Mirando o futuro: Nenê inicia curso de Executivos de Futebol

Mirando o futuro: Nenê inicia curso de Executivos de Futebol

Ainda cursando a Licença de Treinador, meia agora complementa formação na área da Gestão

Nenê - CBF Academy Nenê - CBF Academy
Créditos: Acervo pessoal

A carreira de jogador de Futebol tem menor duração se comparada às profissões mais tradicionais. Jogadores costumam pendurar as chuteiras antes dos 40, enquanto a média da população brasileira se aposenta aos 65 anos. Com o fim da vida atlética, os ex-jogadores costumam tomar rumos diferentes no pós-carreira. Sem conseguir se afastar da paixão pelo esporte bretão, alguns tornam-se técnicos, outros agentes de futebol, uns vão trabalhar dentro de instituições em que atuaram como atleta e ainda há os que passam a integrar a mídia esportiva.

O fato é que essa aposentadoria precoce requer que os planos de pós-carreira comecem a ser pensados cedo. Esse é o caso de Nenê, meia-ofensivo que hoje atua pelo Vasco da Gama. Ele demonstra ainda ter muita lenha para queimar: às vésperas de completar 41 anos, o meia do Vasco ainda não definiu a data de sua aposentadoria, mas já começou a se preparar para o dia em que pendurar as chuteiras.

“Meu plano é seguir realmente nessa área do futebol, que é o que eu mais amo fazer. Comecei a fazer a Licença B (de treinador de futebol) para ter todas as possibilidades possíveis e agora eu vou começar o curso de Executivos de Futebol. [...] Não tenho uma certeza porque como minha cabeça ainda está no futebol, eu não sei exatamente qual será a área ideal. Mas com certeza uma das duas será minha principal função”, declarou o jogador.

Apesar de ainda não ter firmado sua decisão sobre o próximo passo na carreira, Nenê se demonstrou muito preocupado em contribuir para uma melhor e mais profissional gestão dentro dos Clubes. “Eu acho que o que falta a gente melhorar nos Clubes brasileiros é ter a gestão de Clubes europeus, ser uma empresa, né. Tiveram muitos problemas financeiros nos Clubes brasileiros que foram mais por causa das gestões, então eu quero tentar ajudar nessa parte”, afirmou. Segundo ele, este fator pode contribuir para a tomada de decisão relativa à carreira que pretende seguir. O meia afirma ter menos ex-jogadores exercendo funções na área da Gestão, e muitos bons treinadores já atuando e além de uma nova geração com potencial em formação.

Nenê possui uma carreira extensa dentro das quatro linhas. No Brasil, passou por gigantes como Palmeiras, Santos, São Paulo, Fluminense e Vasco (seu atual clube em segunda passagem). Na Europa, se destacou por Mallorca, Alavés e Celta de Vigo, na Espanha, Monaco e Paris Saint-Germain, na França. Para este próximo passo na carreira, desta vez atuando em outra posição, o meia acredita que se beneficiará da sua experiência no futebol, e ressalta a importância que tem a CBF Academy em sua formação.

“A CBF Academy, com a estrutura que tem, a organização, os professores muito qualificados, isso tudo eu acho que vai me ajudar muito a entrar nesse mundo do coletivo”, disse Nenê.

Ele afirmou ainda perceber que o jogador, enquanto ainda está em atividade, tem uma preocupação muito maior com o individual, fazendo com que ele se sobressaia como peça, enquanto o treinador e a diretoria devem preocupar-se primeiro com o coletivo e depois com o individual. Nenê está determinado a virar esta chave, a aprender como lidar com um grupo grande e como geri-lo.

“Acho que vai me ajudar muito nessas questões pra poder trabalhar em qualquer uma das duas funções (executivo ou treinador)”, concluiu.

Em mais de 20 anos atuando como jogador profissional, ele já teve a oportunidade de ter contato com treinadores e gestores renomados. Ao falar sobre os fatores mais importantes para complementar seus conhecimentos academicamente e se posicionar neste novo momento da carreira, ele não hesitou.

“Se eu puder pegar um pouco de cada treinador e realmente a gestão do grupo como um todo. Ainda mais hoje que eu sou um dos mais velhos do elenco, por exemplo, então começo a entender um pouco mais do todo. Acho que isso vai ser uma coisa muito importante para mim, poder juntar com o lado acadêmico e colocar isso em prática dentro de campo, dentro da Gestão... Acho que esse é um fator primordial pro sucesso de um Clube”.

O contrato com o Vasco vai até o fim deste ano, mas o meia já afirmou querer jogar por pelo menos mais um ano e meio. Em entrevista a um blog do Vasco, definiu seus objetivos antes de pendurar as chuteiras: subir para a Série A com o Cruzmaltino e jogar mais uma temporada. Tamanha disposição e amor pelo futebol já garantiram uma carreira vitoriosa dentro das quatro linhas. Agora, aguardamos para observar sucesso dos próximos passos como treinador ou executivo.