Indicados para a Copa destacam importância da intertemporada da arbitragem: 'É o que a gente sempre sonhou'

Indicados para a Copa destacam importância da intertemporada da arbitragem: 'É o que a gente sempre sonhou'

Representantes do Brasil na Copa do Mundo FIFA Catar 2022, Raphael Claus e Neuza Back elogiaram iniciativa da Comissão de Arbitragem da CBF

Primeiro dia da intertemporada da arbitragem brasileira - Treinamento de VAR no CEAB Raphael Claus durante aula teórica em intertemporada da arbitragem
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Entre os 95 árbitros que participam da intertemporada de arbitragem da CBF, alguns têm uma missão muito especial para o ano de 2022: trabalhar na Copa do Mundo FIFA Qatar 2022. É o caso do árbitro Raphael Claus e da assistente Neuza Back, de São Paulo, que foram indicados para atuar no torneio de futebol mais importante do planeta.


Os dois elogiaram o trabalho realizado pela Comissão de Arbitragem da CBF nesta semana de treinamentos, que tem como objetivo aperfeiçoar e unificar o critério adotado no futebol nacional.  Para Claus, a intertemporada é mais uma ferramenta importante na formação e crescimento da arbitragem brasileira.

"Foi demais esse período, é o trabalho que a gente sempre sonhou em ter. Ficamos felizes pela iniciativa do nosso Presidente Wilson Seneme, temos muito o que crescer com isso. É de fundamental importância para o nosso crescimento", afirmou Claus, que explicou como a intertemporada ajuda o trabalho dos árbitros:

"O mais importante para melhorar a arbitragem brasileira é esse tipo de treinamento, o convívio diário, a discussão para aproximar os critérios, a preocupação com a parte física. São esses os cuidados que o profissional precisa para ter um crescimento, não só individual, mas para toda a categoria".

LEIA TAMBÉM: Arbitragem brasileira terá sete representantes na Copa do Mundo FIFA Qatar 2022

A linha de raciocínio de Claus é parecida com a Neuza Inês Back. Uma das assistentes com mais destaque internacional nos últimos anos, ela esteve na CONMEBOL Copa América Feminina e deve ser uma das primeiras mulheres a atuar na Copa do Mundo FIFA masculina. Neuza reforçou que o trabalho em grupo auxilia entrosamento da arbitragem e na avaliação individual com as práticas em campo e na tecnologia de vídeo. 

"Para nós está sendo muito importante, temos devolutivas toda semana, mas são à distância e por vídeo conferência. Acaba que nós temos apenas um estímulo visual e auditivo, diferente do que é estar aqui e colocar em prática todo esse conhecimento que adquirimos das orientações e instruções dos nossos professores. Temos também a oportunidade de equiparar os conceitos e ter uma linha de atuação mais parecida em todos os jogos com os diferentes grupos de arbitragem", finalizou Neuza Back. 

Os trabalhos da intertemporada vão até a próxima sexta-feira (5) e contam com a participação de 95 integrantes do quadro de arbitragem da CBF. Entre as atividades previstas estão aulas práticas em campo e na cabine do VAR, além de ensinamentos teóricos e técnicos.

Segundo dia da intertemporada da arbitragem brasileira - Treinamento de campo no CAER (RJ) Neuza Back (à esquerda) durante atividade na intertemporada da arbitragem
Créditos: Thais Magalhães/CBF


Veja mais