorre durante as duas próximas semanas na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), o tema das aulas é bastante variado. Nesta quarta-feira (5), por exemplo, a psicóloga Maíra Ruas, da comissão permanente do Vasco da Gama, foi a professora dos treinadores. Ela falou sobre como o estudo e o conhecimento da sua área pode contribuir no esporte.

Especialista em Psicologia do Esporte, Maíra introduziu debates a respeito do equilíbrio emocional e racional, e como a performance psicológica do treinador afeta diretamente a de seus comandados. Segundo ela, os comandantes são grandes gestores de pessoas com elevadíssima cobrança de resultado. Essa pressão, principalmente no contexto atual de proximidade da torcida e imprensa via rede sociais, pode afetar o psicológico e refletir no desempenho em campo da equipe.

– Eu acredito muito em um trabalho interdisciplinar em que as habilidades do treinador não estão apenas resumidas nas questões técnicas, táticas ou apenas de gestão do grupo de atletas. É importante lidar com o que eu chamo de gestão de ambiente. É a capacidade de se relacionar com a torcida, com a imprensa, com a parte política e entender que o que está dentro do seu controle você deve se aproximar, e o que está fora você deve aceitar e trabalhar para que elas não influenciem diretamente e negativamente no andamento do trabalho – analisou Roger Machado. 

Com esta busca por resultados, Maíra ensinou meios para se concentrar e adquirir confiança e segurança no trabalho. Além disso, lidar com um elenco diverso - de idade e carreira - foi outro tópico abordado pela profissional. Foram explanadas reações e suas consequências na hora de lidar com situações de extrema tensão e pouca margem de erro, como em competições eliminatórias, por exemplo. Jair Ventura, ex-técnico do Corinthians, comentou sobre a relação entre técnicos e atletas.

–É o "erro zero" que a gente fala. Ao mesmo tempo em que a gente sabe o peso desses jogos de mata-mata, a gente tenta passar tranquilidade. Por si só, esses jogos já são de muita pressão. Tentar minimizar os erros porque a gente sabe que eles acontecem.