Intermediação é tema do primeiro dia de What Awaits Us

Intermediação é tema do primeiro dia de What Awaits Us

Profissionais da indústria do esporte do Brasil e da Espanha debatem sobre diversos temas durante cinco dias de troca de conhecimentos e experiências.

Começou a What Awaits Us! A CBF Academy e a La Liga Business School uniram forças e vão proporcionar uma semana repleta de troca de ideias. Durante cinco dias, especialistas internacionais vão discutir sobre o crescimento de novas demandas que desafiam o mundo do futebol. Nesta segunda-feira (19), aconteceu o primeiro debate e o tema foi "Intermediação - uma atualização das regulações da FIFA e o seu impacto no mercado". Através do site do evento, é possível se inscrever e assistir a todos os seminários.

Por se tratar do primeiro dia do What Awaits Us, o evento contou com abertura oficial dos diretores da CBF Academy, Marco Dalpozzo, e da LaLiga Business School, José Moya. 

"Esse nosso encontro é um grande avanço. Agradeço a todos os envolvidos pelo trabalho. Esse é o primeiro encontro de uma longa jornada. Temos que ficar juntos, dialogar mais, porque este é o melhor jeito de construir um novo futuro. Obrigado, La Liga. Nós somos todos falantes da língua latina e o mundo digital nos aproxima de todos, diminui as distâncias e aumenta a integração. Vamos construir junto este nosso futuro. Que este seja o primeiro de uma longa série de eventos. Desejo a todos uma ótima semana de debates e discussões", declarou Marco Dalpozzo.

Marco Dalpozzo na abertura do primeiro dia do What Await Us Marco Dalpozzo na abertura do primeiro dia do What Await Us
Créditos: Assessoria CBF

Seguindo a mesma linha, Jose Moya ressaltou a sua expectativa de um excelente conteúdo para o decorrer da semana. Ele ainda salientou que, para a LaLiga Business School, este acordo com a CBF e a CBF Academy é de suma importância.

"Vou ser rápido. Estamos num período onde é muito importante compartilhar conhecimento. Nós seremos mais fortes se andarmos juntos. Este é o primeiro passo da nossa colaboração e cada vez mais trabalharemos juntos. Obrigado a todos os presentes, aos palestrantes, aos times da La Liga Business School e da CBF Academy. Espero que todos gostem e se divirtam", disse Jose Moya alegremente.

Após as apresentações, a mediação foi passada para Roberto Barracco, Sócio-Fundador da IBN Sports & Entertainment. Roberto citou os pontos principais do dia e chamou os palestrantes da tarde: Leonardo Máximo, CCO na E-SportFlix; Rodrigo García, Sócio da Laffer Abogados; Marcos Motta, Co-fundador da Bichara & Motta Advogados; e Alfredo Garzón Vicente, Sócio da Senn Ferrero Asociados.

O painel tinham como objetivo comentar as atualizações das regulações da FIFA e o seu impacto no mercado de transferências no futebol. O primeiro a ser chamado foi Leonardo Máximo. O convidado citou a dificuldade na separação dos papéis de agente e intermediário nos dias atuais, e analisou o percentual de comissão da participação destes profissionais na transação de jogadores, que são o seu objeto de trabalho.

"Eu agradeço o convite da La Liga Business School e da CBF Academy. Vamos discutir o assunto que é o trabalho do meu dia-a-dia, e isto me preocupa. Vou começar apenas lembrando o uso dos termos 'agente' e 'intermediário'. Agente é quem cuida do atleta e da sua carreira. Ele ainda acompanha as transações. O intermediário é quem junta os negócios e os conecta, ele liga duas partes.  A FIFA constantemente diz que quer fazer este mercado evoluir. Nós, sempre que vemos um obstáculo arrumamos um jeito de contorná-lo. As regulações são bem-vindas e precisam ser discutidas", disse Leonardo Máximo.

Rodrigo García, o segundo palestrante, também falou sobre percentual de negociações e ainda reforçou que a diferença das legislações de um país para outro é um dos desafios nesta função. 

"Concordo que 3% é muito baixo, mas, por exemplo, considero que 10% seja muito alto. Mas o que realmente piora o processo é a diferença das leis. Na Inglaterra, pode-se achar um agente online. Na Itália, os agentes precisam ser locais. E na Espanha, é preciso fazer uma entrevista com a liga nacional", falou Rodrigo.

O terceiro a dissertar foi Marcos Mota. Para ele, o Brasil se beneficia porque CBF adapta as regulações ao mercado nacional. Por fim, foi a vez de Alfredo Garzón Vicente, que apresentou sua ideia para modernizar o mercado de transferências atual. 

"Eu acho que tentar criar uma licença internacional, que possa valer para todos os agentes, é algo positivo. O melhor motivo para ter uma regulação é este: possibilitar esta licença", afirmou Alfredo.

Mediador e convidados debatem na mesa redonda do evento Mediador e convidados debatem na mesa redonda do evento
Créditos: Assessoria CBF

Uma mesa redonda seguiu após as palestras individuais e os convidados debateram questões expostas por inscritos. Rodrigo García abriu um último pensamento seu a respeito dos pequenos agentes. O seminarista elogiou um ponto que seria benéfico para o sistema e para estes profissionais de menor expressão.

"Uma das melhores ideias que o novo sistema pode implementar é o mecanismo de solidariedade para os agentes. Nós sabemos que existem agentes que olham para jovens e o sistema não permite que eles sejam pagos pelo serviço. Talvez tenhamos que criar um mecanismo em favor deles, para eles participarem de transações futuras", acrescentou e finalizou Rodrigo.

Os eventos seguirão ao longo da semana sempre no horário de 13h às 15h (de Brasília). Para se inscrever, basta acessar o site e escolher o melhor programa no seu gosto!


Veja mais