STJD

17/07/2014 às 15:27 | STJD

STJD reformula pena de Esportivo e muda Gaúchão

O Campeonato Gaúcho teve mais mudança na classificação da Série A. Punido com a perda de nove pontos , multa de R$ 30 mil e perda de seis mandos de campo no TJD/RS o Esportivo recorreu e conseguiu reverter parcialmente a pena. Em resultado do Pleno, os auditores diminuíram a perda de pontos para apenas três pontos e retiraram as perdas de mando. Em contrapartida, dobraram o valor da multa para R$ 60 mil. Com a decisão, o Esportivo se mantém na Primeira Divisão do Estadual em 2015.

A equipe de Bento Gonçalves foi punida pela ação de torcedores. Após a partida contra o Veranópolis, o então árbitro Márcio Chagas encontrou seu carro depredado e com bananas. Além disso, Chagas relatou ter sido vítima de injúria racial por torcedores do Esportivo durante a partida. Devido o episódio , Chagas antecipou sua aposentadoria do futebol.

Julgado no tribunal gaúcho, o Esportivo foi punido com a perda de nove pontos, multa e perda de mandos decampo. Inconformados coma decisão, o jurídico do clube recorreu e o caso chegou a pauta do pleno para um desfecho.

Na tribuna, o advogado Alexandre Borba defendeu o clube Esportivo e anunciou a presença de representantes do clube, além do prefeito da cidade de Bento Gonçalves. Do outro lado, o advogado Rogério Pastl representante do time de Passo Fundo atuou como terceiro interessado e pediu a condenação reforçando que o racismo deve ser erradicado do futebol.

Relator do caso, o auditor Paulo César Salomão Filho, prometeu aplicar justiça dentro dos preceitos legais que foram discutidos no processo. No ponto de vista de Salomão ocorreu apenas uma infração de injúria racial. Em voto, o relator acolheu parcialmente o recurso e reformulou a pena aplicada no TJD/RS. "Acolho parcialmente o recurso e reduzo a perda para três pontos no campeonato. Mantendo a perda de mando de seis partidas e multa de R$ 30 mil. As perdas devem ser aplicadas no Gaúcho de 2015".

O auditor Flávio Zveiter divergiu parcialmente e votou para aumentar a multa para R$ 60 mil e retirar as perdas de mando de campo. O voto foi acompanhado por mais dois auditores e vencido por três votos a dois.

Apesar da decisão, ainda não haverá modificação na tabela. O presidente Caio César Rocha suspendeu qualquer mudança na tabela do torneio até que seja julgado e decidido o caso do Passo Fundo, punido com a perda de pontos por escalação irregular. O processo também estava em pauta, mas foi Baixado em diligência para que a funcionária da Federação Gaúcha Andreia Mattos e o clube Pelotas comprovem o pagamento da taxa de notícia de infração dentro do prazo previsto em lei. O desfecho do Gaúchão deve ocorrer na próxima sessão do Pleno.

Nossos patrocinadores