Análise do VAR: Flamengo (RJ) x Palmeiras (SP) - 33ª rodada do Brasileirão Assaí 2023

Análise do VAR: Flamengo (RJ) x Palmeiras (SP) - 33ª rodada do Brasileirão Assaí 2023

Atuação do árbitro assistente de vídeo na partida entre Flamengo (RJ) x Palmeiras (SP), pela 33ª rodada do Brasileirão Assaí 2023

Análise do VAR - Brasileirão Assaí 2023 Análise do VAR - Brasileirão Assaí 2023
Créditos: CBF

A Comissão de Arbitragem da CBF divulgou, nesta quinta-feira (9), a atuação do árbitro assistente de vídeo (VAR) em Flamengo (RJ) x Palmeiras (SP), pela 33ª rodada do Brasileirão Assaí 2023. Confira a seguir o conteúdo disponibilizado de forma didática ao público do futebol:

Brasileirão Assaí: Flamengo (RJ) x Palmeiras (SP) - 33ª rodada

CHECAGEM

Situação Protocolar: Checagem de cartão vermelho

Decisão: Após a checagem o VAR concorda com a decisão do árbitro

 

Regra 12

1. Tiro livre direto

Um tiro livre direto será concedido se, segundo o julgamento do árbitro, um jogador cometer uma das seguintes infrações contra um adversário de maneira imprudente, temerária ou com uso de força excessiva:

• realizar uma carga;
• saltar sobre um adversário;
• chutar ou tentar chutar;
• empurrar;
• golpear ou tentar golpear (incluindo com uma cabeçada);
• dar uma entrada ou disputar a bola;
• fazer tropeçar ou tentar fazer tropeçar.

Uma infração que envolver contato físico será punida com tiro livre direto.
(...)
Infrações passíveis de expulsão

Deverá ser expulso o jogador, substituto ou jogador substituído que cometer as seguintes infrações:
•impedir um gol ou uma clara oportunidade de gol da equipe adversária ao tocar na bola com a mão ou o braço (à exceção do goleiro dentro da própria área penal);
•impedir um gol ou uma clara oportunidade de gol de um adversário que se dirige à meta do infrator por meio de uma infração punível com um tiro livre (a não ser nas situações descritas mais abaixo);
• jogo brusco grave;
• morder ou cuspir em alguém;
• conduta violenta;
• usar linguagem ou realizar ação ofensiva, insultante ou abusiva;
• receber uma segunda advertência com CA no mesmo jogo;
• entrar na sala de operação de vídeo (VOR).Impedir um gol ou uma clara oportunidade de gol

Quando um jogador cometer uma infração contra um adversário no interior da própria área penal que impeça uma clara oportunidade de gol do adversário e o árbitro conceder um tiro penal, o infrator será advertido com CA se a infração tiver sido uma tentativa de tocar na bola ou de disputá-la; em todas as demais circunstâncias — por exemplo, segurar, puxar, empurrar, não ter possibilidade alguma de disputar a bola etc. — o jogador infrator deverá ser expulso.

Quando impedir um gol ou uma clara oportunidade de gol da equipe adversária por tocar na bola com a mão ou o braço, um jogador será expulso independentemente de onde a infração ocorrer (exceto quando se tratar de um goleiro no interior da própria área penal).

Um jogador, um jogador expulso, um substituto ou um jogador substituído que entrar no campo de jogo sem a autorização do árbitro e interferir no jogo ou em um adversário e impedir um gol ou uma clara oportunidade de gol da equipe adversária comete uma infração passível de expulsão.

Devem ser consideradas as seguintes circunstâncias:
• a distância entre o local da infração e a meta;
• a direção em que a jogada se desenvolvia;
• a probabilidade de manter ou obter a posse da bola;
• a posição e o número de defensores.

Princípios do VAR

1. A tecnologia de vídeo só será usada para corrigir erros claros e incidentes não vistos nas situações pré-definidas e que podem mudar o rumo do jogo:

- Gol ou não gol;

- Pênalti ou não pênalti;

- Cartão vermelho direto

- Erro de identificação (o árbitro adverte ou expulsa o jogador errado).

2. A decisão final será sempre do árbitro.

3. Os Árbitros Assistentes de Vídeo (VARs) são membros da arbitragem e qualquer informação fornecida ao árbitro por um VAR será tratada da mesma forma que uma informação recebida de uma árbitro assistente, árbitro assistente adicional ou do quarto árbitro.

4. O árbitro sempre tomará sua decisão independentemente da existência dos VARs, ou seja, o árbitro não pode não tomar uma decisão, remetendo a situação ao VAR. Se o árbitro decidir não paralisar o jogo devido a uma possível ofensa, a decisão (de permitir a continuação do jogo) poderá ser revisada. Em raras ocasiões o árbitro pode consultar o VAR. Por exemplo, ao pedir para identificar o jogador que deve ser punido.

5. A decisão original tomada pelo árbitro não será alterada, salvo se a revisão pelo vídeo mostrar que a decisão foi claramente errada.

6. Só o árbitro poderá iniciar uma revisão. O VAR (e os demais membros da arbitragem) só poderão recomendar que o árbitro faça uma revisão.

7. Seja qual for o processo de revisão, não pode haver pressão para que uma decisão seja revisada rapidamente, pois a precisão é mais importante que a pressa.

8. Os jogadores e a equipe técnica não podem ficar ao redor do árbitro, nem tentar influenciar sua decisão, ou no processo de revisão. O jogador que usar o ‘sinal de revisão’ de modo ostensivo dever ser advertido (cartão amarelo).

9. O árbitro deverá permanecer ‘visível’ o máximo possível durante o processo de revisão, para garantir transparência.

10. Se o jogo continuar após um incidente revisável, qualquer medida disciplinar tomada ou exigida durante o período pós incidente não pode ser cancelada, ainda que a decisão original seja alterada (com exceção de advertência ou expulsão por parar um ataque promissor ou uma chance clara de gol).

11. Há limites – antes da decisão e depois de um incidente – para que uma revisão possa ser feita.

12. Na medida do possível, o protocolo VAR visa cumprir os princípios e a filosofia das Regras do Jogo.

Protocolo do VAR

As Leis do Jogo

Sobre as leis do jogo, é importante ressaltar o seguinte trecho das Regras do Jogo (IFAB/CBF, 2023-2024):

1. A autoridade do árbitro

Todos os jogos são disputados sob o controle de um árbitro, que tem total autoridade para
cumprir as regras do jogo.

2. Decisões do árbitro

O árbitro tomará suas decisões segundo seu critério e de acordo com as regras e o “espírito do jogo”. As decisões terão por base a própria opinião do árbitro, que tem o poder discricionário para tomar medidas adequadas no âmbito das regras do jogo.

Regras do Jogo (IFAB/CBF, 2023-2024)

PATROCINADORES

A CBF Nike Guaraná Antartica Vivo Itaú Neoenergia Mastercard Gol Cimed Pague Menos TCL SEMP TechnoGym StatSports Kin Analytics Globus Italian Excellence