Árbitro de Vídeo: grupo faz exercícios práticos

Árbitro de Vídeo: grupo faz exercícios práticos

Equipamentos instalados na sede Conmebol, no Paraguai, simula situações reais de aplicação do Árbitro de Vídeo (AV) em partidas de futebol

Treinamento sobre o Árbitro de Vídeo na sede da Conmebol, em Assunção, no Paraguai

Treinamento sobre o Árbitro de Vídeo na sede da Conmebol, em Assunção, no Paraguai

Créditos: Divulgação / Conmebol

Treinamento sobre o Árbitro de Vídeo na sede da Conmebol, em Assunção, no Paraguai

Treinamento sobre o Árbitro de Vídeo na sede da Conmebol, em Assunção, no Paraguai

Créditos: Divulgação / Conmebol

Treinamento sobre o Árbitro de Vídeo na sede da Conmebol, em Assunção, no Paraguai

Treinamento sobre o Árbitro de Vídeo na sede da Conmebol, em Assunção, no Paraguai

Créditos: Divulgação / Conmebol

Treinamento sobre o Árbitro de Vídeo na sede da Conmebol, em Assunção, no Paraguai

Treinamento sobre o Árbitro de Vídeo na sede da Conmebol, em Assunção, no Paraguai

Créditos: Divulgação / Conmebol

Árbitros e dirigentes brasileiros estão em Assunção, no Paraguai, para uma semana de treinamento sobre o uso da tecnologia no futebol. Nestes primeiros dias, além de palestras e debates, foram realizados exercícios práticos com situações reais de aplicação do Árbitro de Vídeo (AV) em um simulador instalado na sede da Confederação Sul-Americana de Futebol.

A Conmebol quer aplicar o AV nas partidas semifinais da Copa Libertadores da América de 2017. Um dos representantes do Brasil nesta capacitação, o chefe do Departamento de Arbitragem da CBF, Sérgio Corrêa, afirmou que, pelos testes já realizados, a orientação da FIFA aponta para um aumento da participação do AV em lances interpretativos.

– Por enquanto, a atuação do Árbitro de Vídeo está mais ampla do que o projetado, mas precisamos ver como vai ficar nos testes práticos, que serão feitos ao longo da próxima semana – afirmou Sérgio.

O presidente do Comitê de Arbitragem da Conmebol, o brasileiro Wilson Seneme, está coordenando as atividades. Todos os dias, ele recebe as opiniões dos participantes e as análises técnicas do enviado do IFAB (The International Football Association Board), entidade responsável pelas regras do futebol mundial, Dirk Schlemmer.

– Todos sabemos, aqui, na FIFA e no IFAB, que a tecnologia para auxiliar a arbitragem é um desafio enorme porque é algo, completamente, diferente do que o mundo do futebol está acostumado – destacou Dirk.

Também estão no Paraguai o autor do projeto do Árbitro de Vídeo, Manoel Serapião Filho e os árbitros Wilton Sampaio, Sandro Meira Ricci e Anderson Daronco, representantes brasileiros entre os 28 árbitros que estão sendo capacitados.