Árbitros têm espaço para reivindicações

Árbitros têm espaço para reivindicações

Marcelo de Lima Henrique, um dos mais experientes árbitros presentes, foi o porta-voz da classe durante o evento

Marcelo de Lima Henrique

Créditos: Rafael Ribeiro / CBF

Não foi apenas a CBF e a ENAF (Escola Nacional de Árbitros de Futebol) e seus instrutores que tiveram espaço para falar durante o Seminário Internacional de Arbitragem, realizado entre domingo (31) e quarta-feira (3) desta semana. Os próprios árbitros também subiram ao palco para fazer reivindicações e avaliações.

Marcelo de Lima Henrique, um dos árbitros mais expereintes dentre os presentes, ex-integrante do quadro FIFA, foi o porta-voz da classe. Foi ele o responsável por passar a impressão dos seus colegas acerca da Comissão de Arbitragem da CBF, o trabalho realizado pela entidade e sugerir novas ações.

Uma das principais questões levantadas pelo Marcelo de Lima Henrique foi a questão das análises pós-jogo, uma forma de avaliação para que o árbitro saiba a opinião da entidade sobre sua atuação. Para isso, além das observações já feitas pelo assessor após cada partida, algo que fica disponível no Portal do Árbitro, a CBF também apresentou uma outra medida neste sentido.

Na segunda-feira (1), o analista de desempenho da Seleção Brasileira, Maurício Dulac, "emprestou" o seu know-how com uma ferramenta que já auxilia o seu trabalho durante as partidas do Brasil. Um software de scouting (estatísticas do jogo), que conta com uma possibilidade de anexar vídeos aos números. Na prática, isso siginifica que, ao ver a estatística "faltas cometidas - 6", o árbitro poderá conferir cada uma das infrações assinaladas.

Outro que também falou sobre o trabalho da Comissão de Arbitragem da CBF foi o árbitro assistente Alessandro Matos. Quando recebeu sua insígnia FIFA, ele aproveitou para fazer um elogio e dizer que o caminho está sendo bem traçado.

- Acho que o principal é enfatizar que hoje temos pessoas sérias e buscando fazer um bom trabalho à frente da Comissão de Arbitragem. Temos muito a evoluir, mas estamos no caminho certo, e este encontro já diz muito sobre isso.