Quarteto brasileiro atua na vitória do Japão sobre a Noruega

Quarteto brasileiro atua na vitória do Japão sobre a Noruega

Edina Alves, Neuza Back, Leila Cruz e Daiane Muniz trabalharam pela terceira vez no Mundial

Arbitragem brasileira se destaca na Copa do Mundo Feminina Arbitragem brasileira se destaca na Copa do Mundo Feminina
Créditos: Hagen Hopkins/FIFA

O quarteto brasileiro de arbitragem formado por Edina Alves (SP-FIFA), Neuza Back (SP-FIFA), Leila Cruz (GO-FIFA) e Daiane Muniz (SP-FIFA) mais uma vez se destacou num jogo da Copa do Mundo Feminina FIFA 2023 Austrália e Nova Zelândia. Dessa vez, elas trabalharam na partida em que o Japão venceu a Noruega por 3 a 1, neste sábado (5), no Wellington Stadium, na Nova Zelândia.

Foi a terceira partida do Mundial em que estiveram juntas. 

Edina Alves - Copa do Mundo Feminina Edina Alves - Copa do Mundo Feminina
Créditos: Hagen Hopkins/FIFA

“Foi muito boa a arbitragem e isso ganha mais importância ainda pelo fato de o jogo ter reunido duas seleções campeãs mundiais numa disputa de oitavas de final de Copa do Mundo. O quarteto passou despercebido, sem lances polêmicos. Isso credencia o nosso quarteto às fases seguintes do Mundial. Estamos bastante felizes com o desempenho delas”, disse o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Wilson Seneme.

Edina Alves apitou novamente com autoridade no Mundial Edina Alves apitou novamente com autoridade no Mundial
Créditos: Hagen Hopkins/FIFA

Na abertura da competição, as brasileiras trabalharam na partida em que a Austrália superou a Irlanda por 1 a 0. Nas três partidas, Daiane Muniz atuou no VAR. O Mundial Feminino é o primeiro em que mulheres foram escaladas como árbitras de vídeo. A segunda oportunidade das brasileiras se deu no triunfo do Marrocos por 1 a 0 sobre a Coreia do Sul.


Veja mais

PATROCINADORES

A CBF Nike Guaraná Antartica Vivo Itaú Neoenergia Mastercard Gol Cimed Pague Menos TCL SEMP TechnoGym StatSports Kin Analytics Globus Italian Excellence