Brasileirão: 4ª rodada tem recorde de bola rolando

Brasileirão: 4ª rodada tem recorde de bola rolando

Nos dez jogos disputados no último fim de semana, foram 600 minutos e 57 segundos de bola rolando

Sérgio Corrêa, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF

Sérgio Corrêa, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF

Créditos: Rafael Ribeiro / CBF

Sandro Meira Ricci (FIFA / SC) apitou Grêmio x Coritiba

Sandro Meira Ricci (FIFA / SC) apitou Grêmio x Coritiba

Créditos: Rafael Ribeiro / CBF

A 4ª rodada do Brasileirão 2016 bateu o recorde de bola em jogo na era dos pontos corridos. Nos dez jogos disputados no último fim de semana, foram 600 minutos e 57 segundos de bola rolando, superando em 13 minutos e 51 segundos a melhor marca, registrada na 1ª rodada do campeonato do ano passado (577 minutos e 6 segundos).

Outro ponto importante foi que 60% dos jogos da rodada superaram o índice de 60 minutos de bola rolando, estabelecida como ideal pela FIFA. O melhor foi Grêmio e Coritiba, com quase 70 minutos. Confira a lista completa:

Grêmio x Coritiba - 69'26"

São Paulo x Palmeiras - 65'16"

Chapecoense x Santa Cruz - 62'48"

Ponte Preta x Flamengo - 61'14"

Sport x Corinthians - 61'07"

Santos x Internacional - 60'29"

- Esse trabalho começou em 2015, com o que chamamos de cruzada pelo respeito, coibindo de forma enérgica as reclamações de jogadores, que retardavam demais as partidas. Foi um período de adaptação, mas todos em campo entenderam que isso não seria tolerado e passaram a respeitar mais os juízes, que, por orientação nossa, também paralisaram menos os jogos - afirma o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Sérgio Corrêa.

Os números provam a eficácia das medidas. Enquanto o Campeonato Brasileiro de 2014 teve 27 jogos que apresentaram mais de 60 minutos de bola em jogo, no ano passado esse número subiu 115%, chegando a 58 jogos. Em 2016, a competição já soma 14 partidas que atingiram essa marca. A média de faltas, que era de 32,65 caiu para 28,65, posicionando o Brasileirão entre os de menor índice dos principais campeonatos do mundo:

Campeonato Inglês: 22,69

Campeonato Frances: 27,53

Campeonato Espanhol: 28,44

Campeonato Brasileiro: 28,65

Campeonato Alemão: 30,34

Campeonato Italiano: 30,35

- Era um problema crônico, mas que estamos conseguindo resolver com o entendimento de jogadores e treinadores. Quem ganha é o torcedor no estádio e o espectador em casa. Mas achamos que ainda podemos melhorar esse índice e uma das formas será apertando o cerco às simulações - ressalta Sérgio.

Cruzada contra as simulações

Segundo Corrêa, a Comissão de Arbitragem da CBF irá orientar os árbitros a punirem com mais rigor a simulação de faltas por parte dos jogadores. Na avaliação dos instrutores da Escola Nacional de Arbitragem de Futebol (ENAF), as situações em que os atletas tentam ludibriar a arbitragem têm crescido e isso acaba prejudicando o trabalho dos árbitros, que já estão orientados a advertir os que agem com atitudes antidesportivas.

- Temos verificado muitas situações dos jogadores tentando enganar a arbitragem. Isso prejudica o espetáculo, tumultua a partida. Vamos enfatizar para que essa infração seja controlada e punida exemplarmente.