Monção analisa projeto de renovação de instrutores

Monção analisa projeto de renovação de instrutores

Recém-nomeado para o posto mais alto da Escola Nacional de Arbitragem, Nilson Monção falou sobre a maior exigência física para os instrutores de árbitros

Nilson Monção foi nomeado diretor-Presidente da ENAF no dia 29 de janeiro

Nilson Monção foi nomeado diretor-Presidente da ENAF no dia 29 de janeiro

Créditos: Rafael Ribeiro / CBF

Recém-nomeado Diretor-Presidente da Escola Nacional de Arbitragem (ENAF), Nilson de Souza Monção falou sobre os desafios da nova função. Durante o Curso de Aperfeiçoamento para Instrutores de Árbitros, realizado no Centro de Treinamentos de Excelência João Havelange, em Pinheiral (RJ), o professor analisou o processo de renovação do quadro de instrutores. 

Um dos tutores da Turma II do curso em andamento, Monção comentou o trabalho realizado com os ex-árbitros e ressaltou a importância da preparação física também para os instrutores. Segundo o novo Diretor-Presidente da ENAF, os mentores da nova geração de árbitros precisam acompanhar a evolução e exigência física do futebol moderno para transmitir os ensinamentos práticos. 

– Com o decorrer do tempo, o futebol passou a ficar muito dinâmico e veloz. A parte física é muito mais exigida do que tempo atrás. Com isso, o árbitro teve que acompanhar essa evolução. Anteriormente, o árbitro fazia 2.400 metros em 12 minutos, depois passou para 2.700m em 12 minutos. E agora temos o teste físico que não é mais o "cooper", é um teste de velocidade. Com isso, o instrutor também tem que acompanhar essa evolução. Como o árbitro vai treinar mais veloz e com mais dinamismo, o instrutor técnico vai ter que acompanhar essa evolução – destacou Nilson de Souza Monção, que ainda falou sobre a importância dos cursos para a evolução e padronização da arbitragem brasileira.

– Essa experiência está sendo muito boa. Eles estão passando 10 dias aqui, aprendendo a fazer provas, mexer com a informática... Trabalhando também a parte física, estudando a parte técnica de regras, que é muito importante – analisou o novo Diretor-Presidente da Escola Nacional de Arbitragem (ENAF). 

Com tempo de duração inédito no Brasil, o Curso de Aperfeiçoamento para Instrutores de Árbitros abriu a programação 2018 de cursos da Arbitragem. Iniciada na última segunda-feira (29), a Turma II passará por um período de imersão de 10 dias, desenvolvendo aspectos teóricos e práticos. 

A temporada de 2018 será repleta de atividades para a Comissão de Arbitragem da CBF. Entre elas, estão previstas: 

- Avaliações e reavaliações físicas e teóricas habilitadoras à SENAF 2018 (Seleção Nacional de Árbitros de Futebol) nas 27 federações

- Avaliações e reavaliações físicas e teóricas complementares e mantenedoras à SENAF 2018 nas 27 federações

- Treinamento Padrão de Arbitragem para os integrantes da SENAF 2018

- Capacitação para Analistas de desempenho de Vídeo e Campo

- Curso PRAB - Programa de Renovação da Arbitragem Brasileira

- Curso para Árbitro de Vídeo, Árbitro Assistente de Vídeo e Supervisor de Protocolo

- VI Encontro de Psicólogos da Arbitragem de Futebol

- Avaliação Física para Lista FIFA 2018

- Reunião Bimestrais dos Integrantes da Estrutura da Arbitragem da CBF

- Reunião dos Presidentes de Comissões de Arbitragem das 27 federações

- Curso RAP para Árbitros de Elite, Promissores, Feminino, Instrutores Físicos e Técnicos de Árbitros 

Saiba mais sobre o Curso de Aperfeiçoamento para Instrutores de Árbitros:

+ Turma II de instrutores inicia curso em Pinheiral 

+ Instrutores aprimoram técnicas de apresentação

+ Milton Otaviano recebe homenagem de ex-árbitros